O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Renato Sanches, o jovem talento de Portugal

Portugal apurou-se para as meias-finais numa emocionante decisão nos penalties, e o seu mais mais jovem jogador - Renato Sanches - nunca duvidou desse sucesso.

Acção do jogo entre Polónia e Portugal durante os quartos-de-final do EURO 2016
Acção do jogo entre Polónia e Portugal durante os quartos-de-final do EURO 2016 ©Getty Images

Observar Renato Sanches no seu quotidiano não é apenas um privilégio em termos futebolísticos mas também uma lição de como lidar com a pressão. O jogador de 18 anos personifica a calma e a tranquilidade fora de campo em tudo o que faz, mas uma vez nele – mesmo nas sessões de treino – é um jogador extremamente competitivo.

Não se furta aos duelos nem concede espaço a jogadors mais velhos e experientes. No início desta competição não era titular. Agora, surge tão indispensável quanto Cristiano Ronaldo. O destemido jovem está em alta.

Coloquemos as coisas desta forma. Ser lançado na fase a eliminar, estreando-se como titular pelo seu país nos quartos-de-final do UEFA EURO 2016, pode ser uma perspectiva assustadora. Se combinarmos isso com o facto de se ter transferido para o Bayern, a troco de 35 milhões de euros, e de ter o Mundo inteiro a olhar para si, então a pressão pode tornar-se ainda maior. Mas não para Sanches.

Ronaldo fala em vitória justa
Ronaldo fala em vitória justa

Afirmara durante a fase de grupos que estava contente por esperar pela sua oportunidade e dar sequência a isso. Quando finalmente surgiu, agarrou-a com as duas mãos e não dá mostras de a querer largar.

Um fantástico desempenho contra a Croácia, nos quartos-de-final, viu o jovem iniciar um contra-ataque que resultou no golo da vitória, apontado por Ricardo Quaresma no prolongamento.

Recompensado com a titularidade diante da Polónia, a atenção recaia sobre ele. Com a sua selecção a sofrer o segundo golo mais rápido na história do EURO, não foram jogadores como Ronaldo ou Nani que devolveram Portugal ao jogo, mas sim Sanches.

Habitualmente à direita do losango a meio-campo, o seu ritmo, poder e objectividade foram uma verdadeira ameaça. E foi tudo isso, mais um grande remate, que garantiram o empate à formação das "quinas".

Uma aposta arriscada do seleccionador Fernando Santos mas que compensou. Sanches tornou-se no mais jovem jogador a marcar na fase a eliminar do EURO e Portugal estava de volta ao jogo.

Claude Makélélé entrega a Renato Sanches o prémio de Melhor em Campo
Claude Makélélé entrega a Renato Sanches o prémio de Melhor em Campo©Panoramic

Com o desafio a conhecer um novo curso após o intervalo, ele mudou para a esquerda, para ter um papel mais de controlo, ajudando o lateral esquerdo Eliseu quando a Polónia parecia investir tudo em Łukasz Piszczek e Jakub Błaszczykowski. Estava visivelmente cansado no prolongamento mas continuou a pressionar, mesmo quando as pernas pareciam incapazes de continuar a correr.

Vieram então as grandes penalidades. Ronaldo foi o primeiro e depois, com o marcador em 1-1, avançou Sanches. A assistência susteve a respiração. Olhares de dúvida na bancada de imprensa. Certamente demasiada pressão para um jovem jogador? Rematou sem hipóteses de defesa.

"O seleccionador perguntou quem queria marcar. Cristiano foi o primeiro e eu pedi para marcar o segundo", disse. "O seleccionador confiou em mim e eu sentia a confiança necessária para dar a resposta adequada".

A conversar com tanta calma e equilíbrio, tanto Portugal como o Bayern têm uma verdadeira jóia nas mãos. Cuidem-se País de Gales ou Bélgica.

Renato Sanches feliz com o seu golo
Renato Sanches feliz com o seu golo