O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Ricardo Carvalho: "Queremos dar alegrias aos adeptos"

O veterano central de Portugal deixou uma mensagem de optimisto à conversa com o UEFA.com, referindo que o objectivo luso passa pelo apuramento e por dar "alegrias aos adeptos".

Ricardo Carvalho é um dos esteios da defesa portuguesa
Ricardo Carvalho é um dos esteios da defesa portuguesa ©AFP/Getty Images

Portugal defronta este sábado a Áustria, no Parc des Princes, no segundo jogo no UEFA EURO 2016. Em entrevista ao UEFA.com, Ricardo Carvalho analisou o primeiro embate luso, frente à Islândia, o encontro diante dos austríacos e as contas do Grupo F. "Temos dois jogos pela frente e só pensamos em vencer ambos e passar em primeiro do grupo", disse o defesa-central de 38 anos, actualmente ao serviço do Mónaco.


Ainda não foi desta que Portugal conseguiu iniciar um EURO com uma vitória. Como viu o jogo com a Islândia?

Começámos bem o jogo, criámos oportunidades de golo, tivemos mais posse de bola e conseguimos marcar. Na segunda parte tivemos ainda mais oportunidades para fazer o segundo golo, não marcámos e acabámos por sofrer. O futebol é assim, quando não se marca corre-se sempre o risco de sofrer - foi o que aconteceu, infelizmente. Ainda assim a equipa esteve sempre unida, deu o seu melhor para tentar chegar à vitória e penso que fizemos o suficiente para ganhar.

Quais foram os pontos positivos do jogo em Saint-Étienne?

Acima de tudo assumimos o jogo. Desde o primeiro minuto mostrámos que queríamos vencer. Tivemos mais oportunidades, mais posse de bola, trabalhámos muito bem para conseguir a vitória mas infelizmente não conseguimos. Lutámos até ao fim e tivemos oportunidades suficientes para ganhar o jogo.

Depois de ver o jogo da Áustria frente à Hungria, o que espera da selecção austríaca em Paris?

Não vi o jogo da Áustria frente à Hungria. A verdade é que quando se perde o primeiro jogo o segundo é mais decisivo, portanto é muito importante para a Áustria. Mas mais importante do que pensar na Áustria e respeitá-la, temos que nos concentrar na nossa equipa e dar o nosso melhor para vencer.

Pensa que será uma equipa mais perigosa após a derrota na jornada inaugural?

Cada jogo é um jogo. Nós também empatámos. A Áustria mostrou que é uma boa equipa frente à Hungria, apesar da derrota. É um jogo importante para a Áustria como o é para nós. Mas mais relevante é focarmo-nos em nós, porque penso que dependemos mais de nós próprios.

As contas do grupo estão em aberto. Pensa que Portugal ainda pode terminar em primeiro lugar?

O nosso primeiro grande objectivo é passar, depois é passar em primeiro. Sentimos a obrigação de passar, e conseguirmos o apuramento em primeiro seria óptimo para nós. Começámos com um empate, agora temos dois jogos pela frente e há que pensar em vencer ambos e passar em primeiro.

O jogo vai ter lugar em Paris, onde é esperada enorme presença de adeptos portugueses. Pensa que o apoio nas bancadas pode ser uma motivação extra para vocês?

É impressionante. Quando chegámos ao estádio e vimos a moldura humana que lá estava foi fantástico. Os portugueses que estão fora de Portugal vivem intensamente quando vêem a selecção - têm saudades do país - e ver os jogadores para eles é uma alegria enorme. Espero que nos continuem a apoiar; tenho a certeza que em Paris vai ser igual e o mais importante para nós é sabermos que eles estão connosco, e nós tudo faremos para que tenham mais alegrias.

Ricardo Carvalho no Portugal - Islândia

1 desarme
4 alívios
9 recuperações de bola
Minutos jogados: 94