O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Foto: Dinamarca surpreende no EURO

A nossa rubrica sobre os grandes momentos e principais protagonistas do EURO chega a 1992, abordando o último acto do conto de fadas da Dinamarca, chamada à última hora para participar.

Foto: Dinamarca surpreende no EURO
Foto: Dinamarca surpreende no EURO ©Getty Images

O seleccionador Richard Møller Nielsen estava a planear remodelar a cozinha quando recebeu o telefonema, à última da hora, a informar que a Dinamarca tinha sido convidada para substituir a Jugoslávia no EURO '92. Foi o início de um Verão incrível, que atingiu o ponto alto a 11 minutos do fim da final frente à Alemanha – Kim Vilfort atirou forte e rasteiro e confirmou a conquista do título por parte do conjunto nórdico.

Vilfort efectua o remate
Vilfort efectua o remate©Getty Images

Kim Vilfort
A adoração por Vilfort na foto era indicativa do êxtase que o país estava prestes a sentir. Jogador do Ano na Dinamarca, foi sem dúvida o seu melhor jogador de campo, especialmente após visitar a filha, que estava gravemente doente. Sete vezes campeão pelo Brøndby, agora é responsável pelos escalões de formação do clube.

Brian Laudrup
Laudrup e o irmão Michael tinham recusado representar a selecção após divergências com Møller Nielsen, mas Brian regressou a tempo da fase final, onde brilhou, antes de se retirar da selecção aos 29 anos. Actualmente é comentador televisivo e trabalha numa academia para jovens marginalizados.

Lars Olsen em 2012
Lars Olsen em 2012©UEFA.com

Lars Olsen
O capitão da Dinamarca conduziu desde a Turquia até à Escandinávia após saber da integração tardia do seu país. Totalista na Suécia, a paixão e capacidade de liderança do defesa-central foram fundamentais para o sucesso. Alcançou 69 internacionalizações como capitão, um recorde, e actualmente é seleccionador das Ilhas Faroé.

John Jensen
Projectou-se para a ribalta do futebol graças ao portentoso remate que inaugurou o marcador na final, frente à Alemanha, rumando depois ao Arsenal, onde ganhou a Taça de Inglaterra em 1993. De forma sensacional, conduziu o Herfølge à conquista do campeonato dinamarquês, como jogador/treinador, em 1999/2000. Neste momento treina no terceiro escalão.

Henrik Larsen
Marcou três dos seis golos da Dinamarca no EURO '92, um na vitória que valeu o apuramento na fase de grupos, e dois nas meias-finais, diante da Holanda, onde também facturou no desempate, mas não conseguiu dar seguimento a esse bom momento no torneio. Retirou-se em 1999 e agora trabalha na academia do Lyngby.

Claus Christiansen
Tinha duas internacionalizações antes do EURO '92 e depois disso somou apenas mais uma, mas esteve lá quando era mais importante, como o prova a assistência para o golo de Vilfort na final. Encerrou a carreira aos 28 anos e actualmente é o responsável de vendas e marketing de uma importante empresa de artigos desportivos.

Resumo: Suécia - Dinamarca
Resumo: Suécia - Dinamarca

Flemming Povlsen
Obrigado a retirar-se aos 28 anos, após romper o ligamento cruzado dos dois joelhos, o avançado foi uma grande influência no EURO '92, mesmo não tendo marcado, já que o seu esforço incansável, força e aceleração explosiva a desinquietarem os defesas. Actualmente é comentador televisivo.

Torben Piechnik
Sem internacionalizações até ao último jogo de qualificação para o EURO '92, entrou na equipa nas meias-finais e não mais saiu. Transferiu-se para o Liverpool em Setembro mas teve dificuldades de adaptação e regressou ao país-natal. Após o fim da carreira tem trabalhado como vendedor imobiliário e massagista.

Kim Christofte festeja
Kim Christofte festeja©Getty Images

Kim Christofte
Foi um dos quatro dinamarqueses totalistas no EURO '92, onde converteu o quinto e decisivo remate que eliminou a Holanda, nas meias-finais. Teve a sua primeira experiência no estrangeiro depois do EURO '92, no Colónia, só que retirou-se dois anos depois, devido a lesão.

Stefan Effenberg
A sua carreira na selecção acabou praticamente no Mundial de 1994, quando foi mandado para casa, devido a problemas disciplinares. Deu nas vistas no Bayern, onde ganhou a Bundesliga três vezes seguidas e a UEFA Champions League de 2001. Agora com 47 anos, treina o Paderborn, do segundo escalão.

Jürgen Kohler
Um dos jogadores mais eficazes da história recente na marcação individual, terminou a carreira com 105 internacionalizações e a conquista de títulos importantes, como o Mundial de 1990 (República Federal da Alemanha), a UEFA Champions League de 1997, a Bundesliga (Dortmund) e a Serie A (Juventus).

Descarregue a app do EURO