Combata a COVID-19 seguindo as indicações da Organização Mundial de Saúde e os cinco passos da FIFA para travar a propagação da doença.

1. Lavar as mãos 2. Tossir para o antebraço 3. Não tocar no rosto 4. Manter a distância física 5. Ficar em casa.
Mais informação >
 

Relatório de progresso: França cada vez melhor

Após ter visto a França mostrar a sua força em mais um amigável, o repórter David Crossan sente que a anfitriã estará nos favoritos à conquista do EURO 2016.

Karim Benzema (ao centro) festeja um dos golos frente à Arménia
Karim Benzema (ao centro) festeja um dos golos frente à Arménia ©AFP

A França está a dar cada vez melhor conta de si na preparação para o UEFA EURO 2016 e, depois de ter visto os pupilos de Didier Deschamps baterem sem problemas a Arménia, David Crossan acredita que os gauleses serão mesmo uma selecção a ter em conta no próximo Verão.

Olhar para o ataque
Antes do embate com a Arménia, um dos principais temas de conversa centrou-se no facto de Karim Benzema não conseguir transportar para a selecção de França a veia goleadora que tem evidenciado ao serviço do Real Madrid.

Actual melhor marcador da Liga espanhola, Benzema não marcava com a camisola do seu país há um ano. O bis desta quinta-feira, em Nice, apareceu pois na altura certa, chegando aos 27 golos em 81 internacionalizações.

Antoine Griezmann's first-half strike was his first for Les Bleus since November 2014 as he built on an outstanding showing against Serbia last month.

Competição pelos lugares
A excelente actuação de Lassana Diarra no regresso à selecção, após cinco anos de ausência, oferece mais uma opção a Deschamps para o meio-campo. A ausência de Paul Pogba, devido a lesão, não se fez sentir, com Diarra a actuar como médio de contenção e Yohan Cabaye a ter mais liberdade para avançar no terreno, marcando mesmo um golo.

Lassana Diarra: de volta ao seu melhor
Lassana Diarra: de volta ao seu melhor©AFP/Getty Images

O meio-campo deverá, pois, ser o ponto forte do 4-3-3 a apresentar por França no próximo Verão, com destaque para a classe de Pogba e a energia de Blaise Matuidi.

Mais à frente, também houve tempo para Anthony Martial mostrar o que vale, com a assistência para o segundo golo de Benzema, confirmando estar pronto para ter um papel mais importante na equipa e ser mais uma boa dor de cabeça para Deschamps.

Hugo Lloris, guarda-redes e capitão
Hugo Lloris, guarda-redes e capitão©AFP/Getty Images

Captain marvel 
A França não sofreu golos em dois dos últimos três jogos, mas o sector defensivo continua a preocupar. Os gauleses parecem demasiado vulneráveis em lances de bola parada e Deschamps ainda procura a dupla ideal de defesas-centrais.

A lesão de Laurent Koscielny permitiu a Mamadou Sakho voltar a jogar ao lado de Raphaël Varane, como aconteceu no Mundial do Brasil. Embora quase sempre acertados, tiveram alguns lances em que acabaram por perder a bola em zonas perigosas. Isso deu, ainda assim, oportunidade a Hugo Lloris para brilhar na baliza. Em grande como guarda-redes líbero, o capitão de equipa transmite confiança e tranquilidade aos colegas.

Eyes on the prize 
França recuperou bem de um Verão menos feliz e, com três vitórias consecutivas, reagiu da melhor forma às derrotas sofridas ante Bélgica e Albânia.

Poderá, ainda assim, repetir o feito de 1984 e sagrar-se campeã europeia a jogar em casa? Gael Andonian, defesa da Arménia que actua no Marselha, acredita que sim: "França é uma das favoritas e vai jogar em casa. Se olharmos para os jogadores que tem à disposição, pode perfeitamente acabar por erguer o troféu".

Topo