Maiores vitórias na história do EURO

Por vezes, os jogos só podiam ter mesmo um vencedor e por isso UEFA.com recorda quatro ocasiões na história do EURO em que uma equipa ganhou por uma margem de cinco ou mais golos.

Henrik Larsson marcou por duas vezes no embate entre a Suécia e a Bulgária, na fase de grupos em 2004, jogo em que os nórdicos venceram por 5-0
©Getty Images
Patrick Kluivert festeja um dos seus três golos
Patrick Kluivert festeja um dos seus três golos©Getty Images

O Campeonato da Europa sempre se caracterizou por ter jogos equilibrados e de desfecho imprevisível, mas houve alturas em que só podia haver mesmo um vencedor. O UEFA.com recorda quatro ocasiões em que uma equipa ganhou por uma margem de cinco golos ou mais em fases finais da prova.

Fase de grupos de 1984: França 5-0 Bélgica
Os anfitriões de 1984 começaram de modo hesitante a sua campanha com uma vitória por 1-0 sobre a Dinamarca, mas, no jogo de Nantes, a equipa e o seu talismã afinaram as engrenagens. Um ressalto bem aproveitado, aos quatro minutos, um penalty e um cabeceamento certeiro renderam um "hat trick" a Michel Platini, mas a influência do médio não se limitou aos golos, uma vez que empurrou a França para a vitória. O capitão da selecção gaulesa fez depois novo "hat trick" no jogo seguinte e acabou o torneio com o número recorde no EURO de nove golos.

Fase de grupos de 1984: Dinamarca 5-0 Jugoslávia

No mesmo dia em que a França goleou a Bélgica, os dinamarqueses também surpreenderam com um triunfo por cinco golos. Foi uma recuperação e tanto após a derrota no primeiro jogo, frente aos franceses, e teve Michael Laudrup em particular destaque. Apesar do resultado já estar em 2-0 aos 16 minutos, só a grande penalidade de Frank Arnesen, a meio da segunda parte, é que começou a desnivelar o marcador, antes de dois golos nos últimos oito minutos fixarem o resultado.

Quartos-de-final de 2000: Holanda 6-1 Jugoslávia
O único jogo da história de fases finais do EURO em que uma equipa conseguiu seis golos aconteceu num entusiasmante festival de futebol proporcionado pelos holandeses. Três dos tentos foram apontados por Patrick Kluivert – homem que, no ponto alto da carreira, só tinha olhos para o golo – e dois pelo veloz extremo Marc Overmars. Mas o que mais impressionou os observadores não foi o número de golos deste ou daquele jogador, foi o modo como a equipa de Frank Rijkaard desmantelou o adversário de modo tão claro.

Fase de grupos de 2004: Suécia 5-0 Bulgária
Numa altura em que já tinha abandonado a selecção, na sequência da eliminação da Suécia nos oitavos-de-final do Campeonato do Mundo de 2002, Henrik Larsson foi persuadido a regressar para o EURO 2004. O avançado marcou dois golos – um deles num espectacular cabeceamento em mergulho – e viu Fredrik Ljungberg, Zlatan Ibrahimović e Marcus Allbäck juntarem-se-lhe à lista de marcadores frente a uma Bulgária que fez pela vida mas, na prática, não teve poder de resposta.

Topo