Bierhoff vira herói da Alemanha no EURO '96

República Checa 1-2 Alemanha
Oliver Bierhoff saltou do banco para inspirar os alemães à glória.

Resumo da final do EURO '96: Alemanha 2-1 República Checa
Resumo da final do EURO '96: Alemanha 2-1 República Checa

Oliver Bierhoff saltou do banco para inspirar a Alemanha rumo à glória no EURO '96, numa final em que a equipa de Berti Vogts derrotou a República Checa, por 2-1, após prolongamento, depois de ter estado em desvantagem no marcador.

EURO '96: Tudo o que precisa de saber


Bierhoff entrou a 21 minutos do fim, quando os checos ganhavam por 1-0, graças a um golo de penálti de Patrik Berger, à passagem dos 60 minutos. O ponta-de-lança da Udinese Calcio não perdeu tempo e restabeleceu logo a seguir a igualdade, levando o jogo para um prolongamento no qual viria a garantir a vitória germânica, aos 95 minutos, no primeiro golo de ouro da história do futebol sénior internacional.

Hino da República Checa na final do EURO '96
Hino da República Checa na final do EURO '96

A história não se repetiu. Vinte anos antes, apesar de favorita, a Alemanha tinha perdido para a Checoslováquia a final do Campeonato da Europa de 1976. Em 1992, também era favorita no encontro decisivo com a Dinamarca e saiu derrotada. Na final do Mundial de 1966, igualmente em Wembley, também perdera. Chegara agora a hora da desforra.

Mesmo descontando a história descrita anteriormente, o panorama não era animador para a Alemanha. Enquanto os checos tinham conseguido recuperar Berger e três dos jogadores castigados na meia-final, os germânicos possuíam uma lista infindável de lesionados, o que levou Jürgen Klinsmann a jogar, apesar de um problema numa perna, tendo mesmo sido autorizados a acrescentar dois jogadores ao plantel convocado para o EURO.

A primeira parte não teve grandes motivos de interesse, apesar da Alemanha ter pressionado e de Stefan Kuntz ter desperdiçado duas oportunidades. Os checos defendiam com muitos homens e apostavam no contra-ataque, sobretudo através da acção de Pavel Kuka, cujo remate perigoso saiu à figura do guarda-redes alemão. O resto revelou-se um jogo de paciência.

Oliver Bierhoff é "engolido" pelos companheiros de equipa
Oliver Bierhoff é "engolido" pelos companheiros de equipaBongarts/Getty Images

Um penálti assinalado a castigar falta de Mattias Sammer sobre Karel Poborský deu vantagem à República Checa. Berger disparou a bola para a baliza e parecia que mais uma surpresa se iria verificar. Foi então que Vogts lançou Bierhoff, cuja capacidade no jogo aéreo ficou quase imediatamente demonstrada.

Um livre da direita de Christian Ziege levou a bola a sobrevoar a área checa, mas Petr Kouba não saiu de forma correcta, permitindo a antecipação, de cabeça, de Bierhoff. Vladimír Smicer, que tinha voltado a casa para se casar dois dias antes da final, esteve perto de repetir o golo no último minuto marcado à Rússia, mas Andreas Köpke mergulhou e defendeu a tentativa.

Finalmente, depois de todos os prolongamentos disputados no torneio aconteceu um golo de ouro. À entrada da área checa, de costas para a baliza, Bierhoff ganhou posição, virou-se e rematou de pé esquerdo, com a bola ainda a desviar em Michal Horňák antes de chegar a Kouba. O guarda-redes errou e deixou passar a bola por entre os dedos, permitindo que entrasse junto ao poste. A inesperada campanha da República Checa teve uma morte súbita.

Após a derrota na final anterior chegara a vez de Vogts. Ou talvez da esposa. “Leva o Oliver Bierhoff contigo”, ter-lhe-á dito. “Ele vai recompensar-te.”

Reacções

Matthias Sammer, defesa da Alemanha: "Foi óptimo para o Oliver Bierhoff ter marcado esses dois golos, já que não jogou muito e não estava a ser fácil para ele. O Olivier era um típico avançado-centro: não era o melhor jogador tecnicamente, mas era muito boa e merecia tudo. Todos ganhámos, mas ele mereceu."

EURO '96: Equipa do Torneio


Equipas

A Rainha Elizabete II cumprimenta os jogadores da República Checa em Wembley
A Rainha Elizabete II cumprimenta os jogadores da República Checa em WembleyIcon Sport via Getty Images

República Checa: Kouba; Suchopárek, Kadlec (c), Horňák,; Nĕmec, Rada, Bejbl, Berger, Nĕdved, Poborský (Šmicer 88); Kuka
Suplentes: Nĕmeček, Drulák. Frýdek, Kubík. Srníček, Kotůlek, Novotný, Kerbr, Maier
Treinador: Dušan Uhrin

Alemanha: Köpke; Ziege, Helmer, Sammer, Babbel, Strunz; Hässler, Eilts (Bode 46), Scholl (Bierhoff 69); Klinsmann (c), Kuntz
Suplentes: Kahn, Schneider, Reck
Treinador: Berti Vogts

Árbitro: Pierluigi Pairetto (Itália)

Melhor em Campo: Karel Poborský (República Checa)

Conteúdos relacionados