Suécia e Turquia adiam decisões

Suécia 0-0 Turquia
A Itália foi a principal beneficiada com o empate a zero, pois garantiu a passagem aos quartos-de-final com um jogo ainda por disputar.

O turco Okan Buruk (e, primeiro plano) segura a bola perante a presão do sueco Johan Mjällby
O turco Okan Buruk (e, primeiro plano) segura a bola perante a presão do sueco Johan Mjällby ©Getty Images

Suécia e Turquia empataram a zero num jogo em que ambas precisavam de mais, num encontro a contar para o Grupo B do UEFA EURO 2000 realizado em Eindhoven. O único aspecto positivo que veio deste jogo foi que a Itália é já a primeira equipa a estar nos quartos-de-final da competição. Deste modo a Suécia e Turquia precisam de ganhar o seu próximo jogo, e esperar que nas outras partidas as coisas também corram a seu favor.

Depois de derrotadas no primeiro jogo, as duas equipas fizeram várias alterações para este jogo. Com Patrick Andersson suspenso e Roland Nilsson lesionado, Gary Sundgren e Teddy Lucic entraram para a defesa sueca, com  Olof Mellberg a deslocar-se para o centro da defesa para tomar o lugar de Andersson. Håkan Mild e Henrik Larsson foram também chamados à equipa. No lado turco Mustafa Izzet estreou-se pela selecção, enquanto Arif Erdem, Hakan Ünsal e Suat Kaya foram chamados ao "onze" inicial.

O efeito de tanta mudança, fez com que as duas equipas passassem os momentos iniciais a familiarizarem-se de novo. Um livre de Kennet Andersson, aos três minutos, proporcionou atenta defesa a Rüstü. A Turquia respondeu aos oito através de Ümit que rematou por cima após centro de Hakan Sükür, e de um pontapé acrobático de Arif que foi para fora.

O jogo tornou-se ainda mais desinteressante à medida que o tempo corria, e o único ataque de qualidade quase deu golo aos 29 minutos. Niclas Alexandersson e Larsson combinaram bem na esquerda, soltando a bola para Kennet Andersson, que viu o seu remate ser defendido por Rüstü com os pés. Outro bom movimento, aos 41 minutos, ocorreu a passe do influente Lucic que isolou Fredrik Ljungberg, mas o avançado do Arsenal não chegou à bola quando tinha apenas o guarda-redes para bater.

A toada sueca continuou na segunda parte, pressionando mais, mas com poucas ocasiões de golo. A Suécia fez entrar Jörgen Pettersson e Anders Andersson para espicaçar o ataque, mas apesar do domínio, nada de palpável se viu. A Turquia procurou o mesmo pondo em campo Sergen e Tugay. O atacante turco foi o autor do único verdadeiro momento de perigo na segunda parte, aos 71 minutos. Aproveitando um mau alívio de Joachim Björklund, ele isolou-se perante o mau posicionamento da defesa sueca, disparando forte para defesa de Magnus Hedman e Okan rapidíssimo chegou cedo ao ressalto mas chutou muito por alto.

Ambas as equipas só no fim perceberam que o empate talvez fosse insuficiente para as suas aspirações na prova, pelo que abriram mais o jogo. Hakan Ünsal escapou pela esquerda aos 84 minutos, mas o seu perigoso cruzamento cruzou toda a área sueca sem que nenhum companheiro aparecesse para finalizar. A Suécia teve a sua derradeira oportunidade com um livre batido em arco por Pettersson a 25 metros, mas que passou a rasar a barra.

Topo