Alemanha mais forte que Itália nos penalties

Alemanha 1-1 Itália (Alemanha vence 6-5 nos penalties)
Mesut Özil e Leonardo Bonucci marcaram na segunda parte, mas o jogo só foi decidido no desempate, com Jonas Hector a cobrar o remate decisivo.

EURO 2016 highlights: Germany 1-1 Italy (6-5 pens)
EURO 2016 highlights: Germany 1-1 Italy (6-5 pens)
  • Alemanha vence 6-5 nas grandes penalidades, após igualdade a um golo
  • Hector marca o penalty decisivo depois de Darmian falhar, num desempate com 18 tentativas
  • Müller, Özil e Schweinsteiger falham pela Alemanha
  • Zaza, Pellè e Bonucci erram pela Itália
  • Alemanha vence Itália pela primeira vez em nove jogos em fases finais
  • Özil inaugura marcador na segunda parte; Bonucci empata de penalty
  • Alemanha defronta França ou Islândia, a 7 de Julho, em Marselha


A Alemanha apurou-se para as meias-finais do UEFA EURO 2016 ao derrotar, em Bordéus, a Itália, no desempate por grandes penalidades. O campeão do Mundo defrontará o vencedor do duelo de domingo, entre a anfitriã França e a surpreendente Islândia, após ter logrado, à nona partida, a primeira vitória sobre os italianos em fases finais de grandes competições.
O jogo começou com bastantes cautelas de parte a parte e, no primeiro quarto-de-hora, o único momento digno de registo foi a lesão de Sami Khedira e a consequente substituição pelo capitão Bastian Schweinsteiger. O médio do Manchester United estaria em evidência aos 25 minutos, ao colocar a bola no fundo das redes, mas apoiando-se irregularmente em Mattia De Sciglio.
 
Os derradeiros minutos da primeira parte conheceriam mais emoção. Primeiro através de um remate de Mario Gomez ao lado e depois com um remate enrolado de Thomas Müller, em boa posição, à figura de Gianluigi Buffon, pelo lado alemão. A Itália respondeu através de um bom remate de Sturaro, mas que encontrou Jérôme Boateng pelo caminho.
 
A segunda parte foi um verdadeiro "clássico" dos jogos entre estas duas selecções, com as oportunidades a sucederem-se. A Alemanha voltou a entrar mais forte e Müller ficou, uma vez mais, perto de marcar. O remate era colocadíssimo, mas foi interceptado de forma acrobática por Alessandro Florenzi.
 
Adivinhava-se, portanto, o golo alemão, que chegaria aos 65 minutos, por intermédio de Mesut Özil, surgindo na pequena-área a desviar o passe atrasado de Jonas Hector, após bom trabalho de Gomez na esquerda.
 
Dois minutos volvidos, Özil desmarcou Gomez, que tentou a finalização de calcanhar na cara de Buffon, mas Chiellini impediu isso com um desarme que só não resultou em autogolo porque Buffon fez uma das melhores defesas do torneio.
 
Tal como acontecera com Khedira, também Gomez saiu lesionado, dando lugar a Draxler. No entanto, a Itália procurava o empate com cada vez mais afinco e, depois de um remate de primeira de Graziano Pellè ao lado, após bom trabalho de Emmanuele Giaccherini, este surgiria mesmo, mas de forma totalmente inesperada.
 
Boateng disputou um lance aéreo com Giorgio Chiellini de braços bem estendidos e acabou por tocar na bola com um deles. Chamado à conversão, Leonardo Bonucci, que jamais havia tentado cobrar um penalty em jogos oficiais, excepto em desempates, colocou a bola bem no canto, tornando infrutífera a estirada de Neuer.
 
A decisão chegaria aos penalties, uma vez que o resultado não conheceria alterações até lá, isto porque até o prolongamento foi escasso em oportunidades dignas de registo. E o desempate teve toda a emoção que faltara durante os 120 minutos.
 
Lorenzo Insigne e Toni Kroos marcaram e Simone Zaza, que entrara só para as grandes penalidades, falhou. Müller desperdiçou em seguida (defesa de Buffon), algo que também aconteceria com Özil (ao poste) e Schweinsteiger (por cima), este quando tinha a vitória nos pés, depois de Bonucci, que marcara dos 11 metros no tempo regulamentar, ter permitido a defesa de Neuer. Na fase a eliminar, Mattia Darmian permitiu a defesa de Neuer e Jonas Hector foi o herói, ao fazer a bola passar por baixo do corpo de Buffon, que ainda tocou no esférico.

Melhor Em Campo: Manuel Neuer

Topo