O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Turquia vence e sonha com o apuramento

República Checa 0-2 Turquia
Golos de Burak Yılmaz e Ozan Tufan relegaram os checos para o último lugar e permitem à Turquia ficar a sonhar com o apuramento.

Resumo do EURO 2016: República Checa 0-2 Turquia
Resumo do EURO 2016: República Checa 0-2 Turquia
  • Turquia ultrapassa República Checa na classificação e pode vir a ser um dos quatro melhores terceiros 
  • Golo de Burak Yilmaz, aos 10 minutos, foi o 21º do atacante pela Turquia 
  • Ozan Tufan amplia a vantagem com um remate perto da pequena área
  • Checos, eliminados, lamentam oportunidades desperdiçadas na primeira parte

A equipa turca garantiu o terceiro lugar no Grupo D ao  derrotar a República Checa, aguardando agora pelo desfecho dos jogos de quarta-feira para saber se vai estar ou não nos oitavos-de-final. Já os checos regressam a casa com somente um ponto.

EURO 2016: Tudo o que precisa saber

A Turquia estava a apresentar um futebol pouco vertical, circulando em demasia o esférico, até aos nove minutos, altura em que Emre Mor sacudiu o jogo com uma arrancada pela direita finalizada com uma assistência perfeita superiormente aproveitada pelo atacante Burak Yilmaz perto da pequena área.

O conjunto checo tinha entrado melhor na partida, mas uma perda de bola no meio-campo deu espaço para a Turquia construir, em contra-ataque, o seu primeiro golo na competição.

A República Checa ficava assim, muito cedo, numa posição complicada para alcançar o objectivo da qualificação para os “oitavos” e aos 16 minutos o poste esquerdo da baliza à guarda de Babacan atrasou a tarefa de recuperação dos checos, após um cabeceamento do central Sivok, na sequência de um pontapé de canto na direita.

O gigante avançado Mecid também esteve perto da igualdade à passagem do minuto 23 (remate por cima do travessão na grande área) e antes da meia-hora voltou a estar em evidência com uma excelente assistência de cabeça que Kadeřábek desaproveitou já na pequena área.

Estrela da Turquia no EURO: Arda Turan
Estrela da Turquia no EURO: Arda Turan

Apesar das boas intenções de Emre More, a Turquia não voltou a  conseguir ameaçar seriamente a baliza checa até ao intervalo, muito por culpa da intensa pressão alta dos checos que, aos 37 minutos, viram o guardião Babacan defender um violento remate de meia-distância de Plasil através dos seus apurados reflexos.

A poucos segundos da chegada do intervalo, as hipóteses de apuramento da equipa checa complicaram-se ainda mais com o golo da igualdade da Croácia frente à Espanha (os checos já só poderiam sonhar com o terceiro lugar face ao empate no outro jogo do grupo).

Dado que o resultado no final da primeira parte não servia os interesses das duas equipas, aguarda-se com alguma expectativa a evolução dos próximos 45 minutos e os intervenientes não desiludiram.

A Turquia, através da velocidade do inevitável Emre Mor, finalmente conseguiu estar perto do segundo golo (58 minutos), mas pouco tempo depois Mecid respondeu com um remate só que voltou a ver Babacan exibir a sua concentração.

No entanto, a sorte do jogo voltou a virar as costas aos checos ao minuto 64 com a concretização do segundo golo da Turquia. O remate certeiro de Ozan Tufan foi espectacular, mas o seu colega de equipa, Mehmet Topal estava ligeiramente adiantado antes do remate de Tufan.

O tento de Tufan foi celebrado de forma efusiva uma vez que fazia aumentar as hipóteses da Turquia ser um dos melhores terceiros, no entanto, os checos não desanimaram e lutaram até ao final pelo golo.

Ou seja, as duas equipas colocaram o seu orgulho em campo para deixarem a melhor imagem possível no último jogo do grupo. Mas a República Checa acabou por não conseguir ameaçar, pelo menos, o empate e disse adeus à prova.

EURO 2016: Equipa do Torneio
República Checa alinhada no Stade Bollaert-Delelis
República Checa alinhada no Stade Bollaert-DelelisGetty Images


Equipas

República Checa: Čech (c); Kadeřábek, Sivok, Hubník, Pudil; Darida, Pavelka (Škoda 57), Plašil (Kolář 90), Dočkal (Šural 71), Krejčí; Necid
Suplentes: Vaclík, Koubek, Kadlec, Darida, Selassie, Suchý, Limberský, Rosický, Skalák, Lafata
Seleccionador: Pavel Vrba

Turquia: Babacan; Gönül, Topal, Balta, Köybaşi; Ozan Tufan, İnan, Turan (c), Mor (Şahan 69), Şen (Özyakup 61); Yılmaz (Cenk Tosun 90)
Suplentes: Kıvrak, Tekin, Kaya, Çalik, Şahin, Mallı, Ozbayrakli, Erkin, Hakan Çalhanoğlu
Seleccionador: Fatih Terim

Árbitro: Willie Collum (Escócia)