Mourinho torce pelo Benfica

Eliminado pelo Barcelona, o treinador do Chelsea, José Mourinho, revelou quem gostaria que fosse o novo campeão europeu: o Benfica.

Eliminado da UEFA Champions League pelo FC Barcelona, o treinador do Chelsea FC, José Mourinho, aproveitou a conferência de imprensa que se seguiu ao empate entre as duas equipas para revelar quem agora gostaria que fosse o novo campeão europeu. A escolha do técnico português recaiu, precisamente, pela sua nacionalidade, no Benfica, que esta quarta-feira mede forças com o actual detentor do troféu, o Liverpool FC. Ainda em prova, o treinador do Barça, Frank Rijkaard, mesmo tendo destacado o "espectacular" Ronaldinho, foi rápido em elogiar a forma como a sua equipa deu "muito poucas hipóteses" aos londrinos de recuperarem da derrota da primeira mão.

Frank Rijkaard, treinador do Barcelona
Não sou uma pessoa que acredite em vingança. Era muito importante continuar numa prova tão espectacular. Para mim, não me interessa quem temos de derrotar, porque o que temos é de continuar em prova. Creio que a equipa trabalhou muito bem e de forma bastante séria. Consentimos ao nosso adversário muito poucas oportunidades. O golo de Ronaldinho foi espectacular, não apenas pela forma como o criou, mas igualmente pela velocidade que aplicou. Eles defenderam muito bem e foram muito duros, mas ele criou a oportunidade e fez algo bastante especial, mas ele é um jogador especial. Estou muito feliz por termos continuado em prova frente a uma grande equipa. Mas temos de continuar a trabalhar. Foi muito complicado eliminar o Chelsea, mas temos de nos preparar para o próximo jogo, porque o nível da UEFA Champions League é bastante elevado.

José Mourinho, técnico do Chelsea
Jogámos com dez jogadores durante a maior parte da primeira mão, pelo que não vimos dois jogos de 11 jogadores contra outros 11. O Barça é uma grande equipa e desejo-lhe toda a sorte do Mundo. A este nível, são os pequenos detalhes que fazem a diferença e agora temos de nos concentrar na Premiership e na Taça de Inglaterra. Na época passada, eles assistiram aos quartos-de-final na televisão. Esta época, é a nossa vez. O resultado decisivo foi o de Stamford Bridge e as estatísticas mostram que, quando se perde por 2-1 em casa para a UEFA Champions League, é muito difícil dar a volta a uma eliminatória. O Barça jogou hoje de forma diferente. Foram mais defensivos e fizeram bastante pressão. Sabíamos que tínhamos de marcar um golo e mesmo que chegasse aos 86 minutos, ainda teríamos possibilidades. Agora, quero que seja o Benfica a vencer a prova. Sou português e mesmo tendo trabalhado no Barcelona durante quatro anos, quero que seja uma equipa portuguesa a conquistar a UEFA Champions League.

Topo