Sorteio da fase de grupos da Champions League: Pote 3

Tudo o que precisa de saber sobre as oito equipas do Pote 3, antes do sorteio da fase de grupos, na quinta-feira.

O alinhamento do Pote 3 para o sorteio da fase de grupos da UEFA Champions League
O alinhamento do Pote 3 para o sorteio da fase de grupos da UEFA Champions League ©UEFA.com

Lyon (FRA)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 27º
Como se apurou: terceiro na Ligue 1
Melhor desempenho na prova: meias-finais (2009/10)

O que esperar: Duas vezes vencedor da UEFA Champions League com o Barcelona, Sylvinho rendeu Bruno Génésio como treinador do OL, com a lenda do clube, Juninho Pernambucano, a passar a desempenhar a função de director desportivo. Os dois brasileiros não procederam a grandes alterações, mas o Lyon deve continuar competitivo, isto apesar de ter perdido Nabil Fekir para o Bétis.

Bayer Leverkusen (GER)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 28º
Como se apurou: quarto classificado na Alemanha
Melhor desempenho na prova: finalista vencido (2001/02)

O que esperar: O Leverkusen perdeu Julian Brandt mas as chegadas de Nadiem Amiri e Kerem Demirbay devem preencher a sua saída, com a formação alemã a manter a qualidade habitual. O conjunto germânico apontará, pelo menos, à passagem na fase de grupos

Salzburgo (AUT)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 29º
Como se apurou: campeão austríaco
Melhor desempenho na prova: fase de grupos (1993/94)

O Salzburgo comemora o título austríaco
O Salzburgo comemora o título austríaco©Getty Images

O que esperar: Marco Rose partiu para o Mönchengladbach com o novo treinador, Jesse Marsch, a tentar reformular a equipa depois de terem saído 11 jogadores durante o Verão. Ainda assim, os campeões austríacos devem apostar na juventude, algo que tem dado frutos nos últimos anos. Uma equipa a ter em conta.

Olympiacos (GRE)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 35º
Como se apurou: segundo classificado na Grécia, vencedor do "play-off"
Melhor desempenho na prova: quartos-de-final (1998/99)

O que esperar: No grupo da Juventus e do Barcelona em 2017/18, o Olympiacos teve uma fase de grupos complicada. No entanto, a equipa de Pedro Martins, com forte sotaque português, mostrou qualidade ao progredir na fase de grupos da UEFA Europa League da temporada passada, denotando capacidade defensiva acima da média, com cinco jogos sem sofrer golos nos encontros de qualificação este Verão.

Club Brugge (BEL)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 37º
Como se apurou: segundo na Liga belga, vencedor do "play-off"
Melhor desempenho na prova: finalista vencido (1977/78)

O que esperar: Após ter perdido todos os seus seis jogos em 2016/17, o Club Brugge fez melhor na época passada, somando seis pontos num grupo exigente. Podem beneficiar da experiência do treinador Philippe Clément. O antigo defesa representou o clube em três fases de grupos na década passada, tendo agora guiado a bom porto a equipa na fase de qualificação.

Valência (ESP)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 39º
Como se apurou: quarto classificado em Espanha
Melhor desempenho na prova: finalista vencido (duas vezes, mais recentemente em 2000/01)

O que esperar: Um conjunto forte. O treinador Marcelino possui um grupo coeso, que sofre poucos golos, trabalha muito no meio-campo e muito móvel na frente. O recém-chegado Maxi Gómez irá melhorar ainda mais um dos melhores ataques na Europa.

Internazionale Milano (ITA)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 46º
Como se apurou: quarto classificado em Itália
Melhor desempenho na prova: vencedor (três vezes, mais recentemente em 2009/10)

Recorde a vitória do Inter em 2010
Recorde a vitória do Inter em 2010

O que esperar: Fúria. Antonio Conte levará sua filosofia habitual para o Inter, com o novo atacante Romelu Lukaku e os médios Stefano Sensi e Nicolò Barella a representarem a sua abordagem de "comigo ou contra mim". Os "nerazzurri" devem ser muito difíceis de bater com Conte no banco e com Diego Godín a comandar uma defesa muito sólida.

Dínamo Zagreb (CRO)

Ranking do coeficiente da UEFA (final de 2018/19): 51º
Como se apurou: campeão croata, vencedor do "play-off"
Melhor desempenho na prova: fase de grupos (seis vezes, mais recentemente em 2016/17)

O que esperar: O Dínamo quer, decerto, esquecer a sua mais recente participação na fase de grupos, em 2016/17, quando perdeu os seus seis jogos disputados sem conseguir marcar um único golo. Contudo, depois de ter ultrapassado três rondas de qualificação (eliminando o Rosenborg no "play-off"), a formação croata deve estar pronta para fazer melhor.

Topo