Lucas Moura, Pochettino e o "presente de Deus" para o Tottenham

Dan Thacker, repórter do Tottenham, refere que o triunfo se deveu à crença inabalável e a um "super-herói" chamado Lucas Moura.

Lucas Moura desfruta do momento depois da reviravolta do Tottenham
Lucas Moura desfruta do momento depois da reviravolta do Tottenham ©Getty Images

A milagrosa reviravolta do Tottenham frente ao Ajax na segunda mão das meias-finais foi, segundo Lucas Moura, autor de um “hat-trick” na segunda parte, um "grande presente de Deus". A crença inabalável foi uma constante na jornada do clube inglês até a primeira final da UEFA Champions League.

Mesmo assim, apesar de todo o discurso sobre crença e depois do que todos os seus jogadores passaram esta época, o treinador dos Spurs, Mauricio Pochettino, deve, bem lá no fundo, ter duvidado se a sua equipa seria capaz desta espetacular proeza, até que Moussa Sissoko fez um passe desesperado nos instantes finais do encontro em Amesterdão.

Veja: Ajax 2-3 Tottenham
Veja: Ajax 2-3 Tottenham

O remate de Jan Vertonghen foi devolvido pela trave e o Ajax, motivado pelo seu próprio sentido de destino, ia conseguindo repelir os últimos ataques do Tottenham e estava cada vez mais próximo da primeira final em mais de 20 anos. No entanto, a intervenção de Lucas Moura, que muitos adeptos dos Spurs acreditam ser divina, leva a que seja o Tottenham a estar em Madrid a 1 de Junho.

A capital de Espanha parecia muito distante na visita anterior do clube à Holanda, no final de Outubro, quando os Spurs empataram 2-2 com o PSV Eindhoven, rival do Ajax na Eredivisie. Após este resultado, Pochettino reconheceu que as esperanças da sua equipa tinham “quase terminado” e que as hipóteses de ultrapassar a fase de grupos eram “mínimas".

Pochettino festeja em Amesterdão
Pochettino festeja em Amesterdão©Getty Images

Poucas hipóteses, no entanto, não é exatamente a mesma coisa do que eliminação. Esta reviravolta em Amesterdão acabou por ser um resumo da campanha europeia do Tottenham, marcada pela emoção e por um objectivo único.

Harry Kane assinou aos 89 minutos o golo do triunfo sobre o PSV em Londres, enquanto Christian Eriksen só apontou aos 80 minutos o golo da vitória sobre frente ao Inter. Lucas Moura também já tinha feito algo semelhante ao marcar a cinco minutos do final no empate em Barcelona na última jornada da fase de grupos.

Moura guardou a bola de jogo
Moura guardou a bola de jogo©Getty Images

Isto superou tudo, foi a maior noite da história moderna do Tottenham. “Obrigado futebol, obrigado aos meus jogadores", afirmou Pochettino. "Tenho um grupo de jogadores que são heróis. A segunda parte foi incrível. Só é possível viver este tipo de emoções no futebol.”

Veja: Pochettino reage ao emocionante triunfo do Tottenham
Veja: Pochettino reage ao emocionante triunfo do Tottenham

O herói do jogo, Lucas Moura, também se referiu ao tema da crença de Pochettino - e do Tottenham - no final do encontro. "Sempre acreditei neste momento", afirmou. "Demos tudo em campo e merecemos este momento, somos uma família. É o melhor dia da minha carreira.”

Para Pochettino, a crença da sua equipa está espelhada no facto de se terem tornado nos primeiros de sempre a chegar à final depois de somar apenas um ponto nos primeiros três jogos da fase de grupos. O sonho do Tottenham não fica por aqui.

Topo