Equipa do Ano Ideal: o melhor "onze" de sempre

Após o anúncio da Equipa do Ano 2018 dos Adeptos do UEFA.com, apresentamos o "onze" mais escolhido de sempre.

Equipa do Ano Ideal
Equipa do Ano Ideal ©UEFA.com

Que jogadores foram mais vezes escolhidos, em cada posição, para a Equipa do Ano do UEFA.com? Fizemos as contas e formámos o melhor "onze" de sempre.

EQUIPA DO ANO DE 2018

GUARDA-REDES

Iker Casillas – 6 (2007, 08, 09, 10, 11, 12)
Real Madrid/Porto e Espanha
Capitão da campeã Espanha no UEFA EURO 2008 e no UEFA EURO 2012, ergueu também o troféu de vencedor pelo seu país no Campeonato do Mundo de 2010 – e esses foram apenas três dos seis anos em que foi eleito para a Equipa do Ano. Gianluigi Buffon foi escolhido em cinco ocasiões.

DEFESAS

Veja quem está na Equipa do Ano de 2018
Veja quem está na Equipa do Ano de 2018

Sergio Ramos – 7 (2008, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18)
Real Madrid e Espanha
Sete presenças seguidas dizem muito sobre o defesa do Real Madrid, cuja primeira eleição surgiu bem cedo, quando ajudou a Espanha a chegar à glória no UEFA EURO 2008. Em 2017, distanciou-se na lista de defesas mais vezes escolhidos.

Gerard Piqué – 5 (2010, 11, 12, 15, 16)
Barcelona e Espanha
Nomeado para a Equipa do Ano nove vezes nas últimas dez edições, e eleito em cinco delas, Piqué continua a exibir-se com uma consistência invejável ao serviço de clube e selecção. Dani Alves igualou-o com cinco eleições para a Equipa do Ano ao integrar a formação de 2017, mas Piqué tem mais nomeações, nove, contra sete do brasileiro; Lahm soma dez.

Carles Puyol – 6 (2002, 05, 06, 08, 09, 10)
Barcelona e Espanha
Viveu uma era de sonho a partir de 2005, tendo conquistado a UEFA Champions League pelo Barça em 2006, 2009 e 2011, bem como o UEFA EURO 2008 e o Campeonato do Mundo de 2010 enquanto pilar da defesa da selecção do seu país.

Philipp Lahm – 5 (2006, 08, 12, 13, 14)
Bayern e Alemanha
Lahm tem sido um dos jogadores mais consistentes da Europa ao longo da última década e viu a sequência de três eleições consecutivas para a Equipa do Ano chegar ao fim em 2015.

MÉDIOS

O melhor momento de Gerrard: resumo da final de 2005
O melhor momento de Gerrard: resumo da final de 2005

Steven Gerrard – 3 (2005, 06, 07)
Liverpool e Inglaterra
É um dos sete médios que contam no currículo com três eleições, feito no qual Luka Modrić foi o último a entrar. Porém, as sete nomeações de Gerrard desempataram e permitiram à lenda do Liverpool garantir um lugar no melhor "onze" da Equipa do Ano à custa de Modrić (seis nomeações), Kaká (cinco), Ronaldinho (quatro), Kroos (quatro), Pavel Nedvěd (três) e Zinédine Zidane (três).

Xavi Hernández - 5 (2008, 09, 10, 11, 12)
Barcelona e Espanha
Embora tenha estado entre os nomeados em 2005, Xavi apenas figurou pela primeira vez na Equipa do Ano à segunda, em 2008. A partir daí, somou cinco eleições consecutivas graças aos êxitos sem precedentes obtidos com a camisola do seu clube e da sua selecção.

Andrés Iniesta – 6 (2009, 10, 11, 12, 15, 16)
Barcelona e Espanha
Tal como Xavi, parceiro de meio-campo, assim que somou a primeira eleição Iniesta manteve-se firme na Equipa do Ano até 2013; voltou às escolhas em 2015 e 2016.

AVANÇADOS

Veja: os melhores momentos de Ronaldo na fase de grupos
Veja: os melhores momentos de Ronaldo na fase de grupos

Cristiano Ronaldo – 12 (2004, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18)
Manchester United/Real Madrid/Juventus e Portugal
Nomeado por 15 vezes, registo recorde, o astro português figurou nada mais, nada menos do que 13 vezes na Equipa do Ano, mais três do que qualquer outro jogador. A eleição para a equipa de 2018 assinala a sua 12ª presença seguida.

Lionel Messi – 9 (2008, 09, 10, 11, 12, 14, 15, 16, 17, 18)
Barcelona e Argentina
Tal como Ronaldo, Messi começou por ser categorizado como médio nas nomeações, tendo sido nessa posição que arrecadou a primeira das 13 nomeações consecutivas em 2006. Falhou a presença na Equipa do Ano apenas uma vez, em 2013, desde a estreia em 2008.

Thierry Henry – 5 (2001, 02, 03, 04, 06)
Arsenal e França
Candidato nas primeiras seis edições da votação. A consistência das exibições de Henry era tal que foi eleito cinco vezes para a Equipa do Ano, incluindo nas primeiras quatro – o único jogador a ter conseguido tal feito.

Topo