Ribéry vai deixar o Bayern: o que faz dele especial?

Franck Ribéry vai deixar o Bayern no final da época e por isso explicamos por que merece ser considerado um dos grandes dos tempos modernos.

Franck Ribéry festeja com o troféu da UEFA Champions League conquistado após a final de 2013
Franck Ribéry festeja com o troféu da UEFA Champions League conquistado após a final de 2013 ©Getty Images

Vencedor da UEFA Champions League em 2013 e oito vezes vencedor da Bundesliga, Franck Ribéry vai deixar o Bayern no final desta temporada e após 12 épocas no gigante de Munique. O UEFA.com presta homenagem ao francês.

Testemunhos de especialistas


"Uma década no mesmo clube - e logo no Bayern, onde a exigência é máxima - não deixar de ser uma proeza notável, tanto mais que sempre foi um jogador importante.”

Ottmar Hitzfeld, antigo treinador do Bayern

"Os grandes sucessod do Bayern ao longo dos últimos anos estão ligados ao nome de Franck Ribéry. É um artista de eleição e muito querido entre os adeptos."
Karl-Heinz Rummenigge, presidente do Bayern

"Quando o contratámos foi como ganhar a lotaria."
Franz Beckenbauer, antigo capitão e treinador do Bayern

"Quer sempre que a equipa jogue bem. Coloca sempre a equipa em primeiro lugar, mesmo antes de si".

Mats Hummels, defesa do Bayern

"Franck Ribéry é insubstituível. Mantenho uma relação especial com o Franck. Recebeu-me e ajudou-me desde o início. Sabemos como é importante para nós".
David Alaba, defesa do Bayern

Números actuais

França: 81 jogos, 16 golos
Competições de clubes da UEFA: 117 jogos, 25 golos
Competições nacionais: 517 jogos, 128 golos

Provas conclusivas

Ribéry com o troféu da UEFA Champions League em 2013
Ribéry com o troféu da UEFA Champions League em 2013©AFP

• Ribéry foi o jogador decisivo quando, em 2012/13, o Bayern se tornou no primeiro clube alemão a fazer a tripla com a conquista da UEFA Champions League, Taça da Alemanha e Bundesliga. Influente durante toda a temporada, o francês combinou com Arjen Robben para criar o golo da vitória sobre o Dortmund na final de Wembley. “Deseja o sucesso de toda a equipa e coloca o talento individual ao serviço de um bem maior", escreveu Jupp Heynckes na Kicker sobre o contributo de Ribéry.

• Ribéry levou a melhor sobre Lionel Messi e Cristiano Ronaldo na corrida pelo prémio de Jogador do Ano da UEFA em 2013. "Este prémio vem coroar um ano muito especial", afirmou, depois de ter sido o quarto jogador do Bayern, após Gerd Müller, Franz Beckenbauer e Rummenigge, a ganhar o prémio de Jogador do Ano da UEFA ou a Bola de Ouro.

• Com 36 anos, Ribéry sempre gostou de ser o centro das atenções. O primeiro golo que marcou ao serviço do Bayern foi uma grande penalidade à Panenka frente ao Werder Bremen. A colecção pessoal de golos bonitos foi crescendo com o tempo, com destaque para um sensacional disparo de primeira contra o Mönchengladbach em 2013 e um belo chapéu ao Plzeň no final desse ano.

• Tem 422 jogos pela equipa principal dos gigantes bávaros desde que foi contratado ao Marselha em 2007, sendo o jogador estrangeiro com mais encontros disputados pelo Bayern, tendo ultrapassado o actual director desportivo, Hasan Salihamidžić (365), em Dezembro de 2017. Os oito títulos da Bundesliga também fazem de Ribéry o jogador não alemão com mais títulos na história do Bayern.

• As exibições de Ribéry na época de estreia no Bayern levaram a que fosse eleito Jogador do Ano de 2008 na Alemanha, tornando-o no segundo estrangeiro a conquistar o troféu (depois de Ailton em 2004). Nesse ano ganhou também pelo segundo ano consecutivo o troféu equivalente em França.

O que pode não saber

Basta um olha: Alaba e Ribéry
Basta um olha: Alaba e Ribéry©Getty Images

• Ribéry mantém uma grande amizade com Alaba, colega de equipa no Bayern. “Entendemo-nos muito bem", afirmou Ribéry em 2013. "Nem precisamos falar - dentro e fora do campo - basta um olhar rápido para saber o que ele vai fazer a seguir”. Alaba respondeu: “O Franck não é apenas um jogador de futebol de classe mundial, é também uma excelente pessoa. Não despreza os jogadores mais jovens, trata todos por igual”.

• O francês é famoso pela partidas que gosta de pregar, como por exemplo cortar os dedos das meias de Daniel Van Buyten no autocarro da equipa. No entanto, foi em 2008 que fez a sua partida mais famosa. Na companhia de Van Buyten, esperou no telhado do centro de estágio do Bayern para despejar baldes de água gelada sobre Oliver Kahn quando o temível guarda-redes se preparava para entrar no carro.

Papin: O ídolo de Ribéry
Papin: O ídolo de Ribéry©Getty Images

• Ribéry trabalhou brevemente com o pai como operário antes da carreira no futebol evoluir. “Percebi quão difícil era o trabalho do meu pai", recordou o extremo. "Também entendi que aquele trabalho não era para mim. Tinha obrigatoriamente de ter sucesso no futebol”.

• Apelidado de "Ferraribéry" no Galatasaray devido à sua velocidade, Ribéry ganhou a alcunha de "Kaiser Franck" (Rei Franck) em Munique, onde é adorado pelos adeptos do Bayern.

Discurso directo

"Não quero pensar no que vem a seguir porque desfrutar de cada dia que tenho aqui na minha equipa nas próximas três semanas. Não sei onde irei continuar a jogar futebol. É claro que continuarei a jogar, mas não estou 100% certo onde."

"Na minha primeira época não jogámos na Champions League, estávamos na Taça UEFA. O Bayern era um grande clube naquela época, mas agora é ainda maior. É agradável ver tudo o que conquistámos nos últimos dez anos. Dei o meu contributo para ajudar o clube a chegar até onde está e o Bayern, obviamente, também foi decisivo na minha evolução. A minha relação com o Bayern é especial."

“Tornei-me mais alemão no tempo que passei aqui. A minha mentalidade e a minha família são alemãs. Já criámos raízes aqui.”

Topo