Dupla brasileira do Shakhtar em exclusivo

Em destaque na época de estreia pelo Shakhtar, os brasileiros Maycon e Júnior Moraes entrevistaram-se um ao outro em exclusivo para o UEFA.com.

Júnior Moraes festeja o primeiro dos seus dois golos no empate 2-2 do Shakhtar em Lyon
Júnior Moraes festeja o primeiro dos seus dois golos no empate 2-2 do Shakhtar em Lyon ©AFP/Getty Images

Em destaque na época de estreia pelo Shakhtar, treinado por Paulo Fonseca, os brasileiros Maycon e Júnior Moraes entrevistaram-se um ao outro em exclusivo para o UEFA.com numa conversa marcada pela boa disposição.

Maycon: Fala sobre jogar na Europa e, nesta época, na Champions League...

Júnior Moraes: Como os melhores jogadores e melhores clubes estão na Europa, este era o meu sonho e o meu objectivo. Jogar na Champions League é, claro, especial. Quanto o hino toca, não interessa que tenhamos jogado dez, 20 ou 100 jogos na prova. É sempre especial.

Veja o golaço de Maycon dar o empate ao Shakhtar frente ao Hoffenheim
Veja o golaço de Maycon dar o empate ao Shakhtar frente ao Hoffenheim

Maycon: Como analisas o treinador Paulo Fonseca e o quanto importante tem sido trabalhar com ele esta temporada?

Júnior Moraes: Já o afirmei mais que uma vez que ele foi uma das razões na minha decisão em vir jogar para o Shakhtar. Analisei muitas coisas. Gosto da forma de jogar do Shakhtar: um futebol de ataque, no qual a equipa tem posse de bola e joga um futebol atractivo. Isso foi decisivo para mim. Estou muito feliz. Acredito que ele é um treinador com enorme potencial, que está a crescer de dia para dia e que está a mostrar o seu valor a todos.

Maycon: Como comparas o Shakhtar com outras equipas que já defrontaram até agora?

Júnior Moraes: Bem… o Shakhtar joga um futebol atractivo com muita qualidade. É difícil encontrar na Europa uma equipa com jogadores tão rápidos com esta qualidade. Assim para a comparar com as equipas que já encontrámos, acredito que a que mais se assemelha em termos de qualidade, habilidade e técnica é o Manchester City. Na minha opinião é a melhor equipa do mundo e acredito que são o conjunto em que mais nos revemos, com o qual mais nos parecemos.

Júnior Moraes: Maycon, vês em mim um modelo a seguir?

Maycon: Sim, claro que sim. Trabalhas muito e gosto muito da forma como o fazes antes e depois dos treinos. E és um modelo pela idade que tens e pela experiência que já adquiriste. Há jogadores que não conseguiram alcançar o que tu conseguiste porque não têm a tua mentalidade. E tu ajudaste-me muito, em especial desde a minha chegada. Sinto-me feliz por poder partilhar o balneário contigo, porque és um atleta de topo.

Júnior Moraes: Esta é a tua primeira temporada na Champions League e na estreia marcaste logo um golo decisivo. Como te sentiste?

Maycon: Feliz. Feliz e com sorte, porque é como um sonho que se realiza o de jogar na Champions League e contribuir com um golo importante. Uma derrota faria com que a nossa situação ficasse mais complicada, pois era o primeiro jogo na fase de grupos. Penso que a equipa jogou bem. Sinto-me feliz por ter marcado um golo e poder jogar nesta competição. Sempre sonhei com isso e agora alcancei-o.

Veja o bis de Júnior Moaraes no empate 2-2 em Lyon
Veja o bis de Júnior Moaraes no empate 2-2 em Lyon

Maycon: Bisaste contra o Lyon na segunda jornada. Como é que te sentirias se não tivesses marcado?

Júnior Moraes: Penso que para um avançado é muito importante marcar golos e ajudar a sua equipa. Sei o quanto isto é importante. Preferia um bom resultado do que marcar os dois golos. Por outro lado fique feliz por ter marcado dois golos pela minha equipa.

UEFA.com: O futebol tem um papel especial na luta contra a discriminação e na promoção da igualdade na sociedade? Se sim, porquê?

Maycon: Penso que sim. Penso que no Brasil muitas pessoas não enveredam pelo caminho da criminalidade porque têm o futebol e sonham em ser jogadores. O futebol pode proporcionar uma vida mais calma e tudo é melhor que acabar na criminalidade. Penso que o futebol oferece um caminho de fuga às dificuldades que vivemos no nosso país. Podemos sonhar alto graças ao futebol.

Júnior Moraes: Penso que qualquer desporto pode ser um exemplo para colocar um final em qualquer tipo de história horrível. Com a paixão do futebol e tudo o que o envolve, penso que é muito influente. Penso que é um veículo importante para colocar um fim neste tipo de situações.

Topo