Clube dos centenários na Champions League: Oliver Kahn

Oliver Kahn, antigo guarda-redes do Bayern, é o centenário da UEFA Champions League em destaque.

©Getty Images

Vencedor da UEFA Champions League em 2001, o antigo guarda-redes do Bayern, Oliver Kahn, é o segundo jogador desta nova série em que destacamos os jogadores que atingiram os 100 jogos na mais prestigiada competição de clubes da Europa.

CLUBE DOS CENTENÁRIOS DA CHAMPIONS LEAGUE

Os números

Jogos: 103
Golos: 0
Jogos sem sofer golos: 34

Melhor desempenho: Campeão (Bayern, 2001)

Para quem não se recorda dele

Possuidor de um tempo de reacção incrível, poderoso nas situações de um contra um e com uma capacidade de liderança natural, Kahn foi o sólido guarda-redes do Bayern durante 14 anos. O guardião intimidante viveu o período mais memorável entre 1999 e 2002. Não evitou uma derrota dramática na final da UEFA Champions League de 1999, frente ao Manchester United, mas foi decisivo no triunfo do Bayern sobre o Valência, dois anos depois, no desempate por grandes penalidades na final de Milão. Kahn brilhou em 2002, na caminhada da Alemanha até à final do Campeonato do Mundo,  mas acabou por cometer o erro que deu o título ao Brasil.

Como chegou aos 100 jogos

Kahn disputou o primeiro de 557 jogos da Bundesliga ao serviço do Karlsruhe, onde brilhou durante quatro épocas (várias vezes frente ao Bayern), exibições que levaram os gigantes da Baviera a contratá-lo em 1994. Começou imediatamente a jogar na UEFA Champions League, onde contribuiu com excelentes exibições para as boas campanhas do Bayern. Visualmente impressionante, com um grande domínio da área, participou durante 11 épocas na Champions League, liderando a partir da defesa e caindo impiedosamente sobre os colegas de equipa nas jogadas confusas na pequena área.  

Os seus melhores momentos

  • Defender três grandes penalidades no triunfo do Bayern na final de 2001.

  • Reconfortar imediatamente após o triunfo o guarda-redes do Valência, Santiago Cañizares.
  • Afirmou que a melhor defesa da carreira foi no triunfo por 1-0 sobre o Rangers que deu o apuramento ao Bayern na primeira fase de grupos de 1999/2000.

O que disseram dele

"Nunca houve ninguém com uma atitude tão profissional como o Oliver Kahn. Toda a vida se preparou para alcançar a perfeição. Sempre quis tornar-se no guarda-redes perfeito”.

Sepp Maier, antigo guarda-redes da República Federal da Alemanha

"Oliver Kahn e Manuel Neuer são ambos guarda-redes perfeitos, mas Oliver Kahn era um pouco mais rápido nas saídas da baliza”.

Ottmar Hitzfeld, antigo treinador do Bayern

"Fomos apresentados em 2002. Sentei-me ao lado dele naquele dia, mas a primeira vez que falou comigo foi em 2005”.

Bastian Schweinsteiger, antigo colega de equipa no Bayern sobre o futuro mentor

“O melhor é correr para longe e ir comemorar para outro lado”.

Nico Patschinski, antigo jogador do St. Pauli, sobre a melhor forma de festejar um golo a Kahn

“Chamavam-lhe “King Kahn” ou “O Titã”, o que diz tudo. Tem uma personalidade muito diferente da minha, podemos dizer que era mais excêntrico. Não sei se isso ajuda um guarda-redes, mas não há dúvidas que resultou com o Kahn".

Iker Casillas, guarda-redes do Porto.

Topo