Jardel em entrevista exclusiva

O central brasileiro do Benfica falou com o UEFA.com sobre o apuramento para a fase de grupos, entre outros temas.

Jardel marcou um golo importante na Grécia
Jardel marcou um golo importante na Grécia ©SL Benfica

Sobre o duelo com o PAOK no “play-off”

Estudamos bem a equipa do PAOK. Eles têm uma equipa com muita qualidade, bem treinada. Fizeram um bom jogo em nossa casa mas nós também fizemos uma excelente exibição. O plano de jogo deles era defender e sair no contra-ataque, acho que conseguimos anular bem isso. Criámos muitas oportunidades para marcar, infelizmente a bola não entrou.

Sabíamos que, passado o jogo em casa, a segunda mão seria diferente. Eles marcaram de bola parada, mas nós tivemos uma reacção muito boa. Também tive a felicidade de marcar o primeiro golo da nossa equipa, que nos deu outro ânimo e motivação para continuarmos vivos no jogo. Foi isso que aconteceu e logo a seguir conseguimos marcar o segundo golo e depois o terceiro. A nossa equipa está de parabéns. Foi uma grande vitória, num terreno muito difícil, estou muito feliz por termos conseguido o apuramento.

A importância do golo na Grécia e a pré-temporada

Bem, naquele momento foi uma euforia total por ter marcado o golo. Senti que tínhamos dado um passo importante. Marcar um golo fora mudou o jogo, obrigou o adversário a atacar e a partir em busca do resultado. Fiquei muito feliz, foi um golo bonito.

Acho que nossa pré-temporada foi fundamental, foi muito importante para que isto acontecesse. Estivemos sempre muito concentrados, a trabalhar intensamente, pois sabíamos os desafios que tínhamos pela frente. O primeiro adversário que nos calhou foi o Fenerbahce, uma equipa fortíssima. Conseguimos fazer dois belos jogos, sempre muito bem preparados pela equipa técnica. A nossa equipa está de parabéns por ter conseguido ultrapassar tudo isto e conseguir qualificar o Benfica para a fase de grupos da Champions League, que era o mais importante.

Recordações do embate com o Bayern em 2015/16 e análise à fase de grupos

Jogar contra o Bayern, poder reencontrar esta equipa na Champions League tem um sabor especial, porque naquela altura fizemos dois grandes e esperamos nesta fase de grupos poder fazer mais dois grandes jogos e mostrar a força do Benfica.

Não vamos ter jogos fáceis na UEFA Champions League, todos os adversários são muito difíceis, mas acho que é bom começar em casa, com o apoio dos nossos adeptos, numa competição tão importante é sempre bom começar em casa. Vamos pensar jogo a jogo, independentemente do adversário. Temos de estar bem preparados e encarar este jogo como se fosse uma final.

Até onde pode chegar o Benfica esta época

Não fizemos uma boa prova na época passada, mas se olharmos para os dois anos anteriores, chegamos aos quartos-de-final com o Bayern e aos oitavos-de-final com o Dortmund. Sabemos do que somos capazes nesta competição. Temos de nos concentrar no nosso trabalho e voltar a apresentar um bom futebol nesta prova, conquistar pontos, que é o mais importante, e claro que o nosso objetivo é passar à fase seguinte.

A sensação de ser capitão de uma equipa como o Benfica

É muito especial. Poder usar a braçadeira de capitão e representar este clube não estava nos meus melhores sonhos... Estou a viver um sonho, com os meus colegas, que me têm ajudado muito, estou a habituar-me à sensação, mas não é fácil representar um clube com a grandeza do Benfica.

A dupla com o Rúben Dias, jovem valor do futebol português

Falar do Rúben é fácil. É um miúdo com muitas qualidades, muita personalidade, é forte fisicamente e tem tudo para ser um grande jogador. Fez a estreia pela selecção frente à Croácia. Vi o jogo, fez uma grande exibição. Com a Itália fez mais um grande jogo. A selecção portuguesa tem grande centrais mas penso que o Rúben se vai tornar numa referência na selecção portuguesa.

As principais referências

Vi muito o Juan e o Lúcio a jogarem, tentei observá-los bem para aprender alguma coisa, foram dois grandes atletas. Depois vim para Portugal e, principalmente desde cheguei ao Benfica, o Luisão tornou-se numa referência. Tem-me ajudado muito, sempre me ajudou, desde que cheguei aqui, sempre o tentei imitar para chegar perto do nível de futebol que ele apresenta.

Topo