Sorteio da fase de grupos da Champions League: Pote 2

Tudo o que precisa de saber sobre as oito equipas que compõem o Pote 2 do sorteio de quinta-feira da fase de grupos, entre elas Porto e Benfica.

©Getty Images

Dortmund (GER)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 10
Como se qualificou: 4º na Bundesliga
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: vencedor (1996/97)

Resumo: Uma equipa em reconstrução sob as ordens de Lucien Favre – o terceiro treinador em um ano – depois de, pela primeira vez desde 2011/12, não ter na última época conseguido ultrapassar a fase de grupos. O Dortmund vai tentar que jovens como Manuel Akanji ou Jadon Sancho consigam replicar nos palcos da UEFA Champions League as excelentes exibições realizadas a nível interno.

Porto (POR)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 11
Como se qualificou: campeão da Liga portuguesa
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: vencedor duas vezes (a última das quais em 2003/04)

Resumo: Colocou na época passada ponto final numa espera de cinco anos pela reconquista do título de campeão português, ao mesmo tempo que pela segunda temporada consecutiva conseguiu ultrapassar a fase de grupos da UEFA Champions League. A turma de Sérgio Conceição apresentar-se-á esta época ainda mais entrosada e com maior experiência europeia, pelo que sonhará ir ainda mais além.

Manchester United (ENG)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 12
Como se qualificou: 2º na Premier League inglesa
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: vencedor três vezes (a última das quais em 2007/08)

Resumo: Alcançou na temporada passada a sua melhor classificação na Premier League inglesa desde 2012/13, mas viu-se surpreendido pelo Sevilha nos oitavos-de-final da UEFA Champions League. José Mourinho teve agora já duas épocas para moldar a equipa à sua imagem e esta poderá ser a época decisiva para o United se voltar a afirmar como uma potência europeia e deixar de figurar em segundo plano ante o rival City a nível interno.

Shakhtar (UKR)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 14
Como se qualificou: campeão da Liga ucraniana
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: quartos-de-final (2010/11)

Resumo: O Shakhtar apenas por uma vez conseguiu ultrapassar os oitavos-de-final e voltou a cair nessa barreira na temporada passada. Paulo Fonseca provou ao longo das duas últimas épocas ser capaz de tomar com sucesso conta da batuta deixada por Mircea Lucescu, durante muitos anos treinador principal da turma ucraniana, mas a dúvida reside em saber se é possível ir ainda mais além, sobretudo agora que jogadores como Fred e Facundo Ferreyra partiram para outras paragens.

Benfica (POR)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 15
Como se qualificou: 2º na Liga portuguesa, vencedor do "play-off"
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: vencedor duas vezes (a última das quais em 1961/62)

Resumo: Com dez presenças em finais de provas da UEFA no seu palmarés, sete delas da Taça dos Campeões, o Benfica viveu uma das suas piores campanhas europeias na época passada, com seis derrotas em seis jogos na fase de grupos da UEFA Champions League. Está, porém, de volta para se redimir, depois de ter deixado Fenerbahçe e PAOK pelo caminho rumo ao apuramento e conta com um plantel fortalecido, entre outros, pelas chegadas dos avançados Nicolás Castillo e Facundo Ferreyra.

Nápoles (ITA)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 17
Como se qualificou: 2º na Serie A
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: oitavos-de-final duas vezes (a última da quais em 2016/17)

Resumo: O novo treinador do clube, Carlo Ancelotti, já venceu a prova três vezes e lidera agora uma equipa que somou uns incríveis 91 pontos na Serie A na temporada passada. Juntando os dois, a turma napolitana estará confiante de que pode muito bem fazer melhor do que na temporada passada, em que se ficou pela fase de grupos, e até fazer melhor do que a sua melhor prestação de sempre na prova, uma presença nos oitavos-de-final.

Tottenham (ENG)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 19
Como se qualificou: 3º na Premier League inglesa
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: meias-finais (1961/62)

Resumo: Na época passada conseguiu transportar as suas boas exibições na Premier League para a UEFA Champions League, onde totalizou uns impressionantes 16 pontos na fase de grupos, quatro deles somados ante o Real Madrid, que viria a erguer o troféu. Mauricio Pochettino manteve todos os principais jogadores no plantel e estes quererão continuar a mostrar que estão a altura para se baterem de igual para igual com os melhores.

Roma (ITA)

Posição no ranking de coeficientes da UEFA (no final de 2017/18): 21
Como se qualificou: 3ª na Serie A
Melhor desempenho na Taça dos Campeões/UCL: finalista vencida (1983/84)

Resumo: A revolução levada a cabo por Monchi, director desportivo da turma da capital italiana, está a ganhar forma. A Roma esteve muto activa no mercado de transferências neste Verão, e em inícios de Julho tinha já contratado nove jogadores. A expectativa é grande à volta de reforços como Ante Ćorić e Justin Kluivert, bem como em redor de Cengiz Ünder, mais ambientado ao clube nesta sua segunda temporada na Roma.

Topo