Oblak e a sua tripla defesa contra o Leverkusen

"São coisas que acontecem. Umas vezes fazemos três defesas seguidas, outras deixamos entrar os três remates", disse Jan Oblak, desvalorizando o seu grande momento frente ao Leverkusen.

Jan Oblak, guarda-redes do Atlético, a meio da sua impressionante tripla defesa
Jan Oblak, guarda-redes do Atlético, a meio da sua impressionante tripla defesa ©Getty Images

Não são muitas as vezes em que um jogador consegue deixar sem palavras toda a tribuna de imprensa. Mas Jan Oblak conseguiu-o esta quarta-feira com uma série de três impressionantes defesas consecutivas a negar o golo a Julian Brant, primeiro, e a Kevin Volland, por duas vezes, logo depois.

Houve quem abanasse a cabeça não acreditando no que estava a ver, enquanto outros saudaram o momento com um enorme aplauso. Até Iker Casillas, o antigo capitão do rival Real Madrid, deixou o seu elogio no Twitter.

Resumo: Atlético 0-0 Leverkusen
Resumo: Atlético 0-0 Leverkusen

"São coisas que acontecem. Umas vezes fazemos três defesas seguidas, outras deixamos entrar os três remates," disse o modesto Oblak ao UEFA.com. "É algo difícil de explicar. Limitei-me a olhar para a bola e lançar-me com tudo para fazer as defesas que tinha de fazer. Felizmente, esta noite tudo correu bem e espero que assim continue."

Foi um dos momentos altos de uma eliminatória na qual o Atlético garantiu a passagem aos quartos-de-final da UEFA Champions League pela quarta época consecutiva: "Não é algo fácil de alcançar. Há que dar valor a esse feito. Esta equipa continua a crescer e é capaz de chegar muito longe."

©Getty Images

Curiosamente, foi há precisamente dois anos, frente ao mesmo adversário, que Oblak deixou verdadeiramente pela primeira vez a sua marca no Atlético, num triunfo sobre o Leverkusen no desempate por penalties.

Ainda sem se ter assumido como titular depois de ter sido contratado ao Benfica, o guardião esloveno, então com 22 anos, substituiu o lesionado Miguel Ángel Moyà ao intervalo. E, depois de negar o golo por várias vezes aos visitantes ao longo da noite, conquistou em definitivo os adeptos do Vicente Calderón ao defender a grande penalidade de Hakan Çalhanoğlu no desempate.

Desde então, Oblak não mais olhou para trás com uma série de grandes actuações que cimentaram a sua posição de incontestável dono da baliza do Atlético. "Tenho grandes recordações desse jogo, pois foi aí que a minha vida neste clube mudou", reconheceu Oblak.

Uma lesão num ombro impediu-o, desta feita, de jogar na primeira mão, mas voltou em grande, com uma exibição que o treinador Diego Simeone catalogou de "fantástica."

Oblak sofreu apenas um golo nos últimos nove jogos europeus que disputou no Vicente Calderón e sofreu apenas dois golos em sete jogos na UEFA Champions League esta época. É, pois, natural que Antoine Griezmann o descreva como "o melhor guarda-redes do Mundo".

Topo