Atlético implacável fecha a porta ao Leverkusen

O Atlético Madrid garantiu a quarta presença consecutiva nos quartos-de-final da UEFA Champions League após mais uma disciplinada exibição defensiva que manteve o marcador em branco até final na recepção ao Bayer Leverkusen.

See how Atletico Madrid reached the last eight of the UEFA Champions League with a 0-0 draw against Bayer Leverkusen

O Atlético Madrid impôs um nulo ao Bayer Leverkusen e garantiu a quarta presença consecutiva nos quartos-de-final da UEFA Champions League.

O Leverkusen precisava marcar pelo menos três golos para continuar em prova, mas parecia destinado a prolongar a série negra nos oitavos-de-final, sem vitórias e com quatro eliminações antes deste duelo. Apesar disso, os visitantes entraram bem no jogo, com Kevin Volland a rematar forte e a levar a bola a sair a rasar o poste.

O Leverkusen acreditava que podia dar a volta à eliminatória e José María Giménez teve de fazer um desarme providencial sobre Julian Brandt, antes de Javier Hernández rematar em desequilíbrio por cima da trave da baliza espanhola. A equipa da casa também ameaçou Bernd Leno, que jogou com uma máscara protectora na cara, com Ángel Correa e Koke a obrigaram o alemão a boas estiradas para desviar remates que pareciam destinados a entrar junto aos ângulos.

O Atlético reentrou melhor, com Antoine Griezmann a rematar ao lado pouco segundos depois do recomeço. Logo a seguir, o francês fez um chapéu a Leno, mas a bola saiu do lado de fora do poste, mas continuavam a ser os visitantes a criar as melhores oportunidades. Foi necessário uma sensacional dupla defesa de Jan Oblak para negar o golo a Brandt, que surgiu isolado, e para deter a recarga de Volland. O extremo ainda viu um segundo remate ser desviado sobre a linha de golo, antes de Hernández rematar ao lado.

O guarda-redes esloveno travou os remates de Karim Bellarabi, Leon Bailey e Kevin Kampl e manteve a baliza inviolada até final. O Leverkusen lutou sempre pela honra e pela vitória na segunda mão, mas um ameaçador cabeceamento de Bailey não entrou na baliza na última jogada de perigo do encontro.

Figura: Jan Oblak (Atlético)
O guarda-redes do Atlético fez várias defesas soberbas ao longo dos 90 minutos e foi decisivo para acabar com as ambições do Leverkusen. 

Momento: Oblak insuperável
O esloveno que já defendeu a baliza do Benfica teve o momento mais alto da sua exibição aos 68 minutos. No espaço de apenas cinco frenéticos segundos fez três defesas para negar o golo a Julian Brandt e Kevin Volland (por duas vezes) 

Diego Simeone, treinador do Atlético
Estou satisfeito. Quero dar os parabéns aos jogadores. As coisas mudaram ao longo dos últimos quatro anos, mas os jogadores têm dado sempre o máximo. É um importante passo em frente para o clube. Queremos sempre melhorar e evoluir. A Champions League é especial e é muito importante para o clube estar presente nos quartos-de-final.

Tayfun Korkut, treinador do Leverkusen:
"Esta noite mostrámos muito mais à-vontade com a bola em nossa posse. Obviamente que queríamos seguir em frente na competição, mas é mais um passo dado na direcção certa, e os jogadores podem sair daqui muito orgulhosos".

Topo