Nápoles tenta travar campeão Real Madrid

O Nápoles tem de virar uma desvantagem de 3-1 trazida da primeira mão se quiser deixar pelo caminho o detentor do troféu, Real Madrid, que procura chegar aos quartos-de-final pela sétima época consecutiva.

©AFP/Getty Images

O SSC Napoli recebe o Real Madrid CF no Stadio San Paolo na tentativa de inverter a desvantagem trazida da primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League.

Derrotado por 3-1 em Madrid no primeiro jogo, num encontro em que até marcou primeiro, por Lorenzo Insigne, mas em que viu o adversário dar a volta com golos de Karim Benzema, Toni Kroos e Casemiro, o Nápoles precisa de conseguir algo que poucas vezes logrou até à data nas competições da UEFA: dar a volta em casa a uma derrota sofrida fora no jogo da primeira mão.

• O Nápoles qualificou-se como vencedor do Grupo B, enquanto o Real Madrid terminou atrás do Borussia Dortmund no Grupo F.

• Este encontro vai colocar dois antigos jogadores do Real Madrid - Raúl Albiol e José Callejón - frente ao antigo clube.

Encontros anteriores
• O Real Madrid, de Leo Beenhakker, afastou o Nápoles com um total de 3-1 no único duelo anterior entre os dois clubes, na primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1987/88.

O Real Madrid ganhou a primeira mão por 2-0, com golos de Míchel (penalty) e Miguel Tendillo, antes de empatar 1-1 no Stadio San Paolo. Emilio Butragueño – actualmente dirigente do clube – respondeu ao golo marcado por Giovanni Francini para a equipa do Nápoles que era treinada por Ottavio Bianchi e capitaneada por Diego Maradona.

Retrospectiva do jogo

Nápoles
• Esta é apenas a segunda participação do Nápoles nos oitavos-de-final da UEFA Champions League e o clube está a tentar atingir pela primeira vez os quartos-de-final. Os italianos foram afastados pelo Chelsea FC nesta ronda em 2011/12, não tirando partido do triunfo por 3-1 em casa na primeira mão ao perder por 4-1, após prolongamento, em Londres.

• A derrota por 3-2 do Nápoles com o Beşiktaş JK, na fase de grupos, foi o único desaire caseiro nos últimos 20 jogos europeus (V13 E6).

• A equipa de Maurizio Sarri somou sete dos 11 pontos no Grupo B fora de casa, tendo vencido por 2-1 no terreno do Dínamo Kiev e do SL Benfica, empatando pelo meio 1-1 em casa do Beşiktaş.

• O Nápoles perdeu as suas eliminatórias anteriores frente a adversários espanhóis. Perdeu por 2-1 com o Villarreal CF nos 16 avos-de-final da UEFA Europa League na época passada, e por 4-2 com o Athletic Club, no "play-off" da edição 2014/15 da UEFA Champions League – e nos dois jogos caseiros empatou a um golo.

• Marek Hamšík, que marcou o segundo golo, e Christian Maggio são os únicos dois resistentes da última vitória do Nápoles em Espanha, 2-0 no terreno do Villarreal na fase de grupos da UEFA Champions League de 2011/12.

• O registo total do Nápoles na recepção a clubes espanhóis é: V2 E4 D0.

• O Nápoles venceu apenas três das 11 eliminatórias de provas da UEFA em que perdeu fora na primeira mão – embora dois desses êxitos tenham ocorrido depois de derrotas por dois golos de diferença no primeiro jogo. Em 1962/63, na pré-eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças, perdeu por 2-0 no terreno do Bangor City FC, mas venceu 3-1 em casa e apurou-se depois com um triunfo por 2-1 no jogo de desempate; em 1988/89, nos quartos-de-final da Taça de Itália, perdeu também por 2-0 fora, mas ganhou por 3-0 em casa.

• O registo do Nápoles em desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA é: V1 D2:
3-4, frente ao Toulouse FC, primeira eliminatória da Taça UEFA 1986/87
3-5, frente ao FC Spartak Moskva, segunda eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus 1990/91
3-4, frente ao Sporting Clube de Portugal, primeira eliminatória da Taça UEFA 1989/1990

Real Madrid
• Invicto na fase de grupos, o Real Madrid quer marcar presença nos quartos-de-final pelo sétimo ano consecutivo e também tornar-se na primeira equipa a renovar o título na era da UEFA Champions League.

• O Real Madrid perdeu apenas um dos últimos nove jogos fora na UEFA Champions League. Na presente edição da fase de grupos, empatou com Dortmund (2-2) e Legia Varsóvia (3-3), ao passo que venceu o Sporting Clube de Portugal (2-1).

• Apesar de o Real Madrid ter eliminado a AS Roma (2-0 f, 2-0 c) nesta ronda da UEFA Champions League em 2015/16, tinha antes sido batido oito vezes seguidas em eliminatórias a duas mãos com adversários italianos, incluindo a meia-final com a Juventus em 2014/15.

• Esse triunfo sobre a Roma foi o primeiro sucesso em nove visitas a Itália.

• O registo global do Real Madrid no reduto de clubes italianos é: V5 E8 D18.

• O Real Madrid seguiu em frente em 44 das 57 eliminatórias europeias em que ganhou o jogo da primeira mão em casa, a última das quais quando afastou o FC Bayern München nas meias-finais de 2013/14 (1-0 em casa, 4-0 fora). Nas oito eliminatórias em que venceu por 3-1 o primeiro jogo no Santiago Bernabéu, o Real apurou-se em metade, a mais recente das quais frente ao Manchester United FC, nos quartos-de-final da UEFA Champions League 2002/03 (derrota por 3-4 fora na segunda mão).

• O registo do Real Madrid em desempates por grandes penalidades nas competições europeias é de V2 D2:
5-6, frente ao FK Crvena zvezda, quartos-de-final da Taça dos Clubes Vencedores de Taças de 1974/75
3-1, frente à Juventus, segunda eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1986/87
1-3, frente ao FC Bayern München, meias-finais da UEFA Champions League de 2011/12
5-3, frente ao Club Atlético de Madrid, final da UEFA Champions League de 2015/16

Ligações entre treinadores e jogadores
• Zinédine Zidane jogou cinco temporadas na Itália ao serviço da Juventus (1996-2001), vencendo dois títulos da Serie A. Nunca perdeu frente ao Nápoles (V3 E3), tendo marcando no empate em casa, 1-1, em Novembro de 1996 e na vitória fora, por 2-1, em Novembro de 1997.

• Zidane ajudou a França a bater a Itália na UEFA EURO 2000, mas não evitou a derrota com os “azzurri” na final do Campeonato do Mundo de 2006, um jogo em que marcou o golo de França de grande penalidade, mas acabou expulso.

• Formado na academia do Real Madrid, Callejón marcou 21 golos em 42 jogos no campeonato pela equipa B dos “merengues”, o Castilla (2006-08). Depois de três época no Espanhol (J3 D3 frente ao Real Madrid), regressou à capital espanhola para uma passagem de dois anos pela equipa principal, marcando oito golos em 55 jogos na Liga espanhola.

• Albiol realizou 81 encontros na Liga espanhola pelo Real Madrid, marcando um golo, entre 2009 e 2013. Antes tinha representado Getafe e Valência (V4 E1 D5 frente ao Real Madrid). Albiol apontou o seu primeiro golo no escalão principal no triunfo do Getafe, por 2-1, sobre o Real Madrid em Março de 2005, mas foi expulso na derrota do Valência por 5-1, em casa, em Outubro de 2007.

• Pepe Reina não conseguiu vencer o Real Madrid em sete tentativas com Barcelona e Villarreal (E3 D4), mas conseguiu levar a melhor como guarda-redes do Liverpool nos oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2008/09, não tendo sofrido qualquer golo (1-0 f, 4-0 c).

• Mateo Kovačić nunca conseguiu vencer o Nápoles em quatro tentativas (E2 D2) nas duas épocas e meia que representou o Inter (2013-15).

• Álvaro Morata ficou em branco nas quatro vezes que defrontou o Nápoles nas duas temporadas que esteve em Itália ao serviço da Juventus (V3 D1).

• Morata, Sergio Ramos e Lucas Vázquez faziam parte da selecção de Espanha que foi derrotada por 2-0 por Itália, que contava com Emanuele Giaccherini e o suplente Lorenzo Insigne, nos oitavos-de-final do UEFA EURO 2016.

• Toni Kroos, que converteu uma grande penalidade no triunfo por 6-5 no desempate, ajudou a Alemanha a afastar a Itália de Giaccherini nos quartos-de-final do UEFA EURO 2016. Insigne e Giaccherini converteram as suas tentativas no desempate.

• Num outro desempate nos quartos-de-final do EURO, Portugal, de Cristiano Ronaldo e Pepe, bateu a Polónia, de Arkadiusz Milik, por 5-3. Ronaldo e Milik marcaram as suas grandes penalidades

• Insigne integrava a selecção de Itália batida por 4-2 pela Espanha de Isco e Morata na final do Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA de 2013.

• Jogadores da mesma selecção nacional:
Ramos, Dani Carvajal, Nacho, Vázquez, Isco, Morata e Reina, Albiol, Callejón (Espanha)
Kovačić, Modrić e Rog, Strinić (Croácia)

Topo