Que outras coisas estão a acontecer no futebol europeu?

O recorde do TNS que acabou por durar pouco, picardias antes de um derby, o "melhor treinador de sempre" e um jogador que vai para o sítio certo estão nas outras histórias do futebol europeu desta semana.

Valon Berisha (Kosovo)
Valon Berisha (Kosovo) ©UEFA.com

TNS vê recorde chegar ao fim
O The New Saints quebrou recentemente aquele que se pensa ser o recorde de vitórias consecutivas do escalão principal no conjunto de todas as provas, mas esse recorde terminou nas 27 vitórias seguidas – 22 delas na Liga – em virtude de um empate, 3-3, na visita ao Newtown. "Não posso acusar os jogadores de nada," disse o treinador Craig Harrison. "Era impossível pensar que íamos ganhar os jogos todos esta época. Os jogadores estão, naturalmente, desiludidos, o que prova o quão profissionais eles são."

Recorde do TNS batido!
Efectivamente, o recorde do TNS durou apenas algumas horas, porque no domingo o Cardiff University bateu o Llandarcy Futsal por 5-3 e somou a sua 23ª vitória consecutiva no escalão principal de uma Liga do País de Gales, ainda que de futsal. O TNS fez questão de elogiar...

O mais jovem a marcar pela Suécia
Poucos dias depois de se tornar o segundo mais jovem jogador internacional de sempre pela Suécia, Alexander Isak fez ainda melhor e tornou-se no mais jovem de sempre a marcar pela selecção principal do seu país, com 17 anos e 113 dias, num amigável frente à Eslováquia. "Estou a desfrutar de tudo o que me está a acontecer", afirmou o jovem talentoso avançado. "Ele fez muitas coisas boas", acrescentou o seleccionador Janne Andersson.

Watch Berisha's goal for Kosovo
Watch Berisha's goal for Kosovo

Distinção para Berisha
"É uma sensação fantástica", disse Valon Berisha depois de ter sido eleito futebolista do ano no Kosovo – tornando-se no primeiro a receber tal distinção desde que a federação daquele país integra a FIFA. "2016 foi um ano muito bom para mim", acrescentou o médio do Salzburgo, autor do primeiro golo do Kosovo em qualificações para grandes torneios, no seu jogo de estreia.

Victor Pițurcă, o melhor treinador da história?
Antigo dono do cargo, Victor Pițurcă não gostou das justificações dadas para o facto de o novo seleccionador romeno, Christoph Daum, ter somado apenas cinco pontos nos primeiros quatro jogos da actual Qualificação Europeia. "Dizem que Christoph Daum não tem jogadores de qualidade suficientes à sua disposição. Isso quer dizer que eu – que tinha praticamente a mesma equipa e consegui colocar a Roménia no top dez do ranking da FIFA – devo ser o melhor treinador de sempre."

Copo meio cheio ou meio vazio?
Em França, o Rennes confirmou a data do próximo derby da Bretanha no twitter usando uma foto do seu estádio com a bancada dos visitantes meio despida de público, no jogo da época passada com o Nante, depois de os adeptos visitantes terem visto a sua equipa sofrer quatro golos na primeira parte. A resposta dos "canários" não tardou: uma foto da sua vitrine de troféus, onde figuram oito títulos de campeão e três Taças de França: "Bancadas vazias durante 45 minutos, mas museu cheio de troféus. E vocês?"

O que é preciso para ser treinador?
Ionuţ Popa, de 63 anos, explicou o segredo do que é necessário para se ser treinador. "Desde que tenha saúda, uma boa aparência e não se tenha cara de parvo, é fácil ser treinador", disso recentemente o técnico do Poli Timișoara. "Às vezes é preciso tomar um Xanax, mas nunca dois, porque um treinador tem de ter sempre algum nervosismo. Alguém que queira ter uma vida tranquila e viver até aos 250 anos não pode nunca tornar-se treinador de futebol."

Jovens do AEL imparáveis
A formação de sub-13 do AEL Limassol, que lidera a respectiva Liga, deu ainda mais cor à sua diferença entre golos marcados e sofridos com um triunfo por 22-0 sobre o Neon Paralimni. O goleador da equipa, Adonis Nikolettides, marcou por dez vezes, elevando o seu registo para 67 golos em 20 jogos esta época. A equipa soma 20 vitórias em 20 jogos, 136 golos marcados e apenas sete sofridos.

Contratação mais curiosa da semana
O Lovćen Cetinje levou o médio argentino Julian Montenegro para o país que tem o seu nome.

Topo