O que talvez não saiba sobre Buffon, reforço do Paris

Após o Paris ter confirmado a contratação de Gianluigi Buffon, olhamos para a soberba carreira do guarda-redes de 40 anos.

Certa vez, Gianluigi Buffon brincou com o facto de poder jogar até aos 65 anos. Por agora, confirmou que, aos 40, está pronto para um novo passo na sua carreira ao assinar pelo Paris Saint-Germain.

O que talvez não saiba

• Buffon provém de uma família de desportistas, onde se incluem pai (atletismo, lançamento do peso), mãe (atletismo, lançadora do disco) e as duas irmãs (voleibol).

Watch five great Buffon saves
Watch five great Buffon saves

• Buffon teve de superar um terrível medo de vespas. "Instantes antes de um jogo, o treinador de guarda-redes disse-me que o Buffon não ia poder jogar – não sei ia conseguir atirar para o chão, porque havia por ali muitas vespas," Fabio Capello explicou. "'OK, não há problema,' disse, e pedi ao suplente para se preparar para jogar. Dez segundos depois, Buffon disse-me que a sua fobia tinha passado, porque queria mesmo muito jogar."

• Buffon apoia o Borussia Mönchengladbach na Alemanha. "Quando era miúdo não sabia pronunciar o nome. Agora já consigo melhor, mas acho que ainda não acerto totalmente." Quando a Juventus defrontou a turma da Bundesliga na UEFA Champions League em 2015/16, Buffon ofereceu um par de luvas suas aos adeptos do clube, mas não recebeu nada em troca. Depois, o Gladbach acabou por lhe enviar um cachecol.

• Buffon começou por jogar como médio, tornando-se depois guarda-redes porque o seu herói de infância era o antigo guardião camaronês Thomas N'Kono. O seu primeiro filho, Louis Thomas, recebeu o nome em homenagem a esse seu ídolo.

Buffon channels Tom Selleck
Buffon channels Tom Selleck©Getty Images

• Para além de ter dois filhos com a sua antiga esposa, a modelo checa Alena Šeredová, Buffon tem outro filho, Leopoldo Mattia, junto com a sua nova parceira, a apresentadora de TV Ilaria D'Amico. Tanto D'Amico como o antigo treinador de Buffon na Juve, Massimiliano Allegri, fizeram troça de um bigode ao estilo de Tom Selleck que, em tempos, o guardião chegou a usar.

• Buffon foi presidente do Carrarese, clube da sua cidade-natal, durante três anos, até 2015, altura em que entrou em falência.

Buffon e Casillas abraçam-se no EURO 2016
Buffon e Casillas abraçam-se no EURO 2016©Getty Images

Registo de carreira

Selecção: 176 jogos
Competições de clubes da UEFA: 160 jogos
Provas domésticas: 716 jogos

Curiosidades

Parma
• Estreou-se com apenas 17 anos, a 19 de Novembro de 1995, e conseguiu manter a sua baliza intacta num nulo ante um AC Milan efectuando algumas defesas notáveis para negar o golo a consagrados como Roberto Baggio ou George Weah. 

• No espaço de apenas uma semana, em 1999, conquistou os seus dois primeiros títulos: primeiro a Taça de Itália e depois a Taça UEFA.

Juventus
• No Verão de 2001 tornou-se no guarda-redes mais caro da história, contratado pela Juventus por 50 milhões de euros. Conquistou o "scudetto" logo no seu primeiro ano em Turim.

• Em 2002/03 ajudou a Juventus a chegar à final da UEFA Champions League; depois de um 0-0 com o Milan em Manchester ao fim de 120 minutos, a turma de Turim viu-se batida nos penalties, embora Buffon tenha defendido duas grandes penalidades num jogo em que tinha já efectuado uma defesa extraordinária, por instinto, para negar um golo a Filippo Inzaghi.

• Buffon manteve-se na "vecchia signora" apesar da despromoção à Serie B devido à viciação de resultados. Por isso, em Novembro de 2006, a Juventus comprou espaço publicitário nos três principais jornais desportivos italianos para agradecer a sua fidelidade.

• Em Março de 2016, com 38 anos, quebra um recorde de 22 anos ao completar 974 minutos sem sofrer golos na Serie A.

• Buffon viria a perder outra final da UEFA Champions League, em 2015, derrotado por 3-1 pelo Barcelona em Berlim, apesar de uma estrondosa defesa a remate de Dani Alves na primeira parte.

• Em Março de 2016, com 38 anos, quebrou um recorde da Serie A que vigorava já há 22 anos ao estar 974 minutos seguidos sem sofrer golos.

Ao ter perdido também pela Juventus a final de 2017 da UEFA Champions League frente ao Real Madrid, Buffon partilha com o antigo colega Paolo Montero o infeliz recorde de jogadores que mais finais da Taça dos Campeões/UEFA Champions League disputaram sem nunca terem erguido o troféu: três.

• Conquistou o título de campeão de Itália na sua última temporada como jogador da Juventus, tornando-se no primeiro jogador de sempre a vencer nove "scudettos". O seu derradeiro jogo na Serie A foi o seu 639º jogo na prova, ficando a apenas oito do recordista Paolo Maldini.

• Buffon soma 160 jogos nas provas de clubes da UEFA, nos quais somou 82V 41E  e 37D; não sofreu golos em 65 dessas partidas.

Itália
• Estreia-se com 19 anos como suplente-utilizado na primeira mão do "play-off" de acesso ao Campeonato do Mundo de 1998, ajudando a somar um empate precioso.

• Sofreu apena dois golos na caminhada da Itália rumo à glória na fase final do Campeoanto do Mundo de 2006, na Alemanha.

• Realizou mais um grande torneio no UEFA EURO 2012, capitaneando a Itália até à final, onde se viu, porém, derrotado por 4-0 pela Espanha, em Kiev. Buffon e a Italy conseguiram a desforra dos espanhóis nos oitavos-de-final do UEFA EURO 2016 antes de se verem eliminados nos penalties pela Alemanha nos quartos-de-final.

• Durante a campanha no Mundial de 2014, no Brasil, Buffon tornou-se apenas no terceiro jogador da história a marcar presença em cinco fases finais de Campeonatos do Mundo, depois do mexicano Antonio Carbajal e do alemão Lothar Matthäus.

• Em 2013 ultrapassou Fabio Cannavaro como jogador italiano com mais internacionalizações (137); depois, ao atingir as 168 internacionalizações, ultrapassou Casillas como o jogador europeu com mais jogos.

Disputou o seu 1000º jogo como futebolista profissional num encontro frente à Albânia, em Março de 2017, a contar para a Qualificação Europeia, e depois anunciou a sua retirada da selecção em Novembro do mesmo ano, com 175 internacionalizações.

O que dizem dele

"Fico estupefacto quando penso que ele nunca ganhou uma Bola de Ouro. Sem dúvida que o merecia, por tudo o que já fez. Para mim, é o melhor guarda-redes da história do futebol. É um ícone, uma verdadeira lenda."
Leonardo Bonucci, ex-coelga de Buffon na Juventus e na selecção de Itália

"O facto de Gigi Buffon ter começado muito novo ajudou-me bastante e serviu de modelo. Curiosamente, ambos continuamos ao mais alto nível. Sempre que há a possibilidade, conversamos um pouco, fruto de uma amizade forjada ao longo de muitos anos."
Iker Casillas, guarda-redes do Porto

"Estamos a falar do nº1 mundial. Ele tem sido o melhor ao longo de toda a carreira. Costumo dizer que, quando um qualquer guarda-redes comete um erro, ninguém diz nada, mas quando Buffon comete um erro, é notícia."
Marcello Lippi, antigo treinador da Juventus e da Itália

Discurso directo

"É engraçado quando escrevem o nosso obituário e depois mostramos que estavam errados. Podem ir ao meu funeral, mas não vão encontrar lá ninguém. É para isto que vivo: para fazer os outros engolirem as suas palavras."

"Não perdi muitas vezes na minha vida, mas as derrotas ensinaram-me mais do que as vitórias. Sempre que perco, procuro focar-me nas qualidades dos meus adversários e nos erros que cometi. Não procurar desculpas é a atitude correcta."

"O mais importante para um guarda-redes é a segurança que transmite aos colegas. Há que transmitir essa segurança, independentemente de, na realidade, nos sentirmos ou não seguros. Há que fazer os outros acreditarem que temos o controlo da situação e que podem confiar em nós. Um guarda-redes nervoso torna uma equipa nervosa."

"Percebe-se o quanto um guarda-redes é bom olhando para a forma como reage a um erro, com mais ou menos remorsos e indecisões. Quanto mais erros se comete, mais a confiança fica abalada. Mas comigo é o contrário: entusiasma-me estar no meio da tempestade."

Topo