Paris cai para segundo lugar após empate com Ludogorets

Ángel Di Maria evitou o desaire do Paris frente ao Ludogorets perto do fim no empate 2-2 e a vitória do Arsenal em Basileia retirou a equipa francesa do topo do Grupo A.

O Paris Saint-Germain recuperou de duas desvantagens para empatar em casa com o Ludogorets, um resultado que custou aos locais o primeiro lugar no Grupo A da UEFA Champions League e selou o terceiro lugar da equipa búlgara.

O Paris de Unai Emery estava pressionado para dar uma resposta à fraca exibição no fim-de-semana em Montpellier, mas no Ludogorets encontrou um adversário nada disposto a colaborar.

A combinação de um ataque perdulário com uma defesa permissiva provocou danos à equipa da Ligue 1, que se viu a perder quando Virgil Misidjan marcou após cruzamento da esquerda de Natanael.

Pouco depois da meia-hora de jogo, Thiago Silva, de cabeça, voltou a acertar no poste pelo Paris. A pressão compensou quando Edinson Cavani, de cabeça, fez a bola passar fora do alcance de Vladislav Stoyanov, após o que Wanderson restaurou a vantagem, aproveitando uma perda de bola de Marquinhos.

Ángel Di María após empatar nos instantes finais
Ángel Di María após empatar nos instantes finais©AFP/Getty Images

Quase no final dos descontos, Ángel Di Maria marcou a passe do suplente Layvin Kurzawa. Contudo, a vitória do Arsenal por 4-1 em Basileia implicou que o golo do empate fosse de pouco consolo.

Figura: Wanderson (Ludogorets)
O pequeno jogador brasileiro é sempre o homem do Ludogorets para os grandes momentos. Marcou há dois anos num deslumbrante remate em arco contra o Steaua para levar esse “play-off” para o prolongamento, enquanto na corrente época, na terceira pré-eliminatória, fez um “hat-trick” na segunda mão contra o Estrela Vermelha.

Com a sua movimentação, habilidade e capacidade de remate e alguém que pode sempre marcar. O seu golo poderia ter sido o da vitória no Parc des Princes mas, ainda assim, o seu contributo para a equipa foi enorme.

Aspectos a melhorar
Ao Paris faltou uma finalização cirúrgica e talvez um pouco mais de sorte. Se o campeão francês quiser ir longe na prova têm de acabar com as suas falhas de concentração na defesa e ser mais eficaz frente à baliza.

Virgil Misidjan celebra após abrir o marcador
Virgil Misidjan celebra após abrir o marcador©AFP/Getty Images

Paris volta a sofrer cedo
Após ter-se visto a perder aos 16 minutos em Ludogorets, na segunda jornada, o Paris tinha a obrigação de saber tudo sobre a ameaça que o adversário representava – e mesmo assim ficou em desvantagem um minuto mais cedo do que em Sófia.

A defesa do Paris deu todas as facilidades para Misidjan e num instante os homens de Emery viram-se perante mais uma árdua tarefa. Seja por complacência ou falta de confiança depois da derrota em Montpellier, voltar a ver-se em desvantagem foi, talvez, ainda mais alarmante.

Topo