Benfica apura-se atrás do Nápoles apesar da derrota

O Benfica apurou-se para os oitavos-de-final como segundo classificado do Grupo B, atrás do Nápoles e apesar da derrota por 2-1 com os italianos, já que o Beşiktaş também perdeu.

O Benfica apurou-se como segundo classificado do Grupo B para os oitavos-de-final, atrás do Nápoles, apesar da derrota em casa, uma vez que o Beşiktaş também perdeu, por 6-0, na visita ao terreno do Dínamos Kiev.

O conjunto da casa tentou desde cedo tomar conta do jogo mas os italianos, com uma entrada personalizada em campo, comandaram as operações nos primeiros instantes. Ainda assim, com o passar do tempo, os comandados de Rui Vitória começaram a impor o seu jogo.

Aos 11 minutos Gonçalo Guedes protagonizou o primeiro lance de perigo do encontro, depois de progredir pelo falando direito. O avançado português efectuou o cruzamento para a área e Raúl Jiménez, de cabeça, atirou ligeiramente por cima. Estava dado o aviso.

Aos 20 minutos, contra a corrente de jogo, o Nápoles dispôs de uma excelente ocasião para inaugurar o marcador. Marek Hamšík efectuou o primeiro remate, Manolo Gabbiadini emendou para a baliza mas o lance já tinha sido invalidado por posição irregular do avançado italiano.

No minuto seguinte foi a vez de Gonçalo Guedes desperdiçar uma soberana ocasião para marcar após um erro da defensiva contrária. O dianteiro português, na cara de Pepe Reina, atirou ao lado. O Benfica continuava com sinal mais e Raúl testou os reflexos de Reina aos 24 minutos, com um remate cruzado que o guardião espanhol defendeu com alguma dificuldade.

Aos 34 minutos foi a vez de José Callejón ficar perto do golo, após lance conduzido pelo lado esquerdo do Nápoles. O espanhol acorreu a um cruzamento atrasado, rematou em jeito mas Ederson esticou-se para evitar o golo italiano, tendo repetido o feito dois minutos depois, após disparo de Gabbiadini.

No segundo tempo o Nápoles voltou a entrar melhor e Lorenzo Insigne desmarcou na perfeição Callejón aos 49 minutos, com o extremo a atirar por cima. Aos 60 minutos, no entanto, o espanhol marcou mesmo, após passe magistral do recém-entrado Dries Mertens. Callejón fugiu à marcação e picou a bola sobre Ederson, que nada podia fazer.

Mertens aumentou depois a vantagem dos napolitanos numa bonita jogada individual, culminada num remate que ainda bateu no poste antes de entrar, antes de Raúl Jiménez aproveitar um erro de Raul Albiol para fixar o resultado.

Figura: Dries Mertens (Nápoles)
Depois de um bis no jogo da primeira volta, o extremo belga voltou a causar estragos ao Benfica num curto espaço de tempo. Fez a assistência para o primeiro golo do Nápoles, de José Callejón, antes de fazer o 2-0 num bom drible perante Luisão antes de rematar bem colocado para o fundo das redes de Ederson.

Momento: Golo de Callejón
Aos 60 minutos o espanhol fugiu à marcação e, na cara de Ederson, não falhou, colocando a sua equipa a vencer no Estádio da Luz. O dianteiro esteve muito irrequieto no ataque e, depois de marcar por sete vezes no campeonato, culminou a exibição com o seu primeiro golo na Europa esta temporada.

Declarações
Rui Vitória, treinador do Benfica
Obviamente que hoje queríamos vencer e lutámos por isso, mas defrontámos uma boa equipa e que foi mais eficaz que nós na segunda parte, algo que acabou por fazer a diferença. Converteu as suas oportunidades e nós não.

Ao intervalo claro que soubemos o que estava a acontecer no outro jogo, por isso talvez os meus jogadores não tenham sido tão rigorosos quanto deviam no segundo período. Ainda assim, temos motivos para estar satisfeitos com a campanha na fase de grupos: após perdermos com o Nápoles na segunda jornada ocupávamos o último lugar, mas acabámos por terminar no segundo.

Estamos nos oitavos-de-final pela segunda época consecutiva, uma novidade na história do clube. Tenho de dar os parabéns aos meus jogadores.

Maurizio Sarri, treinador do Nápoles
Queríamos vencer o grupo porque o Nápoles nunca o tinha conseguido. Jogámos bem na primeira parte, o Benfica abrandou o seu ritmo, e na segunda parte criámos várias oportunidades para marcar. Apenas estou desiludido com o golo tardio que sofremos, pois a defesa merecia não ter sofrido golos, só que cometeu um erro e foi penalizada por isso.

Penso que a vantagem de terminar em primeiro é muito pequena tendo em conta os clubes que já estão confirmados como segundos classificados. Mas ainda assim estamos satisfeitos porque saímos daqui convencidos que praticámos o melhor futebol do grupo. Creio que jogámos bem mesmo quando os resultados não foram os que desejávamos.

Topo