O que esperar de Benfica e Porto na última jornada?

Analisámos a história da UEFA Champions League para saber como se comportaram Benfica e Porto numa situação idêntica à actual: estatísticas, curiosidades e previsão.

©AFP/Getty Images

Aproxima-se a sexta e última jornada da fase de grupos da UEFA Champions League de 2016/17 e ainda há quatro vagas em aberto para os oitavos-de-final disputadas por sete equipas, entre as quais Benfica e Porto.

Analisámos a história da prova para saber como se comportaram os dois clubes perante situação idêntica à actual, apresentando dados estatísticos, curiosidades e tentando prever o que pode acontecer na terça e quarta-feira diante de Nápoles e Leicester. Ambos dependem apenas de si e neste momento estão em posição de apuramento e terão de defendê-la, no mínimo, igualando os resultados dos perseguidores Beşiktaş e Copenhaga.

No total, os rivais lusos estiveram 15 vezes envolvidos em decisões na derradeira jornada (11 para o Porto, quatro para o Benfica) e, dessas, seis foram bem-sucedidas (cinco para os "dragões", uma para as "águias").

O Benfica partiu em desvantagem em três delas, ocupando o segundo (desvantagem no confronto directo), terceiro e quarto lugares. Em 2012/13, tal como agora, também ocupava a segunda posição, partilhada com o Celtic (vantagem no confronto directo), mas não a conseguiu defender ao empatar fora com o Barcelona e permitir a ultrapassagem dos escoceses.

A ocasião mais dramática aconteceu em 2013/14, campanha que o Benfica terminou em igualdade pontual com o Olympiacos, após ter partido para a derradeira ronda com os mesmo pontos no segundo lugar. A vantagem era dos gregos e ambos ganharam, pelo que ficou assim mesmo.

Já o Porto está mais habituado a defender um lugar de qualificação, algo que aconteceu em cinco ocasiões, das quais quatro lhe permitiram seguir em frente.

Partindo no segundo lugar, teve de o defender três vezes. A situação mais aproximada à actual foi em 1999/2000, quando entrou para a jornada de fecho também com dois pontos de vantagem, diferença que ampliou graças ao triunfo sobre o último classificado. Em 2001/02, na primeira fase de grupos, os "dragões" bateram igualmente o último classificado. Por fim, em 2006/07, dividiam a liderança com o Arsenal e um empate entre ambos deixou tudo na mesma, com o Porto em segundo lugar.

No que toca às duas situações em que o Porto começou a última jornada no topo, estas tiveram desfechos distintos. Em 2007/08, venceu o Beşiktaş em casa e confirmou a vitória no grupo, enquanto em 2015/16 perdeu fora com o Chelsea e desceu de primeiro para terceiro, falhando o apuramento.

Apesar de dependerem apenas de si, existem semelhanças e diferenças nos embates dos clubes de Lisboa e Porto.

Os "azuis-e-brancos" defrontam o Leicester, que já tem o apuramento e o primeiro lugar garantidos. Possivelmente, o campeão inglês não se apresentará na máxima força, não querendo arriscar lesões e castigos de jogadores influentes antes dos oitavos-de-final.

Já o Benfica vai enfrentar o Nápoles, que após as duas primeiras rondas parecia caminhar tranquilamente rumo ao apuramento, mas agora terá de lutar por ele. Este factor certamente vai conferir dose extra de emoção ao jogo de Lisboa.

Tanto Benfica como Porto dificilmente poderão contar com ajuda de terceiros, já que Dínamo Kiev e Club Brugge (adversários de Beşiktaş e Copenhaga, respectivamente) estão fora da luta pelo apuramento, não só para a UEFA Champions League como também para a UEFA Europa League. No caso de igualdade pontual, o Benfica tem vantagem sobre o Beşiktaş, algo que não sucede entre Porto e Copenhaga.

Curiosidades
• Em 2004/2005, o Porto recebeu os ingleses do Chelsea, vencedor confirmado do grupo, e venceu, passando do terceiro para o segundo lugar.

• O Beşiktaş já se viu envolvido na luta pelo apuramento na derradeira ronda com equipas portuguesas. Foi frente ao Porto, em 2007/08, e uma derrota ditou o seu afastamento da competição.

• O Benfica defrontou sempre adversários fortes na última jornada: Manchester United (2005/06 e 2006/07), Barcelona (2012/13) e Paris Saint-Germain (2013/14).

Topo