Paris feliz no triunfo sobre o Basileia

Edinson Cavani fez o 3-0 para o Paris na conversão de um penalty nos minutos finais, mas o Basileia atirou três bolas ao ferro e ficou com a sensação que merecia outro resultado.

Golos de Ángel Di María, Lucas e Edinson Cavani ajudaram o Paris Saint-Germain a ficar com uma vantagem de seis pontos sobre o Basileia no Grupo A da UEFA Champions League.

Di María abriu a contagem pouco antes do intervalo, no segundo remate da equipa da Ligue 1 em todo o encontro, depois de Adrien Rabiot já ter testado a atenção de Tomáš Vaclík.

Até então a equipa mais perigosa tinha sido o Basileia, com Michael Lang e Seydou Doumbia a acertarem no ferro, enquanto Renato Steffen não conseguiu ultrapassar Alphonse Aréola quando surgiu isolado frente ao guarda-redes.

Os anfitriões surgiram bem melhor após o intervalo e Lucas aumentou a vantagem depois ultrapassada a hora de jogo. O Basileia rematou pela terceira vez ao ferro da baliza francesa através de Marek Suchý, mas os líderes da Liga suíça não conseguiram marcar o golo de honra e ainda viram Cavani fazer o 3-0 na conversão de um castigo máximo em período de compensação.

Figura: Adrien Rabiot (Paris)
Rabiot orquestrou o jogo a partir do meio-campo. O seu forte remate foi o prelúdio do primeiro golo e o momento que pareceu despertar os anfitriões.

Os jogadores do Basileia deixam o relvado do Parc des Prince
Os jogadores do Basileia deixam o relvado do Parc des Prince©AFP/Getty Images

Problemas do Basileia na concretização
Não é fácil ter oportunidades para marcar no Parc des Princes e o Basileia sai da capital francesa a lamentar ter sido tão perdulário. Um golo em três jogos na fase de grupos grupo é um problema que tem de ser corrigido com urgência, a começar já na recepção ao Paris a 1 de Novembro.

Segundas escolhas decisivas
Quantos mais golos Cavani marcou nas últimas semanas, mais reforçada ficou a sensação que o Paris está demasiado dependente da boa forma do avançado. O resto da equipa foi alvo de algumas críticas, mas Di María e Lucas fizeram aquilo que se exigia numa rara noite discreta de Cavani, que mesmo assim aproveitou para marcar o seu 16º golo em 12 jogos. O extremo argentino marcou pela primeira vez desde 23 de Abril e Lucas apontou o sexto golo em todas as competições numa época que, gradualmente, se está a revelar mais produtiva do que é hábito.

Topo