Alterações nas provas de clubes da UEFA a partir de 2018: P&R

Vai haver um novo sistema de qualificação para as competições de clubes da UEFA a partir de 2018, mas o formato das provas continuará o mesmo. Explicamos tudo nesta série de perguntas e respostas.

O novo formato foi apresentado no Mónaco
O novo formato foi apresentado no Mónaco ©Getty Images

Quais são as principais alterações nas competições de clubes da UEFA para o ciclo 2018–21?

Trata-se de uma evolução e não de uma revolução.

As principais mudanças têm lugar em três áreas: lista de acesso, coeficiente dos clubes e distribuição das receitas

Lista de acesso

  • Manutenção do Caminho dos Campeões e do Caminho das Ligas na qualificação da UEFA Champions League garante que clubes de todas as federações podem apurar-se através das suas classificações nas respectivas Ligas domésticas e qualificar-se para uma ou outra competição
  • Os vencedores da UEFA Europa League irão apurar-se automaticamente para a fase de grupos da UEFA Champions League (actualmente podem, potencialmente, ter de disputar o "play-off")
  • Os quatro primeiros classificados das quatro primeiras federações nacionais do ranking passarão a qualificar-se automaticamente para a fase de grupos da UEFA Champions League
  • Os detalhes completos relativos à lista de acesso para ambas as competições serão conhecidos no final do ano

Sistema de coeficiente de clubes

  • Um novo sistema de coeficientes dos clubes: os clubes são julgados de acordo com os seus próprios registos (desaparece a partilha do coeficiente do país no coeficiente individual do clube, a menos que esse coeficiente seja mais baixo do que 20 por cento do coeficiente da respectiva federação nacional).
  • Sucesso histórico na competição será também reconhecido no cálculo do coeficiente (pontos atribuídos por anteriores títulos europeus, com um sistema ponderado para troféus conquistados na UEFA Champions League e na UEFA Europa League)

Distribuição financeira

  • As contribuições financeiras para clubes e Ligas será significativamente aumentada para ambas as competições
  • Um novo sistema de distribuição financeira de quatro pilares (prémio de entrada, desempenho na competição, coeficiente individual do clube e parcela de mercado) levará a que o desempenho desportivo seja melhor recompensado, com o valor distribuído em função da parcela de mercado a diminuir.

Quem esteve envolvido na decisão de levar a cabo estas alterações?

As mudanças são resultado de um extenso processo de consulta junto das várias partes envolvidas no futebol europeu e levam em linha de conta um vasto leque de conhecimentos e perspectivas.

O futebol europeu permanece unido, fiel aos princípios da solidariedade, da competição justa, da justa distribuição e da boa gestão.

UEFA, clubes, Ligas e federações nacionais falam a uma só voz nestas questões e estão prontos para dar continuidade a esta tão bem-sucedida relação.

Todos os países continuarão a ter possibilidades de colocarem o seu campeão na UEFA Champions League?

Sem dúvida. O direito de todas as federações e respectivos clubes competirem na principal prova europeia de clubes foi salvaguardado. Mantém-se o Caminho dos Campeões e o Caminho das Ligas na qualificação para a fase de clubes, o que significa que os clubes e os países mais pequenos continuarão a poder participar nessa fase da competição.

O novo formato apenas levará a que os maiores clubes dos maiores países se tornem mais e mais ricos?

Na verdade, o novo modelo de redistribuição das receitas garantirá um aumento dos pagamentos a Ligas e clubes eliminados na fase de qualificação para a fase de grupos. Além disso, a redução dos pagamentos relativos à parcela de mercado significa que todos os clubes receberão mais dinheiro em função do sucesso desportivo e menos dinheiro por simplesmente fazerem parte de um grande mercado televisivo.

Qual a razão das alterações no sistema do coeficiente dos clubes?

A nova fórmula de cálculo do coeficiente trará um novo equilíbrio à forma como o desempenho passado é levado em conta. A competição conta com uma história rica e, agora, isso vai passar a ser alvo do devido reconhecimento. O êxito desportivo e o mérito serão reconhecidos neste novo sistema de coeficientes.

Ainda não há detalhes sobre como as outras 16 vagas na fase de grupos da UEFA Champions League serão distribuídas. Como se pode garantir que as outras federações terão oportunidade de assegurar uma dessas vagas?

Nada vai mudar para a vasta maioria das outras federações participantes, as quais continuarão a ter a possibilidade de ver os seus clubes qualificarem-se para a fase de grupos. Haverá um sistema de qualificação que envolverá todos os clubes, os quais, independentemente da sua dimensão, manterão vivo o sonho de disputar a maior competição de clubes do mundo. Isso não foi alterado. Trata-se de uma competição aberta, inclusiva e para todos.

Poderá uma federação vir a ter seis equipas numa fase de grupos da UEFA Champions League?

O número máximo de equipas por federação nacional é fixado em cinco e qualquer alteração será determinada em devido curso.

Haverá mais alguma alteração?

Os jogos da UEFA Champions League terão agora horas de início diferentes, tal como acontece na UEFA Europa League.

Topo