Empate deixa tudo para decidir em Roma

Porto 1-1 Roma Contra dez jogadores mais de meia parte, o Porto não foi além de um empate ante uma formação italiana que conseguiu o que desejava no Estádio do Dragão.

Watch the best of the action from this play-off round match.
  • Empate 1-1 deixa tudo em aberto para o jogo em Roma
  • Felipe marca na própria baliza aos 21 minutos
  • Vermaelen expulso por acumulação a quatro minutos do intervalo
  • André Silva empata de penalty aos 61 minutos
  • Segunda mão agendada para o Stadio Olimpico a 23 de Agosto

O Porto não foi além de um empate 1-1 na primeira mão do "play-off" da UEFA Champions League, num encontro em que a Roma marcou primeiro, graças a um autogolo de Felipe e em que chegou à igualdade já no segundo tempo, por André Silva, de grande penalidade, no minuto 61, já após a expulsão do defesa romano Thomas Vermaelen, a quatro minutos do intervalo. 

A Roma entrou melhor no encontro e depois de dois lances muito perigosos de Mohamed Salah, e um outro de Edin Džeko, foi sem surpresa que se adiantou no marcador, num lance em que Felipe desviou para a própria baliza, quando tentava afastar um cruzamento Alessandro Florenzi, aos 21 minutos.

O golo romano funcionou como tónico para o Porto, que rapidamente reagiu, com Otávio a ganhar protagonismo no renascer da equipa, obrigando Alisson Becker a defesa apertada, logo no minuto seguinte. Os "azuis-e-brancos" conseguiam por fim ter mais bola e começaram a equilibrar a contenda a meio-campo, sem que, no entanto, conseguissem evitar a Roma de voltar a criar perigo, quando dois remates consecutivos de Salah e um último de Nainggolan colocaram à prova os reflexos de Iker Casillas, que mostrou toda a sua categoria, ainda antes da meia-hora.

Foi a ultima vez em que o guardião espanhol foi incomodado na primeira parte, com a equipa de Nuno Espírito Santo a tomar definitivamente conta do jogo e a acercar-se da baliza de Allison, primeiro com um lance de Otávio pela esquerda, sendo que seria do brasileiro o excelente passe que colocaria André Silva bem colocado para marcar, com Thomas Vermaelen a derrubar o jovem avançado à entrada da área e a ver o segundo amarelo e o consequente vermelho, no minuto 41.

Contra dez, o Porto entrou a todo o gás na segunda parte e depois de Adrián López ter visto um golo ser anulado por fora-de-jogo, André Silva, sem marcação, cabeceou ligeiramente ao lado, a passe de André André. Sem surpresa, o Porto chegou ao empate, de grande penalidade, em lance a punir mão na área do recém-entrado Emerson Palmieri, a um remate de Adrián López. Da marca dos 11 metros André Silva não perdoou quando estavam decorridos 61 minutos.

Embalado pelo golo o conjunto portista forçou em busca do tento da vitória, sem que, no entanto, criasse situações claras, sendo que com menos um, Luciano Spalletti, apostou claramente na manutenção do resultado, tirando o veloz e já desgastado Salah para fazer entrar um defesa, Federico Fazio, à entrada do quarto de hora final, logrando resistir para se colocar em vantagem à entrada da segunda mão, fruto do golo fora.

©AFP/Getty Images

Jogador chave: Otávio (Porto) 

Começo forte da Roma
Havia a sensação que os da casa iriam estar melhores pois o seu campeonato já começara no fim-de-semana passado. No entanto, os forasteiros provaram o contrário na primeira parte, pelo menos até à expulsão de Vermaelen, Luciano Spalletti terá ficado satisfeito com o que terá visto no primeiro jogo oficial da temporada.

O espírito lutador do Porto 
A formação de Nuno Espírito Santo não entraram bem no jogo. Foi o primeiro grande teste ao novo treinador dos "dragões" que conseguiu fomentar uma forte reacção ante uma Roma reduzida a dez. Mas um teste maior aguarda-o na segunda mão.

Topo