Vidal espera tarefa "hercúlea" para o Bayern nas meias-finais

Arturo Vidal garante que Josep Guardiola continuará "totalmente empenhado no Bayern" seja qual for o próximo adversário e diz esperar uma "tarefa hercúlea" para os bávaros no caminho para a final.

Arturo Vidal marca o primeiro do Bayern no empate 2-2 frente ao Benfica
Arturo Vidal marca o primeiro do Bayern no empate 2-2 frente ao Benfica ©Getty Images

Quando o Bayern calhou com o Benfica no sorteio dos quartos-de-final da UEFA Champions League, em Nyon, a 18 de Março, sentiu-se a confiança - não apenas dos representantes do emblema de Munique presentes no auditório, mas também dos adeptos nas redes sociais logo a seguir.

E, como eles e muitos outros previram, os bávaros suplantaram os portugueses e estão nas meias-finais - pela quinta temporada consecutiva. No entanto, tal não aconteceu da forma tão fácil como muitos terão esperado.

Depois de uma cabeçada de Arturo Vidal ter dado ao Bayern uma vantagem de 1-0 no final da primeira mão, o Benfica esteve muito perto de virar a eliminatória quando, no seu melhor período no Estádio de Luz, Raúl Jiménez desperdiçou o seu segundo tento da noite.

O mexicano, autor de um belo cabeceamento que empatou a eliminatória 1-1 no minuto 27, não marcou quando tinha tudo para o fazer na grande área. Tal seria fatal para as aspirações dos da casa, pois Vidal, de novo, voltou a salvar o Bayern, com um poderoso remate à entrada da área que deixou o Benfica a precisar de marcar duas vezes.

"O empate foi um momento importante do jogo, porque eles tinham ganho alento com o golo", disse Vidal, decisivo no curso da eliminatória para o Bayern. "Senti-me bem nos dois jogos e foi uma grande alegria ter marcado de novo."

Apesar do tento de Vidal ter sido um golpe duro nas aspirações do Benfica, as "águias" nunca baixaram os braços e chegaram a um respeitoso 2-2 no final, com Talisca a marcar na conversão de um livre, já depois de Thomas Müller ter colocado o Bayern na frente.

Veja como o Bayern atingiu as meias-finais
Veja como o Bayern atingiu as meias-finais

No sorteio das meias-finais os alemães terão a companhia do Atlético Madrid, que afastou o campeão em título, o Barcelona, o Real Madrid, que suplantou o Wolfsburgo, e o Manchester City, formação que o treinador do Bayern, Josep Guardiola, vai orientar a partir do Verão.

Na conferência de imprensa após o encontro Guardiola foi diplomático ao abordar um possível encontro com os seus futuros patrões, mas Vidal deixou claro que o técnico espanhol irá estar "totalmente empenhado ao serviço do Bayern". E prosseguiu: "Ele vai para o City no final da época mas até lá o seu objectivo é ganhar a Champions League pelo Bayern."

Os bávaros já enfrentaram o City em duas ocasiões recentemente, na fase de grupos, com vitórias para cada lado, e conhecem bem o Real Madrid, que desforrou-se a eliminação da meia-final em 2012 com uns claros 4-0 em Munique na caminhada para a vitória na prova em 2014. Apesar desse triunfo rotundo, os adeptos do Real falam do Bayern como a sua "besta negra", tal o receio do gigante alemão.

Thomas Müller festeja em Lisboa
Thomas Müller festeja em Lisboa©Getty Images

A outra formação de Madrid, o Atlético, é mais desconhecido para o Bayern – pelo menos nos tempos mais recentes. Apesar disso, o primeiro triunfo dos três consecutivos do emblema de Munique na Taça dos Clubes Campeões Europeus foi ante os "rojiblancos", em 1974, mas ainda não encontrou o conjunto de Diego Simeone, que chegou à final da UEFA Champions League de Lisboa, há duas temporadas.

Vidal está consciente do que aí poderá vir, tendo afirmado ao UEFA.com: "O Atlético é uma equipa muito difícil, muito bem organizada. O nosso objectivo é chegar à final e vencer a prova, não interessa quem calhe no caminho, mas será outra tarefa hercúlea, pois as quatro equipas são todas muito fortes."

Topo