Golo de Jonas nos descontos deixa Benfica em vantagem

Benfica 1-0 Zenit Jonas marcou de cabeça aos 91 minutos o golo da vitória que deixou o Benfica com ligeira vantagem para a segunda mão.

Watch the best of the action from Lisbon where Jonas headed a dramatic late goal to give Benfica the edge against Zenit.
  • Jonas marca de cabeça pouco depois de Domenico Criscito ser expulso
  • Primeiro jogo oficial do Zenit desde o embate com o Gent, a 9 de Dezembro
  • Axel Witsel, Ezequiel Garay e Javi García alinham de início frente ao Benfica, antiga equipa
  • André Almeida, Jardel, Javi e Domenico Criscito falham jogo na Rússia
  • Segunda mão dos oitavos-de-final no Stadion Petrovsky a 9 de Março

O Benfica vai partir em vantagem para a segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League frente ao Zenit, na Rússia, após Jonas ter marcado, aos 91 minutos, o único golo da partida em Lisboa.

Sem surpresas no “onze”, o conjunto “encarnado” apresentou-se no seu habitual figurino, a querer assumir as despesa do jogo desde cedo. Pela frente encontrou um Zenit expectável, com muita qualidade, onde não se notou nos primeiros minutos a ausência de competição - a Liga russa atravessa a habitual paragem de Inverno.

O conjunto orientado pelo treinador português André Villas-Boas surgiu no Estádio da Luz com naturais cautelas, tentando sempre aproveitar os erros da formação da casa. A primeira ocasião de golo surgiu somente aos 18 minutos, após lance pelo lado direito do ataque do Benfica. Pizzi recolheu o esférico na zona central mas o remate saiu fraco, à figura do guarda-redes Yuri Lodygin.

Até ao lance de Pizzi o jogo não teve muitas oportunidades de golo devido, em parte, às cautelas que ambas as equipas evidenciaram, não assumindo grandes riscos, que pudessem comprometer a segurança do sector mais recuado. Aos 28 minutos, Jonas deu um safanão no jogo, com um remate forte, fora da área, que obrigou Lodygin a defesa apertada. E aos 35 o Zenit respondeu através da marcação de um livre, com Hulk a disparar com muita força, ligeiramente ao lado da baliza à guarda de Júlio César.

Depois do nulo registado no primeiro tempo, os “encarnados” voltaram a entrar de forma positiva, não dando espaços ao Zenit para construir o seu jogo. Aos 51 minutos Axel Wiesel criou muito perigo, ao progredir em zona frontal, rematando com violência para defesa complicada de Júlio César.

©AFP/Getty Images

O Benfica ia tentando chegar à vantagem mas o Zenit defendeu sempre com muito acerto. Aos 68 Nico Gaitán desperdiçou a melhor ocasião até à altura, depois de se livrar de um defesa contrário já dentro da área contrária. O argentino, cara-a-cara com Lodygin, rematou com estrondo para defesa aparatosa do guarda-redes russo. Determinado em chegar ao golo, o Benfica esteve perto de marcar três minutos depois. Renato Sanches cruzou largo, Lindelöf cabeceou para o centro e Jardel disparou de pronto, com a bola a sair ligeiramente ao lado.

E quando se perspectivava o nulo, Gaitán, no lance que anteceu a expulsão de Criscito, cobrou um livre para o coração da grande área do Zenit e o desvio de cabeça de Jonas só parou no fundo das redes da baliza de Lodygin.

Topo