Grandes surpresas na qualificação da UEFA Champions League

Chegar à fase de grupos da UEFA Champions League não é fácil, conforme descobriram nomes ilustres como Ajax, Inter, Shakhtar e Sevilha, afastado pelo Braga.

Matheus é felicitado após marcar pelo Braga ao Sevilha
Matheus é felicitado após marcar pelo Braga ao Sevilha ©Getty Images

Košice 2-1 Spartak
Spartak 0-0 Košice
1997/98, segunda pré-eliminatória
Presença assídua na fase de grupos nos anos 90, a tarefa fácil que o Spartak esperava não se concretizou, revelando-se um pesadelo. "Chegámos a pensar desistir do futebol após a derrota em Košice", disse o médio Andrei Tikhonov.

Lyon 0-1 Maribor
Maribor 2-0 Lyon
1999/2000, terceira pré-eliminatória
O estatuto da Eslovénia no futebol de clubes era bastante baixo quando o Maribor defrontou o Lyon em 1999, muitos assumindo que o sucesso da primeira mão, em França, tinha sido sorte. No entanto Ante Simundža e Stipe Balajić provaram o contrário, completando um resultado total de 3-0. "Esta é a página mais negra na história do clube", recordou o treinador do Lyon, Bernard Lacombe. "Não gosto de falar sobre estes dois jogos. São as piores recordações da minha carreira de treinador."

Helsingborg 1-0 Inter
Inter 0-0 Helsingborg
2000/01, terceira pré-eliminatória
O remate forte e certeiro de Mikael Hansson na primeira mão, bem como a defesa de Sven Andersson a uma grande penalidade de Álvaro Recoba, apuraram a equipa sueca, ao mesmo tempo que ditaram uma eliminação precoce na UEFA Champions League para estrelas como Andrea Pirlo, Clarence Seedorf, Laurent Blanc, Hakan Şükür e Iván Zamorano.

"É certamente o dia mais complicado da minha vida ao serviço do Inter", afirmou o treinador Marcello Lippi após o jogo decisivo. Uma derrota por 2-1 em Reggina, no primeiro jogo dos "nerazzurri" na Serie A, sete semanas depois, levarem-no a acrescentar: "Se fosse presidente, despedia o treinador e mandava embora os jogadores". Pouco tempo depois, Massimo Moratti despediu mesmo Lippi.

CSKA 1-2 Vardar
Vardar 1-1 CSKA
2003/04, segunda pré-eliminatória
A vitória em Moscovo foi a primeira de um clube macedónio fora nas competições europeias, alcançando o maior feito do país enquanto nação independente.

©Getty Images

Artmedia 5-0 Celtic
Celtic 4-0 Artmedia
2005/06, segunda pré-eliminatória
Gordon Strachan classificou derrota na primeira mão como "a pior noite futebolística" da carreira. A equipa de Vladimír Weiss acabou por chegar à fase de grupos, e este disse: "Acreditámos num sonho e agora ele é realidade".

©Getty Images

Ajax 0-1 Slavia
Slavia 2-1 Ajax
2007/08, terceira pré-eliminatória
Após cinco tentativas sem sucesso, o Slavia alcançou finalmente a fase de grupos, graças a uma vitória suada em casa, com um bis de Stanislav Vlček. "Só relaxei quando o Vlček bisou", disse o técnico Karel Jarolím".

Anorthosis 3-0 Olympiacos
Olympiacos 1-0 Anorthosis
2008/09, terceira pré-eliminatória
"O maior feito na história do futebol cipriota" foi como o jornal Politis descreveu o apuramento do Anorthosis de Temuri Ketsbaia para a fase de grupos. "Para uma equipa de um país pequeno como o Chipre e com um orçamento tão pequeno como o nosso, é um sonho chegar à Champions League", disse Ketsbaia.

©Sportsfile

Shakhtar 2-2 Timişoara
Timişoara 0-0 Shakhtar
2009/10, terceira pré-eliminatória
"Jogámos com alma e os adeptos foram fantásticos", disse o médio Artavazd Karamyan após a sua equipa eliminar o conjunto de Mircea Lucescu, detentor da Taça UEFA, com dois empates.

Braga 1-0 Sevilha
Sevilha 3-4 Braga
2010/11, "play-off"
"Foi a primeira vez que ouvi o hino da Champions League, e marquei o golo da vitória – que mais se pode pedir?", disse o avançado brasileiro Matheus, em êxtase, após o modesto Braga derrotar em casa o conceituado Sevilha. Mas sem dúvida que o melhor estava para vir, com um "hat-trick" do suplente Lima a abrir caminho para o clube luso alcançar a fase de grupos – e terminou a época na final da UEFA Europa League, que perdeu para o FC Porto.

©Julien Garroy

Dudelange 1-0 Salzburgo
Salzburgo 4-3 Dudelange
2012/13, segunda pré-eliminatória
"É um desastre", disse Martin Hinteregger, defesa do Salzburgo, depois da eliminação frente ao campeão luxemburguês, devido aos golos fora. "A vitória por 1-0 na primeira mão não foi uma surpresa para mim, mas o apuramento sim", admitiu o treinador Dider Philippe.

Topo