Čech: Por que troquei o Chelsea pelo Arsenal

Na sua primeira conferência de imprensa desde que assinou pelo Arsenal, Petr Čech explicou as razões que o levaram a tomar a complicada decisão de deixar o Chelsea.

Petr Čech com as cores do Arsenal em Praga
Petr Čech com as cores do Arsenal em Praga ©Ondřej Zlámal

Envergando as cores do Arsenal FC, Petr Čech deu, em Praga, a sua primeira conferência de imprensa desde que viu chegar ao fim a sua ligação de 11 anos ao Chelsea FC. Eis o que disse o guardião.

Porquê o Arsenal
De certa forma, é o fechar de um ciclo. Quando eu tinha 20 anos e jogava em França, pelo Rennes, apenas uma licença de trabalho me impediu de assinar pelo Arsenal. É um clube que preenche a minha ambição pessoal, pois ambiciona conquistar troféus.

Falei com Arsène Wenger e ele foi importante para esta minha mudança. Apresentou-me um projecto que é precisamente aquilo de que eu quero fazer parte nesta fase da minha carreira. Sei que, de certa forma, é estranho para os adeptos do Chelsea, mas acredito que tomei a decisão certa. Estou longe de estar acabado.

Por que se mudou
Na última temporada percebi o quando gosto de jogar futebol de forma regular, o quanto gosto de fazer parte da equipa todas as semanas. O meu empenho e a minha abordagem ao futebol continuam a ser iguais ao que eram quando iniciei a minha carreira e percebi que ainda não chegou a altura de me acomodar e ficar sentado no banco.

Quando joguei mostrei que ainda tenho o nível necessário para jogar na Premier League, na Champions League e nos grandes jogos. Decidi-me, pois, por esta transferência pensando estritamente no futebol. Quero continuar a viver aquela sensação de subir ao relvado todas as semanas, de vencer jogos e troféus, e de ser uma parte importante da equipa. Tão simples quanto isso.

Deixar o Chelsea
Foi a decisão mais difícil que alguma vez tive de tomar. José Mourinho optou por fazer de Thibaut Courtois o Nº1, decisão que também não terá sido fácil para ele; agora chegou a minha vez de decidir e não foi fácil para mim tomar a opção de deixar um clube do qual tanto gosto. Sempre me imaginei a terminar a carreira no Chelsea.

O factor Rosický
Falei com Tomáš Rosický porque queria saber como estão as coisas no clube. Ele falou-me de forma muito positiva do momento do Arsenal e disse a verdade, a avaliar pelo que já vi nestes primeiros dias desde esta minha mudança.

A perspectiva de defrontar o Chelsea
Joguei muitos jogos pelo Chelsea frente ao Arsenal, nas mais variadas competições. Foram grandes batalhas que, na maior parte das vezes, terminaram bem para o nosso lado. Espero, agora, inverter a corrente e virá-la a favor do Arsenal.

Topo