De onde são os finalistas da UEFA Champions League

Onze países estão representados nos plantéis de jogadores dos dois clubes para a final e o UEFA.com descobriu que cada um tem algo único para festejar.

Claudio Bravo e Arturo Vidal são chilenos, mas do lado oposto da barricada em Berlim
Claudio Bravo e Arturo Vidal são chilenos, mas do lado oposto da barricada em Berlim ©Getty Images

Os 48 jogadores inscritos nos plantéis de Juventus e FC Barcelona para a final da UEFA Champions League representam 11 nações diferentes.

A equipa da Juventus tem 22 jogadores de sete países:
12: Itália
3: França*
2: Argentina, Espanha
1: Brasil, Chile, Suíça

O plantel do Barcelona possui 26 representantes de nove países:
14: Espanha
4: Brasil
2: Argentina
1: Bélgica, Chile, Croácia, Alemanha, França, Uruguai

No total a Espanha ganha à Itália no número de atletas nas duas formações:
16: Espanha
12: Itália
5: Brasil
4: Argentina, França
2: Chile
1: Bélgica, Croácia, Alemanha, Suíça, Uruguai

Cinco países têm representantes nos dois emblemas:
Espanha: 2 Juventus, 14 Barcelona
Brasil: 1 Juventus, 4 Barcelona
França: 3 Juventus, 1 Barcelona
Argentina: 2 Juventus, 2 Barcelona
Chile: 1 Juventus, 1 Barcelona

O UEFA.com analisa as estatísticas para ver de que forma a final de 2015 poderá ser especial para cada país envolvido.

Massimiliano Allegri
Massimiliano Allegri©Getty Images

Itália
• Massimiliano Allegri pode tornar-se no oitavo treinador italiano a conquistar a Taça dos Clubes Campeões Europeus/UEFA Champions League, sendo os seus antecessores:
Nereo Rocco (AC Milan 1963 e 1969)
Giovanni Trapattoni (Juventus 1985)
Arrigo Sacchi (AC Milan 1989 e 1990)
Fabio Capello (AC Milan 1994)
Marcello Lippi (Juventus 1996)
Carlo Ancelotti (AC Milan 2003 e 2007, Real Madrid CF 2014)
Roberto Di Matteo (Chelsea FC 2012)

• O último jogador italiano a disputar a final da UEFA Champions League foi Marco Materazzi, que entrou durante a partida que o FC Internazionale Milano ganhou por 2-0 frente ao FC Bayern München, em 2010.

Luis Enrique
Luis Enrique©Getty Images

Espanha
• O treinador do Barcelona, Luis Enrique, pode tornar-se no sexto técnico espanhol a vencer a competição. Os seus antecessores foram:
José Villalonga (Real Madrid CF 1956 e 1957)
Miguel Muñoz (Real Madrid FC 1960 e 1966)
Vicente del Bosque (Real Madrid FC 2000 e 2002)
Rafael Benítez (Liverpool FC 2005)
Josep Guardiola (FC Barcelona 2009 e 2011)

• Desde o triunfo do FC Internazionale Milano em 2010 que nenhuma equipa venceu a UEFA Champions League sem pelo menos um jogador espanhol.

Daniel Alves
Daniel Alves©Getty Images

Brasil
• As equipas vencedoras da UEFA Champions League nas últimas nove finais tinham todas jogadores brasileiros.

• Daniel Alves, do Barcelona, poderá tornar-se no primeiro brasileiro a marcar presença em quatro grandes finais da UEFA: jogou nas vitórias em duas Taças UEFA pelo Sevilla FC e na UEFA Champions League de 2011 pelo Barcelona.

• Alves soma 82 jogos na UEFA Champions League, sendo o quinto brasileiro com mais encontros na competição. Roberto Carlos lidera com 128.

Argentina
• Jogadores argentinos fizeram parte da equipa vencedora em cinco das últimas sete finais da UEFA Champions League; nenhum argentino esteve presente nas formações que disputaram as finais de 2012 ou 2013.

• Os 98 desafios de Lionel Messi colocam-no no segundo lugar, atrás de Javier Zanetti (com 105), na lista de argentinos com mais presenças na mais importante competição de clubes da UEFA. É o melhor marcador do seu país nas provas da UEFA, com 78 golos – em segundo lugar, apenas atrás de Cristiano Ronaldo, que regista 80 tentos europeus.

Florent Malouda
Florent Malouda©Getty Images

França
• As últimas quatro equipas vencedoras da UEFA Champions League tiveram jogadores franceses nas suas fileiras; Éric Abidal (FC Barcelona, 2011), Florent Malouda (Chelsea FC, 2012), Franck Ribéry (FC Bayern München, 2013), Raphaël Varane e Karim Benzema (Real Madrid FC, 2014).

Uruguai
• Luis Suárez, do Barcelona, poderá tornar-se no primeiro uruguaio a vencer a Taça dos Campeões Europeus desde José Santamaría, que a ganhou pela segunda vez, ao serviço do Real Madrid CF, em 1960. Desde então, Santamaría (1962 e 1964) e os compatriotas Paolo Montero (Juventus 1997 e 1998), Marcelo Zalayeta (Juventus 2003) e Diego Godín (Club Atlético de Madrid) jogaram finais, mas perderam-nas.

Iván Zamorano
Iván Zamorano©Getty Images

Chile
• O guarda-redes do FC Barcelona, Claudio Bravo, e o médio da Juventus, Arturo Vidal, podem tornar-se nos primeiros chilenos a disputarem uma final da Taça dos Campeões Europeus ou UEFA Champions League. O único chileno que anteriormente disputou uma final foi Fernando Riera, como treinador do SL Benfica que perdeu para o AC Milan no jogo decisivo de 1963.

• O único chileno que conquistou uma prova de clubes da UEFA foi Iván Zamorano, que ganhou a Taça UEFA pelo FC Internazionale Milano em 1998. Havia perdido a mesma competição na temporada anterior, enquanto o compatriota Rodrigo Tello foi finalista vencido da Taça UEFA pelo Sporting Clube de Portugal, em 2005.

Mario Mandžukić
Mario Mandžukić©AFP/Getty Images

Croácia
• Ivan Rakitić, do Barcelona, poderá tornar-se no sétimo croata a vencer a mais importante competição de clubes da Europa. Os anteriores vencedores croatas foram:
Robert Prosinečki (FK Crvena zvezda, 1991)
Alen Bokšić (Olympique de Marseile, 1993)
Zvonimir Boban (AC Milan, 1994)
Davor Šuker (Real Madrid FC 1998)
Mario Mandžukić (FC Bayern München, 2013)
Luka Modrić (Real Madrid CF).

• Mandžukić é o único croata com um golo marcado numa final da UEFA Champions League.

Bélgica
• Thomas Vermaelen ainda não jogou na UEFA Champions League da presente temporada, mas se disputar a final tornar-se-á apenas no terceiro belga a vencer a competição, depois de Erik Gerets (PSV Eindhoven, 1988) e Daniel Van Buyten (FC Bayern München, 2013).

• Dois dos colegas de selecção de Vermaelen perderam a final da época passada em Lisboa, pelo Club Atlético de Madrid: Thibaut Courtois e Toby Alderweireld.

Jens Lehmann
Jens Lehmann©AFP/Getty Images

Alemanha
• O guarda-redes do Barcelona, Marc-André ter Stegen, poderá tornar-se no terceiro guardião alemão a disputar uma final da Taça dos Campeões Europeus/UEFA Champions League por um clube estrangeiro. Bodo Ilgner ganhou a prova pelo Real Madrid CF em 1998, não sofrendo qualquer golo contra a Juventus, mas Jens Lehmann teve menos sorte na partida decisiva de 2006: foi expulso aos 18 minutos na derrota do Arsenal FC por 2-1 com o Barcelona.

• Curiosamente, a expulsão de Lehmann permitiu manter um recorde interessante; nenhum guardião alemão sofreu golos numa final da Taça dos Campeões Europeus/UEFA Champions League ao serviço de uma equipa estrangeira.

• Um alemão fazia parte a equipa que venceu a final da época passada: o médio do Real Madrid CF, Sami Khedira.

• Nenhum jogador do Senegal venceu uma grande final de competições da UEFA; Roger Mendy foi finalista vencido pelo Mónaco na final da Taça dos Vencedores as Taças de 1992, em Lisboa, enquanto Habib Beye e Sylvain N'Diaye foram também derrotados ao serviço do Olympique de Marseille em 2004.

Suíça
• O defesa da Juventus, Stephan Lichtsteiner, poderá tornar-se no segundo suíço a disputar uma final da Taça dos Campeões Europeus/UEFA Champions League; Stéphane Chapuisat foi o primeiro, ao serviço do Borussia Dortmund que ganhou à Juventus por 3-1 na final de 1997, em Munique.

Topo