Benfica - Porto: Cinco jogos históricos

Separados por três pontos à partida para a terceira jornada, os rivais Benfica e Porto defrontam-se no sábado. Recordamos cinco jogos memoráveis no campeonato entre ambos na casa dos "encarnados".

Pizzi e Marega no "clássico" da época passada
Pizzi e Marega no "clássico" da época passada ©Getty Images

Separados por três pontos na classificação da Liga portuguesa, Benfica e Porto defrontam-se no sábado, em jogo da terceira jornada, com os "dragões" em busca de um resultado que não deixe fugir as "águias" numa fase tão precoce da época. Os campeões nacionais tentam dar seguimento ao excelente início de temporada. 

Esta será a 86ª visita dos portistas ao terreno da formação lisboeta em jogos do campeonato e os 85 embates anteriores resultaram em 43 vitórias do Benfica, 16 do Porto e 26 empates. A redacção portuguesa do UEFA.com recorda cinco dos mais memoráveis.

1942/43: Benfica 12-2 Porto
7 de Fevereiro de 1943, 5ª jornada

Javier Saviola festeja o golo da vitória do Benfica em 2009/10
Javier Saviola festeja o golo da vitória do Benfica em 2009/10©Getty Images

Depois dessa vitória de estreia do Porto em 1940, o Benfica somou oito triunfos consecutivos, sete dos quais goleadas, mas a terceira é a que ficou para a história por ter sido a mais desnivelada. A jogar no Campo Grande, os "encarnados", na altura líderes da classificação, foram avassaladores e impediram a aproximação do adversário, chegando ao intervalo a vencer por 4-0. Com quatro golos em 20 minutos da segunda parte, Julinho desbaratou por completo a defesa portista e é, até à data, o único jogador a ter apontado um "poker" na história deste clássico do futebol português em Lisboa.

2009/10: Benfica 1-0 Porto
20 de Dezembro de 2009, 14ª jornada

Após quatro títulos seguidos do Porto, o Benfica queria travar a hegemonia "azul-e-branca". Na época de estreia de Jorge Jesus, os "encarnados" receberam o Porto partilhando a liderança com o SC Braga e os "dragões" apenas a um ponto. Mesmo sem os influentes Fábio Coentrão, Ángel Di María e Pablo Aimar, e perante a chuva intensa que dificultou a tarefa das duas equipas, os anfitriões superiorizaram-se graças a um golo de Javier Saviola, num triunfo moralizador para a luta a dois pelo título com os "arsenalistas", cujo desfecho seria favorável ao Benfica.

O Porto festeja a conquista do título em 2010/11
O Porto festeja a conquista do título em 2010/11©Getty Images

2010/11: Benfica 1-2 Porto
3 de Abril de 2011, 25ª jornada

Depois do desaire da época anterior, a resposta do Porto foi concludente. Os "dragões", comandados pelo jovem treinador André Villas-Boas, arrancaram melhor e aproveitaram os desaires do Benfica para liderarem o campeonato desde a segunda jornada. Este jogo em casa do rival podia garantir a conquista matemática do título que há muto se avizinhava – e assim aconteceu.

O golo de Fredy Guarín aos nove minutos, ajudado pelo guarda-redes Roberto Jiménez, deu o mote, e, apesar de Saviola (17) ter empatado, de grande penalidade, o inevitável Hulk decidiu a contenda da mesma forma ainda na primeira metade (26). O triunfo portista ficou englobado numa série de 16 vitórias consecutivas, num campeonato em que terminou sem derrotas (apenas três empates) e com 21 pontos de vantagem sobre o Benfica, segundo da tabela.

Ezequiel Garay (centro) após marcar em 2013/14 quando o Benfica jogou com 11 Eusébios
Ezequiel Garay (centro) após marcar em 2013/14 quando o Benfica jogou com 11 Eusébios©AFP/Getty Images

2013/14: Benfica 2-0 Porto
12 de Janeiro de 2014, 15ª jornada

O dia em que o Benfica jogou com "11 Eusébios". A partida da 15ª jornada tinha o extra de colocar em confronto dois dos três líderes da prova nesse momento, mas ficou marcada pela morte de Eusébio, glória maior do Benfica, uma semana antes. O clube queria homenagear da melhor forma o seu ídolo e a equipa corporizou esse desejo, com os jogadores a envergarem o nome de Eusébio nas costas da camisola.

Numa exibição plena de garra, o Benfica inaugurou o marcador aos 13 minutos num remate fulminante de Rodrigo e encerrou-o aos 53, num cabeceamento de Ezequiel Garay. O resultado deixou os "encarnados" isolados na liderança rumo à conquista do título.

Herrera foi decisivo no 'clássico' em 2017/18
Herrera foi decisivo no 'clássico' em 2017/18©Getty Images

2017/18: Benfica 0-1 Porto
15 de Abril de 2018, 30ª jornada

Após liderar a competição da primeira até à 27ª jornada, o Porto chegava ao clássico no segundo lugar, ultrapassado pelo anfitrião e campeão Benfica duas jornadas antes, quando perdeu numa visita a Lisboa, frente ao Belenenses. Um revés nas aspirações dos "dragões" em quebrarem a hegemonia recente do rival e recuperarem um título que fugia há quatro épocas. No entanto, a formação nortenha não se atemorizou num estádio onde costuma ser feliz.

Depois de uma primeira parte em que os lances de maior perigo pertenceram aos "encarnados", com Rafa a acertar no poste e Cervi e Pizzi a obrigarem Iker Casillas a óptimas defesas, a equipa de Sérgio Conceição fez pela vida na segunda, frente a um Benfica que parecia satisfeito com o empate. À entrada para os descontos, um corte incompleto à entrada da área deixou a bola à mercê de Héctor Herrera, que com um forte remate não deu hipóteses a Bruno Varela. O Porto recuperou a liderança e somou mais três triunfos seguidos, conquistando o tão ansiado campeonato.

Topo