Oblak agarra oportunidade no Atlético

Teve de ser paciente, mas Jan Oblak está a afirmar-se no Atlético de Madrid e a excelente exibição do guarda-redes esloveno frente ao Real Madrid foi mais uma prova disso mesmo.

Jan Oblak efectua uma das suas oito defesas frente ao Real Madrid
Jan Oblak efectua uma das suas oito defesas frente ao Real Madrid ©AFP/Getty Images

O Club Atlético de Madrid segurou o nulo na recepção de terça-feira ao Real Madrid CF, numa repetição da final da época passada da UEFA Champions League, mas o resultado esconde muito do que se passou no encontro.

Os campeões em título dispuseram de várias ocasiões para marcar, desferindo um total de 11 remates na direcção do alvo em busca de um golo fora que lhes conferisse uma vantagem talvez decisiva. Porém, o guarda-redes do Atlético, Jan Oblak, tinha outras ideias e deu o mote para aquela que viria a ser uma grande exibição individual logo aos quatro minutos, com uma excelente intervenção quando Gareth Bale surgiu isolado à sua frente. O internacional esloveno mostrou-se intransponível durante os 90 minutos, ao longo dos quais efectuou oito defesas que garantiram o empate a zero.

"Impedir que a bola entre para o fundo das minhas redes é o meu trabalho", afirmou ao UEFA.com. "Procuro sempre melhorar e esta noite tive também alguma sorte. A atmosfera no Vicente Calderón foi fantástica e foi muito importante não termos sofrido golos."

Nem tudo foi fácil para o guardião de 22 anos desde que, no último Verão, rumou aos campeões espanhóis numa transferência a rondar os 16 milhões de euros - valor que faz dele o guarda-redes mais caro da história do futebol espanhol –, depois de ter ajudado o SL Benfica a chegar à final de 2013/14 UEFA Europa League.

Após sofrer uma lesão nas costas durante a pré-temporada, Oblak viu-se na condição de suplente do também recém-chegado Miguel Ángel Moyà, com o treinador Diego Simeone a dar preferência ao espanhol para os jogos da Liga. Oblak acabou por estrear-se em jogos oficiais no Atlético e na UEFA Champions League na primeira jornada da fase de grupos, no terreno do Olympiacos FC, mas as coisas não correram da melhor forma e os finalistas vencidos de 2014 foram derrotados por 3-2 pelos campeões gregos.

Teve, depois, de esperar até à segunda mão do embate dos oitavos-de-final com o Bayer 04 Leverkusen, no mês passado, para voltar a sentir o sabor dos jogos europeus, em virtude de uma lesão sofrida por Moyà numa coxa a meio da primeira parte do encontro. A infelicidade do espanhol constituiu uma oportunidade para Oblak – até aí com presença limitada às partidas da Taça de Espanha –, e este agarrou-a com as duas mãos.

Depois de não sofrer golos e defender ainda uma grande penalidade no triunfo no desempate por penalties sobre o Leverkusen, Oblak impressionou nos três encontros seguintes na Liga espanhola, nos quais o Atlético não sofreu golos. Foi, enfim, batido ao quarto jogo no escalão principal do futebol espanhol, sábado, no empate 2-2 em casa do Málaga CF.

O nível das actuações de Oblak tem sido tal que este poderá muito bem manter a titularidade mesmo quando Moyà estiver recuperado da lesão. Mais importante ainda para o Atlético, a sua exibição nesta primeira mão dos quartos-de-final permite aos pupilos de Simeone manterem tudo em aberto para a curta deslocação ao Santiago Bernabéu, na próxima quarta-feira.

Topo