Mãos brasileiras que seguram o dragão

Helton foi o senhor da baliza do Porto durante nove épocas consecutivas e agora, na décima de dragão ao peito, parece estar a passar o testemunho a outro brasileiro.

Helton recuperou de lesão mas perdeu a titularidade
Helton recuperou de lesão mas perdeu a titularidade ©Getty Images

O FC Porto tem captado as atenções da Europa graças à brilhante carreira que está a realizar na UEFA Champions League de 2014/15, onde chegou aos quartos-de-final como a única equipa invicta em prova. O embate que tem pela frente com o poderoso FC Bayern München está no foco dos adeptos, mas num olhar atento para o plantel portista, deparamo-nos com um processo natural em curso: uma passagem de testemunho.

Vítor Baía guardou a baliza do FC Porto durante décadas, e quando a deixou, esta ficou entregue a um brasileiro. Helton da Silva Arruda, internacional pelo seu país, jogava no UD Leiria há três épocas quando foi contratado pelo Porto em 2005/06. Segurou o lugar entre os postes e nunca mais o largou. Durante nove temporadas foi o número um portista, até que uma lesão grave num tendão de Aquiles, contraída durante um "clássico" com o Sporting Clube de Portugal, a 16 de Março de 2014, o obrigou a parar. Seguiu-se um calvário fora dos relvados, e quem aproveitou foi Fabiano Ribeiro de Freitas. Contratado em 2012/13 ao SC Olhanense, Fabiano, brasileiro de 27 anos, assumiu a responsabilidade e é, desde Março de 2014, o dono da baliza portista.

Durante nove épocas foi Helton o incontestado. Agora, na décima temporada na Invicta, o experiente guardião de 36 anos tem de esperar pela sua oportunidade para jogar. Regressou da lesão em Janeiro de 2015, em jogo da Taça da Liga portuguesa, e realizou desde então seis partidas, quatro nesta prova e duas na Liga. A excelente exibição na visita ao SC Braga, também em Janeiro, foi mote para um desabafo bem-humorado de Helton: "Ainda estou vivo." E está. Na altura referiu à imprensa: "Tenho trabalhado diariamente em busca de um lugar na equipa e tenho de aproveitar estas oportunidades", frisou.

Por esta altura, Helton soma 292 jogos na Liga portuguesa, 225 pelo Porto, 51 partidas na UEFA Champions League e 25 na UEFA Europa League. No seu currículo contam-se sete campeonatos, quatro Taças de Portugal, seis SuperTaças e uma UEFA Europa League. Mas, para já, parece ter chegado o tempo de Fabiano e da passagem de testemunho. O ex-São Paulo FC já tem no seu palmarés um campeonato brasileiro e um português, soma 65 jogos na Liga - 35 pelo FC Porto -, sete na UEFA Champions League e três na UEFA Europa League.

Mesmo após um regresso em grande forma, Helton não conseguiu desalojar Fabiano de primeira escolha de Julen Lopetegui, pelo que vai ter de esperar, juntamente com Ricardo e Andrés Fernández, pela sua vez. Seja quais forem, porém, as escolhas do treinador espanhol, parece certo que as mãos que defendem a baliza "azul-e-branca" vão continuar a ser "canarinhas" durante mais algum tempo.

Topo