Decisões épicas dos oitavos-de-final: O melhor das segundas mãos

Prolongamentos, penalties, recuperações fora, golos espectaculares, excelentes defesas: as segundas mãos dos oitavos-de-final tiveram um pouco de tudo.

Giorgio Chiellini na festa da Juventus
Giorgio Chiellini na festa da Juventus ©Getty Images

As oito equipas que vão disputar os quartos-de-final da UEFA Champions League já são conhecidas, depois de disputadas as partidas da segunda mão dos oitavos-de-final. O UEFA.com recorda-lhe o que de melhor se passou.

Equipa: Juventus
Numa competição tão nivelada por cima, a Juve merece o aplauso por ter viajado ao sempre intimidatório BVB Stadion Dortmund com uma escassa de vantagem por 2-1 e voltado para casa com uma fantástica vitória por 3-0.

Quase a reviravolta: FC Schalke 04 e Arsenal FC
Os outros grandes desempenhos colectivos terminaram da pior maneira (apesar da vitória no encontro, eliminação da prova). Nenhuma outra equipa havia virado uma desvantagem de dois golos na Champions League, mas tanto Schalke como Arsenal estiveram muito perto de o conseguir.

O Schalke terá abordado de forma descontraída a partida em Espanha, depois de ter perdido em casa por 2-0, ao jogar no reduto do Real Madrid CF. Mas por duas vezes esteve na frente do marcador e, depois, deu a volta e chegou aos 4-3, com Iker Casillas, já nos descontos, a negar o golo que apuraria o Schalke. O Arsenal começou a perder por 3-1 frente ao AS Monaco FC e, apesar de terem empatado a eliminatória em golos, a vitória por 2-0 não foi suficiente devido à regra dos golos fora.

Jogador: Thiago Silva (Paris Saint-Germain)
O capitão do Paris fez uma grande exibição no eixo da defesa, juntamente com David Luiz, em Stamford Bridge, numa partida em que, depois de reduzidos a dez jogadores devido à expulsão de Zlatan Ibrahimović, forçaram o Chelsea FC a prolongamento, seguindo em frente graças aos golos fora. O decisivo tento foi da autoria de Thiago Silva, com um sensacional cabeceamento, no minuto 114, que voou por cima de Thibaut Courtois, segundos depois de o guardião belga ter negado o golo ao brasileiro. 

Guarda-redes: Joe Hart (Manchester City FC)
Depois de o Barcelona ter derrotado o City por 1-0 para seguir em frente com um total de 3-1, Lionel Messi disse ao UEFA.com que "Hart é um fenómeno". Messi viu ser-lhe negado o golo em várias ocasiões, ficando assim adiada a tentativa de ficar à frente de Cristiano Ronaldo na lista de melhores marcadores de sempre da prova. No total, Hart fez dez defesas, o maior registo na UEFA Champions League desde há várias temporadas.

Frase: "Somos aquilo que as pessoas viram esta noite: uma equipa que por vezes não joga bem, mas que coloca a sua alma no jogo"
Diego Simeone sobre a exibição menos conseguida do Club Atlético de Madrid que, no entanto, eliminou o Bayer 04 Leverkusen com uma vitória por 1-0 e o apuramento conseguido no desempate por grandes penalidades.

Momento: Klaas-Jan Huntelaar (FC Schalke 04)
De volta ao feito heróico do Schalke em Madrid e ao momento em que, a seis minutos do fim, Huntelaar fez o seu segundo golo no estádio da sua antiga equipa, ao disparar colocado, com a bola a roçar ainda na barra.

Número: 4
Todos os quatro golos do FC Porto na vitória por 4-0 sobre o FC Basel 1893 foram de fora da área, com destaque para o livre directo de Casemiro para o terceiro, batido de mais longe em relação ao tento inaugural, obtido da mesma forma, por Yacine Brahimi.

Foto: Jerome Boateng com o segundo dos sete golos do FC Bayern München frente ao FC Shakhtar Donetsk

©Getty Images

Golo: A ESCOLHA É SUA!
A escolha agora é sua na nossa votação do Golo da Semana, em directo, na sexta-feira de manhã...

Topo