Foto: Ajax vira derrota de 3-1 frente ao Benfica

Antes de o Paris defrontar o Barcelona, recordamos o único clube que perdeu a primeira mão de uma prova da UEFA em casa, por 3-1, e seguiu em frente: Ajax, em 1969.

Imagem do jogo de repetição dos quartos-de-final da Taça dos Campeões, em Paris
Imagem do jogo de repetição dos quartos-de-final da Taça dos Campeões, em Paris ©Getty Images

Apenas por uma vez na história da Taça dos Clubes Campeões Europeus uma equipa perdeu a primeira mão em casa por 3-1 e seguiu em frente na prova. Aconteceu ao AFC Ajax frente a SL Benfica nos quartos-de-final da edição 1968/69. Inspirado por Johan Cruyff, autor de bis após Inge Danielsson inaugurar o marcador, o conjunto holandês chegou a ter vantagem de 3-0 em Lisboa. José Torres obrigou a jogo de repetição em Paris, duas semanas depois, mas a eliminatória continuou em aberto ao cabo de 90 minutos. No entanto, Cruyff marcou no início do prolongamento antes de dois remates certeiros de Danielsson selarem o resultado final.

Momentos Lendários: Cruyff deixa a sua marca
Momentos Lendários: Cruyff deixa a sua marca

1. Johan Cruyff
Cruyff representou a revolução do "Futebol Total" holandês no início dos anos de 1970 e foi fundamental nos três títulos consecutivos do Ajax na competição, entre 1971 e 1973. Depois, revelou-se igualmente preponderante no FC Barcelona e na selecção da Holanda. Passou pelos Estados Unidos e retirou-se após ganhar a "dobradinha" com o Feyenoord. Também foi treinador de sucesso e guiou o Barcelona à vitória na Taça dos Campeões Europeus em 1992.

2. Humberto Fernandes
Fernandes passou toda a carreira no Benfica e, apesar de nunca se ter assumido como titular, era elemento bastante fiável. Defesa-central, envergou a braçadeira de capitão no jogo de repetição com o Ajax, na ausência do emblemático Mário Coluna. Alinhou mais uma época pelos "encarnados" e despediu-se com 11 títulos conquistados em igual número de épocas, incluindo a Taça dos Campeões em 1961/62. Morreu em Fevereiro de 2009, com 68 anos.

Momentos Lendários: Cruyff volta a brilhar
Momentos Lendários: Cruyff volta a brilhar

3. José Torres
Conhecido como "O Bom Gigante" pelo bom feitio, o esguio dianteiro português José Torres, de elevada estatura, foi peça essencial do Benfica de gala da década de 1960. Marcou 151 golos em 171 jogos no campeonato ao longo de 12 temporadas no clube e brilhou ao lado de Eusébio, Coluna e António Simões, antes de sair com 32 anos. Manteve-se activo durante mais nove temporadas ao serviço de Vitória FC e Estoril Praia, os últimos seis como jogador-treinador, tendo mais tarde conduzido Portugal ao primeiro grande torneio de selecções nas duas décadas anteriores: o Mundial 1986. Morreu em Setembro de 2010, com 72 anos.

4. Piet Keizer
Keizer formou dupla fantástica com Cruyff e foi peça crucial no período dourado do Ajax, onde cumpriu toda a carreira e do qual é o quarto melhor marcador de sempre. Após pendurar as chuteiras, tornou-se observador e conselheiro técnico do clube.

O que aconteceu a seguir: Ajax chegou à final e defrontou o Milan...
O que aconteceu a seguir: Ajax chegou à final e defrontou o Milan...

Mais:

Foto: Ronaldo aplaudido de pé em Old Trafford
Foto: Os heróis do Liverpool em Istambul

Foto: Juve derrota Bremen nos penalties

Foto: Batistuta põe fim à espera da Roma

Topo