David Luiz tranquilo em Paris

Para David Luiz, as chaves para o êxito na Champions League do Paris, à espera do Chelsea nos oitavos-de-final, são concentração, flexibilidade e equilíbrio.

David Luiz espera repetir o sucesso alcançado na UEFA Champions League de 2012 em Paris
David Luiz espera repetir o sucesso alcançado na UEFA Champions League de 2012 em Paris ©AFP/Getty Images

David Luiz nasceu para dar nas vistas. O seu inconfundível cabelo longo e encaracolado torna-o imediatamente reconhecível dentro e fora do relvado. Também chama a atenção para a forma de jogar do defesa-central brasileiro.

Capaz de portentosos remates de longe e subidas aventureiras no terreno com a bola controlada, e dotado de uma capacidade de passe notável que lhe permite ditar o ritmo do jogo a partir do meio-campo recuado, quando assim lhe é exigido, Luiz não é um defesa-central da velha escola. Aos 27 anos, e após representar SL Benfica, Chelsea FC, Paris Saint-Germain e Brasil, começou a habituar-se à atenção.

Mesmo o facto de ter sido sorteado nos oitavos-de-final frente à equipa pela qual conquistou a competição em 2012 é pouco provável que o desconcentre. Vai colocar-se à disposição de Laurent Blanc, treinador do Paris, ao mesmo tempo que tentará manter-se fiel à sua forma natural de jogar.

"Desde que seja positivo para todos, penso que é muito importante [mostrar a nossa personalidade em campo]", afirma o No32 do Paris. "E eu tento dar um bom exemplo, especialmente para os jovens, os miúdos que gostam de nós não apenas pelo futebol que praticamos, mas também por aquilo que fazemos fora de campo".

O seu sentido de aventura futebolística permitiu-lhe conquistar o coração dos adeptos de todos os clubes por onde passou, e mostrou o seu valor na equipa de Blanc quando esta venceu o FC Barcelona por 3-2 no Parc des Princes, na segunda jornada. Inaugurou o marcador com um golo do qual a maior parte dos avançados se orgulharia, e também foi crucial a nível defensivo, ajudando Marquinhos, seu jovem colega "canarinho", a controlar a ameaça representada por Lionel Messi e Neymar.

Enquanto Marquinhos ficava mais atrás e conjurava o perigo, David Luiz afastava-se mais da sua zona de acção para vigiar de perto o compatriota Neymar, não lhe dando tempo e espaço para executar.

Após esse resultado, o futebol do Paris começou a fluir. Um triunfo por 1-0 sobre o APOEL FC, na quarta ronda, garantiu a presença nos oitavos-de-final pela terceira época consecutiva. Nessa partida, David Luiz provou todas a competência. "Estamos a realizar uma óptima campanha na Champions League", diz. "Mas não vale a pena se não continuarmos a nossa busca pela conquista do título."

Agora, está concentrado em vencer a UEFA Champions League novamente. Para o conseguir, o sorteio ditou um confronto com a sua antiga equipa, agora orientada por José Mourinho, mas o ambiente no seio do Paris continua a ser de confiança.

Como David Luiz diz, a glória na UEFA Champions League é algo que os melhores jogadores na Europa ambicionam. "Respira-se este torneio diariamente. Imaginamos a presença na final e erguer o troféu. Colocamos tudo isso em prática. A dedicação diária, a dedicação em todos os momentos do treino, [e nos] jogos, durante uma época. Prescindimos de muitas coisas [por causa desse objectivo]."

A viagem atribulada do Chelsea rumo à vitória em 2012 mudou a forma de David Luiz pensar o jogo. O Paris iniciou o percurso de forma muito diferente do Chelsea de Roberto Di Matteo, ainda assim, sabe que existem lições que a sua actual equipa pode aplicar. "Hoje faço parte de uma equipa que domina a posse de bola", diz. "Adoramos controlar o jogo, mas já aprendemos que, no futuro, vamos enfrentar adversários que terão mais posse de bola do que nós e teremos que nos adaptar a isso."

"Nunca defrontamos oponentes com o mesmo plano de jogo, com a mesma qualidade, por isso é preciso ter uma capacidade de adaptação grande."

O seu próximo desafio é ajudar o Paris a ultrapassar os quartos-de-final. Nas duas campanhas anteriores, o conjunto francês foi afastado nesta fase devido aos golos fora – pelo Barcelona, em 2013, e pelo Chelsea, em 2014, apesar de David Luiz ter feito um auto-golo na derrota do clube inglês em Paris, por 3-1, na primeira mão.

As verbas avultadas aquando da sua transferência para Londres e depois para Paris não o preocupam minimamente. "É normal", afirma. "A cada época que passa um jogador torna-se mais valioso. O mercado cresce, não só no futebol, mas com tudo na vida. Tudo se torna mais caro. A pressão existirá sempre. Quando se atinge um certo nível no futebol, é preciso saber lidar com a pressão e como transformá-la em algo bom para nós."

Essa capacidade de lidar com a pressão será vital frente ao Chelsea. David Luiz acredita que o campeão de França tem o que é preciso para brilhar na UEFA Champions League. "Sem dúvida, vim para um clube com uma estratégia maravilhosa e pensada para grandes feitos – um clube que possui todas as qualidades para lutar pela vitória em todas as competições que disputa."

A Champions Matchday é a revista oficial da UEFA Champions League e está disponível em papel ou para download gratuito em formato digital. Pode seguir a revista no Twitter em @ChampionsMag.

Topo