Barcelona derrota Paris e vence Grupo F

FC Barcelona 3-1 Paris Saint-Germain
Os anfitriões recuperaram de desvantagem para vencer o Grupo F, com Lionel Messi, Neymar e Luis Suárez a darem a volta ao golo de Zlatan Ibrahimović.

Neymar celebra o 2-1 para o Barcelona
Neymar celebra o 2-1 para o Barcelona ©AFP/Getty Images

O Barcelona recupera de desvantagem para bater o Paris e ser primeiro do Grupo F
Zlatan Ibrahimović marca o terceiro golo ao Barcelona desde que deixou a formação catalã
Lionel Messi empata e faz o seu 75º golo na UEFA Champions League
Neymar (42) e Luis Suárez (77) garantem o triunfo; o uruguaio estreia-se a marcar em Nou Camp
O sorteio dos oitavos-de-final será no dia 15 de Dezembro, pelas 11h00 (hora de Portugal continental), em Nyon

O FC Barcelona garantiu o primeiro lugar do Grupo F da UEFA Champions League à custa do Paris Saint-Germain, com o excepcional poder de fogo do clube catalão a evitar o encontro com um vencedor de outro grupo no sorteio de segunda-feira.

O objectivo essencial de cada um dos clubes era conseguir um resultado que lhe garantisse o primeiro lugar do Grupo F. Só a vitória servia ao Barcelona, enquanto o Paris necessitava apenas de um ponto. E com a expectativa em alta face à possibilidade de um jogo de futebol ao mais alto nível, a noite proporcionou momentos que servirão de comparação com qualquer outro que a temporada proporcione.

O técnico local, Luis Enrique apresentou um esquema ousado de 3-4-3, que não teve o resultado previsto. O Barcelona concedeu espaços nas alas na derrota em Paris, no entanto, quando Ibrahimović serviu Lucas numa jogada pela direita, o brasileiro teve tempo para assistir Blaise Matuidi na área. Uma boa simulação e o sueco fez o golo inaugural.

A combinação Matuidi-Ibrahimović começou a imperar, com o seu poder, técnica e entendimento a deixaram, por vezes, o Barcelona ofegante e a questionar-se de onde surgiam tantas lacunas. Felizmente para a equipa da casa, teve um momento especial e tirou um coelho da cartola.

Mascherano, novamente no meio-campo, mostrou a sua visão de jogo e técnica com uma bola longa para Suárez. O cruzamento em arco do atacante permitiu a Messi aumentar para 75 o número de golos na UEFA Champions League.

A mensagem de que os perdulários são punidos na competição de elite foi sublinhada antes do intervalo. Lucas perdeu uma oportunidade clara, concedida por Ibrahimović e Matuidi, antes de Marc-André ter Stegen evitar um golo de Edinson Cavani, quando o atacante parecia ter tudo a seu favor.

E, de um momento para o outro, o Barcelona marcou. Neymar irrompeu por entre a defesa do Paris e disparou forte, num remate de meia distância que bateu Salvatore Sirigu, levando o estádio ao êxtase.

Sem se deixar abater, o Paris reagrupou-se durante o intervalo e apenas o heroísmo atlético de Marc Bartra negou o empate, quando Lucas causou o caos e a recarga de Cavani acabou bloqueada. Também Maxwell perdeu uma boa ocasião na área, num lance que parecia fácil.

Mais uma vez houve um custo. Uma jogada complexa com Suárez e Messi levou a que o remate de Neymar tivesse uma defesa incompleta de Sirigu, com o uruguaio a marcar na recarga, mantendo a tradição do Barcelona em vencer o seu grupo desde 2006/07.

Topo