Blanc feliz com as melhorias do Paris

Laurent Blanc disse que o Paris Saint-Germain "conseguiu ser melhor na segunda parte", enquanto José Mourinho lamentou a fraca qualidade defensiva do Chelsea.

Laurent Blanc, treinador do Paris
É sempre possível fazer melhor, mas acho que os meus rapazes deram tudo esta noite. Fomos algo cautelosos na construção do nosso jogo. Tivemos, talvez, algum receio dos contra-ataques do Chelsea. Eles são uma equipa muito poderosa. No entanto, fizemo-los correr e marcámos aquele golo no último fôlego.

Penso que conseguimos ser melhores na segunda parte. Ganhámos mais bolas e o golo de Javier [Pastore] foi fantástico. Fomos recompensados no segundo tempo. Continuámos sempre a lutar e o nosso meio campo respondeu à chamada com as suas características que são já imagem de marca. Fomos à procura deste terceiro golo e conseguimo-lo. Estou contente pelo Javier, que teve os seus altos e baixos, mas que foi recompensado por uma actuação de classe. Merece ser elogiado.

O Zlatan [Ibrahimović] sentiu uma ligeira dor muscular; não tenho a certeza se é na coxa ou no gémeo. Teremos de tomar alguns cuidados, mas tenho a certeza de que é uma situação que vai requerer algum repouso.

Sabemos que, independentemente do resultado da primeira mão, temos pela frente um jogo difícil na terça-feira em Stamford Bridge. Marcámos três golos mas aprendemos que também os sofremos. Vai ser incerto. Teremos de estar prontos para este teste.

José Mourinho, treinador do Chelsea
Jogámos contra uma grande equipa repleta de grandes jogadores no ataque. Espera-se que eles marquem golos e eles fizeram-no. Ajudámo-los com uma má actuação defensiva; sofremos o primeiro golo num posicionamento fácil, e assistimos o avançado.

No segundo golo, um dos meus jogadores marcou na própria baliza, foi azar, mas a forma como a equipa se posicionou defensivamente não foi a correcta.

O terceiro golo foi ridículo. Gary Cahill disse que foi trapalhão, eu digo ridículo. Não posso culpar ninguém individualmente pelos erros. Não o farei aqui. Falarei com eles no balneário.

Vai ser difícil na segunda mão, mas não impossível. Nada é impossível no futebol. Eles podem marcar golos de um momento para o outro, e nós não somos uma equipa plena de golos neste momento, mas nunca se sabe. Temos de dar tudo.

Quando estava 1-1 mudei a equipa porque pensei que o Fernando Torres podia dar-nos maior profundidade do que o Andre Schürrle. A equipa estava confortável com Andre mas pensei que o Fernando podia dar-nos um pouco mais.

Temos de tentar [dar a volta à eliminatória]. Temos de dar tudo e vamos tentar.

Topo