Real com triunfo tranquilo sobre o Dortmund

Real Madrid CF 3-0 Borussia Dortmund Cristiano Ronaldo fechou o marcador ao igualar o recorde de golos na mesma época e o Real Madrid ficou perto da quarta meia-final seguida.

O Real Madrid CF venceu de forma concludente o Borussia Dortmund, por 3-0, em partida da primeira mão dos quartos-de-final da UEFA Champions League realizada no Estadio Santiago Bernabéu, partindo para o encontro do Westfallenstadion, dentro de uma semana, com uma valiosa vantagem.

O Real Madrid teve uma entrada fortíssima no encontro, com a pressão dos seus jogadores a começar em frente à área adversária e, logo nos primeiros quinze minutos, criou suficientes oportunidades de golo para deixar a eliminatória bem encaminhada.

Um golo de Gareth Bale logo aos três minutos foi o mote para uma exibição muito bem conseguida pelos madrilenos, tendo o galês surgido no coração da área para desviar a bola de Roman Weidenfeller com um ligeiro toque, após solicitação de Dani Carvajal já na área.

Até aos 15 minutos brilhou, então, o guarda-redes dos alemães, com três espantosas defesas, que evitaram um súbito avolumar do marcador e foram adiando a decisão da eliminatória. Começou por suster um forte remate de longa distância de Cristiano Ronaldo, de quem sacudiu, logo de seguida, um livre directo por cima da barra. Aos 13 minutos, foi a vez de parar um cabeceamento de Pepe.

O primeiro remate do Borussia veio somente aos 23 minutos e foi da autoria de um ex-jogador do Real Madrid, Nuri Şahin, que obrigou Iker Casillas a defesa segura. Mas somente quatro minutos volvidos, Isco, após recuperação de bola de Xabi Alonso à saída da área alemã, ampliou a vantagem para 2-0 com um colocadíssimo remate rasteiro.

Prosseguiu, então, o festival de Weidenfeller, agora para sacudir um poderoso livre directo de Bale, dando ânimo para a resposta através de fortes remates de Kevin Grosskreutz e Pierre Aubameyang (este no lugar habitualmente ocupado pelo agora lesionado Robert Lewandowski), mas que não levaram perigo particular para Casillas, que teve que demonstrar-se, ainda assim, muito atento.

O Real Madrid continuou de pé a fundo na segunda parte, com a qualidade do ataque "merengue" e a pressão dos seus médios a criarem mais um golo, com Luka Modrić a roubar a bola a um adversário e a descobrir Ronaldo entre os centrais contrários e somente perante Weidenfeller, que nada pôde fazer para impedir a mudança de pés do português para uma conclusão de classe.

O lance seguinte podia ter dado uma outra emoção à eliminatória, pois Henrikh Mkhitaryan dispôs de uma boa ocasião no coração da área, mas Pepe ofereceu o corpo à bola e deteve o remate do internacional arménio e não mais os alemães voltaram a importunar Casillas.

Ao invés, na outra área, Weidenfeller continuou bastante em jogo e teve mesmo que aplicar-se a fundo para deter dois fortes remates de Benzema, o primeiro dos quais de primeira, após nova descida de Carvajal pela direita. Cristiano Ronaldo ainda viu estes lances em campo, pois somente seria substituído na parte final, por Casemiro, após ter ficado contundido após um choque com um contrário.

Para a segunda mão, dentro de uma semana em Dortmund, o Borussia só poderá ser perfeito para eliminar o Real Madrid e, face ao resultado desta noite, mesmo isso poderá não chegar.

Topo