Clássicos da sexta jornada da UEFA Champions League

O UEFA.com recorda alguns dos jogos marcantes nas sextas jornadas da fase de grupos, um dos quais a vitória do Benfica sobre o Manchester United, em 2005.

Roma 0-2 Manchester City, 10 de Dezembro de 2014
Com o Bayern München há muito apurado, Roma, Manchester City e CSKA Moskva entraram na derradeira jornada com os mesmos pontos e com os olhos postos no segundo lugar do Grupo E. O City precisava de ganhar, mas mesmo assim necessitava que o emblema russo não o conseguisse. Assim foi e o CSKA perdeu por 3-0 na Alemanha, pelo que o City seguiu em frente. As coisas poderiam ter terminado e forma diferente não tivesse Joe Hart desviado um remate de cabeça de Kostas Manolas a 18 minutos do final, o que preservou a vantagem dos "citizens" de 1-0. Pablo Zabaleta confirmou a vitória mais tarde, ao finalizar um passe do homem que havia aberto o activo, Samir Nasri.

Galatasaray 1-0 Juventus, 10 de Dezembro de 2013
Enquanto a Juve precisava de um ponto para atingir os oitavos-de-final, apenas a vitória servia aos homens da casa, num jogo tenso em Istambul. O jogo foi muito disputado a meio-campo e a neve obrigou à paragem do encontro aos 32 minutos, pelo que as equipas retomaram o embate no dia seguinte. A interrupção não mudou o cariz do jogo, mas quando parecia que os campeões italianos iriam aguentar o nulo, a cinco minutos do fim Didier Drogba serviu Wesley Sneijder para o único golo da contenda, o que apurou o Galatasaray.

FC Basel 1893 2-1 Manchester United FC, 7 de Dezembro de 2011
Finalista vencido da edição anterior, o United viu-se afastado logo na fase de grupos em 2011/12. A turma de Old Trafford necessitava de um ponto para seguir em frente, mas foi incapaz de travar um Basileia embalado por  Xherdan Shaqiri. O extremo cruzou para o primeiro golo, assinado por Marco Streller, e com os homens da casa balanceados no ataque, assistiu Alexander Frei para o 2-0, a seis minutos do apito final. Phil Jones ainda reduziu, mas já nada impediu que a turma helvética ultrapassasse a fase de grupos pela primeira vez desde 2002/03.

Juventus 1-4 FC Bayern München, 8 de Dezembro de 2009
O Bayern acabaria por chegar à final, frente ao FC Internazionale Milano, mas esteve perto de se ver relegado para a UEFA Europa League. No terceiro lugar do grupo à partida para a última jornada, os bávaros pareciam irremediavelmente destinados a dizer adeus à competição quando David Trezeguet colocou a Juventus em vantagem. O guarda-redes Hans-Jörg Butt, porém, restabeleceu a igualdade, de penalty, antes de Ivica Olić confirmar a reviravolta no marcador. Mario Gomez e Anatoliy Tymoshchuk selaram, depois, o triunfo, ditando uma das maiores derrotas caseiras da história da "vecchia signora" e a sua consequente eliminação.

FC Barcelona 2-3 FC Shakhtar Donetsk, 9 de Dezembro de 2008
O Shakhtar tirou proveito da pouco experiente formação lançada em campo pelo Barcelona e somou um resultado memorável. Dois golos de Olexandr Gladkiy e um de Fernandinho ofereceram aos ucranianos uma vantagem que os golos de Sylvinho e Sergio Busquets não conseguiram anular para um Barça que tinha já garantido o primeiro lugar do grupo. O triunfo permitiu ao Shakhtar rumar para a 38ª e última edição da Taça UEFA, que acabaria por vencer.

SL Benfica 2-1 Manchester United FC, 7 de Dezembro de 2005
Golos de Geovanni e Beto surpreenderam o United e permitiram ao Benfica chegar aos oitavos-de-final da UEFA Champions League pela primeira vez desde 1994/95. O resultado significou igualmente que, pela primeira vez em dez anos, os "red devils", incapazes de segurar a vantagem madrugadora dada por Paul Scholes, não foram além da fase de grupos; além disso, ao terem terminado no último lugar do Grupo D nem sequer prosseguiram a campanha europeia na Taça UEFA.

Liverpool FC 3-1 Olympiacos CFP, 8 de Dezembro de 2004
O Liverpool, que conquistaria depois o troféu ao bater o AC Milan nos penalties, na final de Istambul, tinha já, cinco meses antes, mostrado todo o seu poderio. Derrotada por 1-0 na Grécia, na segunda jornada, a formação orientada por Rafael Benítez precisava de vencer por dois golos de diferença para levar a melhor sobre o adversário na corrida à qualificação. À entrada para os últimos quatro minutos os "reds" necessitavam ainda de mais um golo, depois de Rivaldo ter respondido para os visitantes a golos de Florent Sinama-Pongolle e Neil Mellor. Em cena apareceu, então, Steven Gerrard, que com um remate a 25 metros do alvo bateu Antonis Nikopolidis, para delírio dos adeptos presentes em Anfield. O resto é História.

Feyenoord 2-3 Newcastle United FC, 13 de Novembro de 2002, primeira fase de grupos
Os "magpies" aterraram em Roterdão a necessitar de uma vitória, aliada a uma escorregadela do FC Dynamo Kyiv no outro jogo do grupo. E, apesar de os ucranianos estarem a perder em casa, a formação inglesa só carimbou o apuramento nos descontos, com o segundo golo no encontro de um Craig Bellamy que regressava à equipa após castigo. O Newcastle tornava-se, dessa forma, na primeira equipa em toda a história da UEFA Champions League a ultrapassar uma fase de grupos depois de derrotada nas três primeiras jornadas do respectivo grupo.

FC Basel 1893 3-3 Liverpool FC, 12 de Novembro de 2002, primeira fase de grupos
O Basileia seguiu para a segunda fase nesta sua época de estreia na competição à custa do ilustre Liverpool, que necessitava de vencer na Suíça para ultrapassar a turma helvética no segundo posto do grupo. A missão tornou-se praticamente impossível quando, em apenas meia-hora de jogo, Julio Rossi, Christian Giménez e Thimothée Atouba colocaram o Basileia a vencer por 3-0. Michael Owen comandou a recuperação dos "reds" num emocionante segundo tempo, mas não foi suficiente.

Panathinaikos FC 3-1 Juventus, 8 de Novembro de 2000, primeira fase de grupos
No segundo lugar do grupo à entrada para o jogo, a Juventus acabou por se ver relegada para o quarto e último posto depois de uma noite para esquecer em Atenas. Paulo Sousa deu vantagem aos homens da casa, os pupilos de Carlo Ancelotti ainda restabeleceram a igualdade por intermédio de Filippo Inzaghi, mas Angelos Basinas, de penalty, recolocou os gregos na frente e Krzysztof Warzycha selou o triunfo a meio do segundo tempo.

AC Milan 1-2 Rosenborg BK, 4 de Dezembro de 1996
Depois de se ter estreado com uma vitória por 3-2 em casa do IFK Göteborg, o Rosenborg guardou o melhor para o fim, ao somar aquele que é, talvez, o mais famoso triunfo europeu da sua história. O Milan tinha perdido em casa com o FC Porto e também na Suécia, mas, com jogadores como Paolo Maldini, Zvonimir Boban e Roberto Baggio, necessitava apenas de somar um ponto na recepção a uma equipa que havia batido por 4-1 em Trondheim. Harald Brattbakk começou por gelar San Siro bem cedo no encontro, Christophe Dugarry ainda restabeleceu a igualdade, mas seria Vegard Heggem a ter a última palavra, batendo Sebastiano Rossi a 20 minutos do apito final e colocando os noruegueses nos quartos-de-final.

Topo