Milan em missão de vingança contra o Barcelona

Eliminado da UEFA Champions League pelo Barcelona nas duas últimas temporadas, o Milan tem em mente não só uma vingança como a obtenção de pontos no Grupo H, em jogo da terceira jornada.

Philippe Mexès mostra a sua desilusão depois de o Milan ter sido afastado pelo Barcelona na última época
Philippe Mexès mostra a sua desilusão depois de o Milan ter sido afastado pelo Barcelona na última época ©Getty Images

Não faltará motivação ao AC Milan na recepção ao FC Barcelona na terceira jornada – este jogo oferece não apenas uma oportunidade para destronar o clube espanhol do topo da classificação no Grupo H, mas também uma ocasião de vingança.

• Os "rossoneri" têm um historial recente de decepções contra o Barcelona na UEFA Champions League, suficiente para ajustar contas, tendo a vitória da equipa "blaugrana" nos oitavos-de-final da época passada completado um indesejado "hat-trick", a par do que aconteceu nos quartos-de-final de 2011/12 e na meia-final de 2005/06.

Confrontos anteriores
• Estes dois famosos clubes defrontaram-se em 17 ocasiões, com o Barcelona a registar sete vitórias contra cinco do Milan, e tendo marcado 26 golos contra os 21 do clube italiano. O registo do Milan nos oito jogos em casa contra o Barcelona é de V3 E2 e D3.

• O Milan, de Massimiliano Allegri, venceu por 2-0 em San Siro na primeira mão dos oitavos-de-final da época passada, com os golos a serem apontados por Kevin-Prince Boateng (57) e Sulley Muntari (81). O Barcelona respondeu, no entanto, com quatro golos sem resposta em Camp Nou, por Lionel Messi (5, 40), David Villa (55) e Jordi Alba (90), que asseguraram assim uma vitória por 4-2 no somatório das duas mãos.

• Jordi Roura estava no comando técnico do Barcelona na última deslocação a San Siro, a 20 de Fevereiro passado, e as equipas alinharam assim:
Milan: Abbiati, Abate, Mexès, Zapata, Constant, Ambrosini, Montolivo, Muntari, Boateng, Pazzini (Niang 75), El Shaarawy (Traoré 88).
Barcelona: Valdés, Dani Alves, Piqué, Puyol (Mascherano 88), Jordi Alba, Xavi, Busquets, Fàbregas (Sánchez 62), Pedro, Messi, Iniesta.

• O Barcelona empatou a zero em Milão na primeira mão dos quartos-de-final de 2011/12, antes de vencer por 3-1 em casa, na segunda mão. Messi marcou através de duas grandes penalidades no primeiro tempo, pelo meio Antonio Nocerino chegou a empatar (32), mas Andrés Iniesta (53) cimentou a vitória para a equipa então comandada por Josep Guardiola.

• Os dois clubes encontraram-se ainda na fase de grupos dessa época, com o Barcelona a obter quatro pontos e a relegar o Milan para o segundo lugar. Em Camp Nou, o jogo terminou num 2-2, com Thiago Silva (92) a fazer o empate para o Milan, já depois de Pedro Rodríguez e Villa terem dado a volta a um golo de Pato logo no primeiro minuto.

• De seguida, o Barcelona bateu o Milan por 3-2 em San Siro, com Xavi Hernández a marcar o tento decisivo aos 63 minutos, desfazendo a igualdade instalada quando Zlatan Ibrahimović e Boateng anularam um golo na própria baliza de Mark van Bommel e uma grande penalidade convertida por Messi.

• O Barcelona de Frank Rijkaard venceu por 1-0 no somatório das duas mãos em que defrontou o Milan de Carlo Ancelotti, nas meias-finais de 2005/06. O golo de Ludovic Giuly em San Siro foi decisivo, numa primeira mão em que alinharam Víctor Valdés, Carles Puyol e Iniesta pelo Barcelona.

• Valdés, Puyol, Xavi e Iniesta são os sobreviventes do duelo entre estes clubes registado na fase de grupos de 2004/05, quando o Barcelona perdeu por 1-0 em San Siro, a 20 de Outubro de 2004, tendo terminado em segundo lugar, atrás do Milan, num grupo do qual constava também o Celtic FC.

• O confronto mais importante entre este dois clubes aconteceu na final da UEFA Champions League de 1994, com o Milan de Fabio Capello a vencer por 4-0, com golos de Daniele Massaro (22, 45), Dejan Savićević (47) e Marcel Desailly (58). O Milan também se superiorizou quando estes rivais se encontraram, na SuperTaça Europeia de 1989, vencendo em casa por 1-0, depois de um empate fora 1-1.

• O Barcelona venceu por um total de 7-1 na primeira ocasião em que o duelo se decidiu em duas mãos, na primeira ronda da edição de 1959/60 da Taça dos Clubes Campeões Europeus.

Retrospectiva
• O Barcelona, de Gerardo Martin, tem a pontuação máxima no topo do Grupo H, e uma nova vitória dar-lhe-á uma vantagem de cinco pontos na liderança.

• O Barcelona venceu em casa do Celtic na segunda jornada, com um golo de Cesc Fàbregas aos 76 minutos, mas o Milan deixou ainda mais para o fim os pontos que obteve nos seus jogos – superou o Celtic com dois golos nos últimos oito minutos e precisou de um penalty em tempo de descontos convertido por Mario Balotelli para garantir o empate em casa do AFC Ajax.

• O sucesso do Milan por 2-0 sobre o Barcelona em San Siro, em Fevereiro passado, foi a primeira vitória em casa após sete tentativas ante clubes oriundos de Espanha. O registo do Milan contra estes rivais é de V11 E6 D6.

• O registo do Barcelona, fora de casa, contra clubes da Série A é de V6 E7 D6.

• O Barcelona conquistou a sua primeira Taça dos Clubes Campeões Europeus ao bater a UC Sampdoria, por 1-0, na final realizada em Wembley, em 1992.

• O Milan perdeu a sua primeira final da Taça dos Clubes Campeões Europeus contra o Real Madrid CF, por 3-2, na época 1957/58.

Ligações entre as equipas
• Neymar marcou pelo Brasil na vitória por 4-2 sobre uma Itália da qual constavam Ignazio Abate, Mattia De Sciglio, Riccardo Montolivo, Stephan El Shaarawy e Balotelli, na fase de grupos da Taça das Confederações de 2013.

• Só Montolivo jogou quando a Itália defrontou depois a Espanha na meia-final, que terminou sem golos. Montolivo fez o seu dever e marcou no desempate por grandes penalidades, mas Xavi, Iniesta, Gerard Piqué e Sergio Busquets converteram os respectivos castigos máximos e a Espanha acabou por vencer por 7-6. Jordi Alba e Pedro também alinharam pelos campeões mundiais.

• Abate, Montolivo e Balotelli actuaram na derrota por 4-0 da Itália frente à Espanha, na final do Campeonato da Europa de 2012. Alba foi um dos marcadores pela selecção espanhola, numa equipa em que actuaram ainda Piqué, Xavi, Iniesta, Busquets, Fàbregas, e Pedro, suplente utilizado no segundo tempo.

• Fàbregas havia antes marcado no empate a um golo entre as duas selecções, que se defrontaram na fase de grupos, jogo em que o único representante do Milan em campo foi Nocerino.

• O mesmo Fàbregas converteu em golo o penalty decisivo quando a Espanha superou a Itália nos quartos-de-final do Campeonato da Europa de 2008, tendo ainda feito o golo inaugural da vitória do Arsenal FC sobre o Milan na segunda mão dos oitavos-de-final de 2007/08, fixando assim o somatório dos resultados das duas mãos.

• Iniesta marcou nos descontos para a Espanha frente a uma Holanda em que figurava Nigel de Jong, na final do Campeonato do Mundo de 2010.

• Christian Abbiati (Club Atlético de Madrid), Cristián Zapata (Villarreal CF), Kaká e Robinho (Real Madrid) tiveram todos eles experiências no futebol espanhol.

• Alexis Sánchez marcou no empate 4-4 obtido pela Udinese Calcio em Milão, na época 2010/11. Foi o seu único golo em sete confrontos pela Udinese contra o Milan em jogos do campeonato e da taça.

• Javier Mascherano esteve na equipa do Liverpool FC que perdeu por 2-1 contra o Milan, na final da UEFA Champions League de 2007.

Topo