Heynckes destaca Bayern implacável

Jupp Heynckes disse que o Bayern "jogou de forma excelente desde o início" em Camp Nou, com Tito Vilanova a reconhecer a superioridade alemã ao longo das duas mãos.

O treinador Jupp Heynckes e o banco do Bayern festejam em Barcelona
O treinador Jupp Heynckes e o banco do Bayern festejam em Barcelona ©Getty Images

Tito Vilanova, treinador do Barcelona
Parabéns ao Bayern por atingir a final. Mostrou verdadeiramente a que nível está. Gostaria de agradecer aos nossos adeptos por nos terem apoiado até ao fim. A minha equipa enfrentou o desafio do princípio ao fim. Pedi-lhe para nunca baixar a cabeça e para competirem bem na primeira parte. Sem dúvida que o golo marcado pelo Bayern no início da segunda parte fez-nos muito mal e sentenciou a eliminatória de vez.

O Bayern chegou a esta fase do torneio a um grande nível físico, quando comparado connosco. Estes jogadores estão todos em excelente forma, enquanto nós não, e é nesse aspecto que precisamos de recuperar. Também nos faltaram vários jogadores.

Lionel Messi jogou em Bilbau porque se sentiu melhor. Na parte final desse jogo ele sentiu algo estranho, mas não era uma lesão. Não se sentia bem apesar de estar a treinar com o resto do plantel. Dessa forma, senti que não podia ajudar a equipa. É normal que se note a ausência de um jogador como Messi.

Queríamos competir ao mais alto nível, mas a primeira mão afectou-nos bastante. Aqueles que treinaram bem e que não sofreram lesões [esta época] estiveram bem. Tanto nós como o Real Madrid podemos medir forças com as equipas alemãs, mas nestas meias-finais foram melhores do que nós.

Jupp Heynckes, treinador do Bayern
Penso que foi claramente visível que a minha equipa entrou neste jogo muito concentrada. Jogámos de forma excelente desde o início. Não vale a pena negar que o Barcelona é uma equipa diferente sem Messi. Ainda assim, acredito que ninguém esperasse que ganhássemos com um resultado total de 7-0.

Conheço o futebol espanhol muito bem, especialmente o Barcelona. Conheço a forma como gosta de jogar e a sua filosofia. A minha equipa compreendeu a nossa abordagem táctica muito bem e executou-a na perfeição. A nossa organização foi soberba e conseguimos colocar o Robben numa situação de um-para-um, algo que ele adora. O primeiro golo foi o momento decisivo deste jogo.

Não diria que esta noite testemunhámos ao fim de uma era. O Barcelona não podia contar com vários jogadores e nós realizámos uma exibição inteligente.

O Dortmund merece estar na final, já que também está a protagonizar uma óptima temporada. É certo que não deixa de ser uma surpresa. Espero sinceramente que possamos ser bem-sucedidos em Wembley. Agora vamos reflectir sobre aquilo que alcançámos esta noite, desfrutar do momento e depois centrar atenções no jogo com o Dortmund, este fim-de-semana.

Topo