Desempenho do Nápoles espanta Mazarri

“Esta equipa não pára de me surpreender”, disse o treinador Walter Mazarri, depois de ver o Nápoles, estreante na competição, ter ficado em vantagem no embate dos oitavos-de-final frente ao Chelsea.

©Getty Images

Walter Mazzarri, treinador do Nápoles
Podíamos ter marcado o quarto golo, mas o remate do [Christian] Maggio, nos últimos minutos, não foi feliz. É pena porque com uma vantagem de três golos teríamos ficado mais tranquilos. O Chelsea é muito forte em casa, por isso precisamos de mais uma grande exibição.

Esta noite só tivemos dificuldades durante dez minutos, mais ou menos, depois de sofrermos o golo após um ressalto infeliz que traiu o [Paolo] Cannavaro. Esta equipa não pára de me surpreender. Começámos bem o jogo e reagimos de modo fantástico após sofrermos um golo daquela maneira. É normal não se estar sempre a 100 por cento, mas nesta temporada, nos jogos importantes, nunca falhámos.

Sabemos muito bem que ainda não estamos nos quartos-de-final. Mesmo hoje foi visível que o Chelsea possui excelentes jogadores que facilmente conseguem marcar dois golos em casa. Fico feliz por já termos tido a experiência de jogar em Inglaterra, na fase de grupos, contra o Manchester City FC. Ao menos sabemos mais ou menos o que esperar em Londres.

André Villas-Boas, treinador do Chelsea
Depois do nosso golo, tivemos oportunidade de fazer o 2-0, falhámos algumas oportunidades e devíamos ter evitado alguns erros porque o poderio ofensivo do Nápoles não perdoa. O terceiro golo foi perfeitamente evitável.

Ir para casa com apenas um golo de desvantagem teria sido melhor. É mais difícil recuperar de dois golos, mas não é impossível, claro, devido à quantidade de oportunidades que criamos e ao ambiente que teremos em [Stamford] Bridge para virar a eliminatória.

Vamos analisar com cuidado os nossos erros porque há alguns aspectos em que temos de melhorar. Se tivéssemos marcado o segundo golo, a história teria sido outra. É uma questão de eficácia e o Nápoles teve-a. As estatísticas estão muito equilibradas; ambas as equipas criaram muitas oportunidades neste jogo, que foi bastante aberto e andou perto das balizas.

O Nápoles marcou o terceiro golo no nosso melhor período, o que nos desmotivou um pouco, mas nós, em seguida, tivemos algumas oportunidades, principalmente perto do fim do jogo, pelo Didier [Drogba]. Temos 90 minutos pela frente e é perfeitamente possível que, com este golo fora, possamos virar a eliminatória.

Topo