O homem por detrás do êxito do BATE

Anatoli Kapski é o principal responsável pela ascensão do BATE até à UEFA Champions League. "Procuramos estar mais fortes a cada ano que passa", disse.

Anatoli Kapski ajudou a transformar o BATE num tradicional candidato à presença na fase de grupos das provas da UEFA
Anatoli Kapski ajudou a transformar o BATE num tradicional candidato à presença na fase de grupos das provas da UEFA ©Pressball

O afirmar do FC BATE Borisov nos grandes palcos europeus deve-se em boa parte à liderança visionária de Anatoli Kapski, que assumiu um papel preponderante no renascer do clube, em 1996, após a sua dissolução, em 1981.

Com 45 anos, Kapski é um dos proprietários da fábrica de componentes eléctricos para tractores que esteve na origem do clube, e foi a sua paixão pelo futebol que deu origem à ascensão do BATE. A equipa garantiu a subida no terceiro escalão logo na sua primeira época à frente do clube, em 1996, e soma agora no seu palmarés sete títulos de campeão e duas Taças da Bielorrússia, preparando-se para uma segunda presença na fase de grupos da UEFA Champions League, onde irá defrontar FC Viktoria Plzeň, FC Barcelona e AC Milan. Kapski esteve à conversa com o UEFA.com e destacou o facto de a base da equipa ser alicerçada nos jogadores formados internamente.

UEFA.com: Quando o BATE foi refundado, em 1996, acreditava que o clube poderia chegar a este nível?

Kapski: Temos de estabelecer objectivos que sejam difíceis, mas realistas. Não posso dizer que pensei que um dia estaríamos a disputar a fase de grupos da Champions League. Fomos, simplesmente, caminhando passo a passo até chegarmos onde estamos hoje.

UEFA.com: O defesa Igor Shitov e o médio Pavel Nekhaychik transferiram-se recentemente para o FC Dinamo Moskva. Como é possível manter elevados os padrões de qualidade do BATE, com tantos jogadores a deixarem o clube?

Kapski: Todos os anos surgem alguns jogadores vindos das camadas jovens e contamos com eles. Esta temporada temos Yegor Filipenko, Dmitri Baga, Maksim Skavysh, Aleksandr Gutor, Oleg Patotski, entre outros. Cerca de metade do plantel principal da equipa é proveniente da nossa academia de formação.

UEFA.com: Do que é que o BATE necessita para se tornar presença habitual na principal competição europeia de clubes?

Kapski: Somos uma equipa de sucesso, mas caminhamos com os pés assentes na terra e necessitamos de tirar partido dos feitos que vamos alcançando. Isso não é fácil, tendo em conta o actual estado do mercado na Bielorrússia, mas vamos tentar ser mais fortes a cada ano que passa.

UEFA.com: O que achou do sorteio da fase de grupos?

Kapski: Antes do sorteio, comprometemo-nos a conquistar alguns pontos. Vai ser complicado diante de gigantes como o Barcelona ou o Milan, mas vamos dar o nosso melhor. O Viktoria Plzeň também é um adversário complicado. As formações checas mostram sempre muita determinação, força e velocidade, mas não nos queremos lamentar. Se tememos o Barça? Todas as equipas no Mundo o devem temer! Ainda ninguém descobriu uma fórmula para o derrotar consistentemente.

UEFA.com: Será que os adeptos do BATE podem esperar que o dinheiro ganho na UEFA Champions League seja investido em novos jogadores?

Kapski: Não vamos entrar em loucuras. Temos planos para desenvolver as infra-estruturas do clube. Certamente, iremos proceder a algumas transferências que, a nível da Bielorrússia, podem ser consideradas avultadas, mas não vamos trazer grandes estrelas que alterem a estrutura da nossa jovem equipa.

UEFA.com: Será que o BATE pode aspirar a ir além da fase de grupos?

Kapski: Vamos esperar para ver o que acontece.

Topo