O "site" oficial do futebol europeu

Os maiores feitos de Giggs pelo United

Publicado: Sexta-feira, 1 de Março de 2013, 13.40CET
O UEFA.com presta homenagem a Ryan Giggs e escolhe alguns momentos altos da sua brilhante carreira numa altura em que o galês completou 1000 jogos pelo Manchester United, ante o Real Madrid.

rate galleryrate photo
1/0
counter
  • loading...
 
 
Publicado: Sexta-feira, 1 de Março de 2013, 13.40CET

Os maiores feitos de Giggs pelo United

O UEFA.com presta homenagem a Ryan Giggs e escolhe alguns momentos altos da sua brilhante carreira numa altura em que o galês completou 1000 jogos pelo Manchester United, ante o Real Madrid.

Na semana passada cumpriu-se o 22º aniversário desde que um jovem de 17 anos chamado Ryan Giggs se estreou com a camisola do Manchester United FC, mais concretamente na condição de suplente utilizado, frente ao Everton FC.

Mais de duas décadas volvidas e o médio, outrora um dos mais temidos extremos-esquerdos, continua em grande na equipa orientada por Alex Ferguson. Na sexta-feira, renovou por mais um ano o seu contrato, que o levará a cumprir a sua 23ª temporada no plantel principal do conjunto de Old Trafford, com o vínculo a experirar seis meses depois de celebrar o seu 40º aniversário.

Como reconhecimento – o último numa longa linha de feitos ao longo de uma brilhante carreira, na qual conquistou, entre outros troféus, 12 títulos da Premier League e duas UEFA Champions League –, o UEFA.com escolhe alguns grandes momentos da carreira de Giggs enquanto jogador do Manchester United.

5 de Março de 2013: segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League: Manchester United 1-2 Real Madrid CF
Tendo sido poupado três dias antes, mais concretamente no jogo em casa da Premier League frente ao Norwich City FC, Giggs somou o seu jogo 1000 na recepção ao clube nove vezes vencedor da Taça dos Campeões Europeus. O seu 134º encontro na UEFA Champions League terminou com uma derrotal, com o autogolo apontado por Sergio Ramos a ser anulado pelos tentos de Luka Modrić e de Cristiano Ronaldo.

Janeiro de 2011: eleito melhor jogador de sempre do Manchester United
O facto de o internacional galês ter ganho uma eleição dos adeptos na revista e no "site" oficial do clube, ficando à frente de outros colossos de Old Trafford como Éric Cantona, George Best, Cristiano Ronaldo e Bobby Charlton, entre outros, diz bem sobre o estatuto que granjeou ao longo dos anos. "Quando me disseram, não pude mesmo acreditar", confessou Giggs ao saber da distinção. "Tem havido tantos craques neste clube..."

Infelizmente para o resto das equipas da Premier League, Giggs diz que "ainda não está acabado" e que espera "continuar por mais algum tempo", algo que confirmou no mês passado ao prolongar o seu contrato por mais um ano.

21 de Maio de 2008, final da UEFA Champions League, Manchester United - Chelsea FC: bater o recorde de 758 jogos de Bobby Charlton pelo clube
Giggs cimentou o seu estatuto como um dos maiores ícones de sempre do Manchester United quando rendeu outro dos esteios da equipa de Old Trafford, Paul Scholes, aos 87 minutos do mais importante encontro de clubes do futebol europeu. Com o resultado empatado 1-1 após prolongamento, o jogo foi para o desempate por grandes penalidades, onde Giggs converteu com tranquilidade aquele que veio a ser o remate decisivo para o United, uma vez que, na tentativa de conversão seguinte, Nicolas Anelka permitiu que Edwin van der Sar detivesse o seu remate.

11 de Maio de 2008, Premier League: Wigan Athletic FC - Manchester United
Apesar de não ter sido um dos seus golos mais espectaculares, entra para esta lista de acontecimentos pela importância que teve numa tarde em que a entrega do título inglês ainda era uma perfeita incógnita. Empatado pontualmente com o Chelsea à entrada para a derradeira jornada da prova, o Manchester United sabia que um triunfo assegurar-lhe-ia o décimo título da Premier League e o 17º campeonato no total. Após Cristiano Ronaldo ter acalmado os nervos dos visitantes com uma grande penalidade, um passe a desmarcar de Wayne Rooney providenciou a Ryan Giggs uma conclusão fácil, que coroou o momento mais importante da temporada do Manchester United a nível nacional. No entanto, Giggs viria a ter ainda maior destaque dez dias depois, em Moscovo.

25 de Fevereiro de 2003, segunda fase de grupos da UEFA Champions League, Juventus - Manchester United
Apesar de muitos poderem argumentar que o seu poderoso remate frente à mesma equipa, seis anos antes, é também merecedor de inclusão nesta lista, a actuação de Giggs no Stadio Delle Alpi foi a escolhida, dada a influência da sua prestação no triunfo da equipa por 3-0. Depois de já ter marcado um golo, Giggs embalou para uma arrancada semelhante àquela referida para a Taça de Inglaterra. Com Ciro Ferrara e Paolo Montero pela frente, flectiu para dentro – tirando ambos os adversários do caminho no mesmo instante – antes de rematar em esforço ao canto mais distante e fora do alcance de Gianluigi Buffon.

14 de Abril de 1999, repetição da meia-final da Taça de Inglaterra: Manchester United - Arsenal FC
A famosa "tripla" de 1998/99 e aquele que é por muitos considerado como o melhor golo da sua carreira nunca teriam acontecido caso Peter Schmeichel não tivesse defendido uma grande penalidade de Dennis Bergkamp, aos 92 minutos. Com o jogo no prolongamento e o resultado empatado 1-1, Giggs recolheu um mau passe de Patrick Vieira e arrancou em velocidade em direcção à baliza contrária. Com o médio francês a aproximar-se rapidamente, Giggs driblou Vieira e passou entre Lee Dixon e Martin Keown antes de rematar em força, fazendo a bola embater na parte de cima das redes de David Seaman ao entrar.

Última actualização: 07-12-13 5.56CET

Informação relacionada

Perfis dos jogadores
Perfis das equipas

http://pt.uefa.com/uefachampionsleague/news/newsid=1602945.html#os+maiores+feitos+giggs+pelo+united