O renascimento de Ronaldinho

Um Ronaldinho revigorado avisou o anfitrião United de que "nada é impossível", já que o Milan vai tentar dar a volta a uma derrota por 3-2 esta quarta-feira, na segunda mão dos oitavos-de-final.

Ronaldinho inaugurou o marcador para o Milan no jogo da primeira mão, frente ao United
Ronaldinho inaugurou o marcador para o Milan no jogo da primeira mão, frente ao United ©Getty Images

Depois de ter contribuído com nove golos e 15 assistências na Serie A esta época, Ronaldinho tem provado que está longe de ser uma estrela em declínio.

Ao deixar a sua marca em mais de metade dos golos marcados pelo AC Milan no campeonato esta época, o brasileiro emergiu como figura de destaque dos "rossoneri". E está confiante no seu regresso à ribalta do futebol, dizendo: "Para ser sincero, acreditava ter uma época como esta".

Quando Kaká partiu para o Real Madrid CF, os adeptos do Milan temeram pelo futuro da equipa, mas tal como o talentoso No80, encontraram motivos para sorrir novamente. Ronaldinho assumiu a batuta deixada livre pelo compatriota e tem ajudado a formação de Leonardo a colocar pressão no FC Internazionale Milano, líder da Serie A.

"Trabalhei muito e pensei nisto durante a pré-época. Felizmente, tudo corre conforme o planeado", afirmou o vencedor da Bola de Ouro em 2005. "Passei por um período difícil no FC Barcelona, mas estou feliz por estar num grande clube, que neste momento luta para vencer duas competições".

A equipa precisa de dar a volta a uma derrota caseira por 3-2 frente ao Manchester United FC, a contar para os oitavos-de-final da UEFA Champions League. Depois de ter colocado os milaneses a vencer em San Siro, vai ser pedido novamente a Ronaldinho para imitar os feitos de Kaká, quando este bisou em Old Trafford nas meias-finais da UEFA Champions League de 2007.

"Vai ser uma partida muito difícil, mas nada é impossível", explicou Ronaldinho. "Penso que vai ser um jogo muito bom. Precisamos de um resultado positivo, por isso vamos jogar para vencer frente a um adversário forte. Estão reunidos todos os ingredientes para um grande espectáculo".

As vitórias fora frente a Olympique de Marseille e Real nesta edição da competição são motivação adicional. "O Milan possui uma forte tradição na Champions League, por isso quando o clube disputa uma prova como esta toda a gente sabe que vamos honrar o seu historial. Agora que envergo esta camisola, consigo sentir a força do Milan", afirmou.

O papel de Leonardo
O clube sete vezes campeão europeu espera ultrapassar esta eliminatória e prosseguir a caminhada até à final, onde esteve pela última vez em 2007, derrotando o Liverpool FC por 2-1. Seria um feito assinalável na primeira época de Leonardo como treinador, depois do reinado de oito anos de Carlo Ancelotti.

"Ele está a demonstrar as suas qualidades e estou muito feliz por ele", disse Ronaldinho, que comentou a existência de mais brasileiros na equipa. "É perfeito. São brasileiros que jogam a um nível muito elevado, o que torna as coisas ainda mais fáceis".

O nativo de Porto Alegre tem claramente muitos motivos para se sentir positivo. "O futebol é uma grande paixão, porque nasci numa família de futebolistas", disse. "Sinto-me feliz por ter um estilo de jogo que agrada a muita gente, e o facto de as pessoas gostarem motiva-me ainda mais".

Caso os "rossoneri" cheguem à final da UEFA Champions League, Ronaldinho pode regressar ao Santiago Bernabéu, casa do Real, onde recebeu uma ovação de pé quando representava o Barça. "Seria maravilhoso", concluiu.

Conteúdos relacionados

Topo